Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

Acha que anda a dormir o suficiente? Oito sinais que refletem o contrário

Visão Mais

Sara Borges dos Santos

Dormir é uma necessidade básica do ser humano, mas talvez não esteja a fazê-lo durante o número de horas suficiente. Conheça os sinais que o seu corpo lhe dá e que não deve ignorar.

Nós, portugueses, não temos hábitos de sono nada corretos. Quem o diz é Teresa Paiva, neurologista e especialista em medicina do sono. "Levantamo-nos muito cedo, trabalhamos demais e deitamo-nos excessivamente tarde", refere.

Segundo a médica, o facto de andarmos pouco tempo ao ar livre, de não apanharmos muito sol nos períodos da manhã - que, de acordo com Teresa Paiva, é essencial - e de fazermos atividades físicas ao final do dia complica todo este cenário, que por si só já é negro. "Acontecem duas coisas quando as pessoas fazem exercício muito tarde: apanham muita luz exterior, que vai atrasar o sono, e aumentam a temperatura corporal, que tem precisamente o mesmo efeito", explica.

E o pior é que, mesmo sem se aperceber, há outros riscos associados à falta de dormir: maior propensão para ter tensão alta, diabetes, excesso de peso e obesidade. Além disso, a tendência para a depressão é maior e há mais probabilidades de ter cancro e doenças auto-imunes. Também a insónia é um distúrbio que pode ser associado aos maus hábitos de sono, já que o sistema de sono é agredido. "Primeiro não se dorme porque não se quer, depois é porque já não se é capaz", explica.

De acordo com Teresa Paiva, "o sono controla o metabolismo, a reparação de tecidos e o crescimento, bem como a nossa alimentação e o sistema imunitário", por isso, é importante ter um sono de qualidade e dormir o tempo necessário, porque pode evitar constipações daquelas chatas ou até más digestões.

Assim, para que consiga ter hábitos de sono mais saudáveis, Teresa Paiva deixa ainda alguns conselhos, que diz serem "os doze mandamentos do sono" a seguir:

1- Respeite os seus ritmos biológicos, tendo horários relativamente regulares;
2- Considere o sono como uma coisa preciosa, fonte de energia e saúde;
3- Não durma nem demais nem de menos (oito horas é o ideal);
4- Estabeleça limites nas atividades quotidianas;
5- Apanhe luz do sol de manhã e evite ambientes muito luminosos depois das 20 horas;
6- Não trabalhe em demasia;
7- Alimente-se bem, coma produtos frescos e faça refeições regulares;
8- Faça exercício físico (mas não muito tarde) e passeie ao ar livre;
9- Seja ativo em termos intelectuais: leia livros, por exemplo;
10- Não tome medicação em excesso;
11- Relativize os problemas, fuja à catastrofização;
12- Aproveite a vida e tudo o que ela lhe traz de positivo.

Veja o vídeo para perceber se anda ou não a dormir horas suficientes.