Visão Mais

Siga-nos nas redes

Perfil

Para tirar o máximo de benefícios do vinho tinto, esta é a medida certa

Visão Mais

Nem demais, nem de menos. Depois de vários estudos realçarem os benefícios do vinho, sobretudo tinto, uma nova investigação vem esclarecer a quantidade ideal: para a maioria das pessoas é um copo de vinho tinto ao jantar

Demais, pode prejudicar o coração e aumentar a probabilidade de desenvolver certos topos de cancros. De menos, perde-se uma série de benefícios associados ao seu consumo (desde estimular o cérebro mais do que se resolvesse uma equação matemática, a reduzir o risco de doenças cardiovasculares, só para citar alguns).

Segundo um estudo agora publicado na revista científica Annals of Internal Medicine, um copo de vinho ao jantar previne doenças cardiovasculares e o desenvolvimento de diabetes tipo 2 e diminui o risco de mortalidade.

Investigadores da Universidade Ben-Gurion do Neguev, em Israel escolheram um grupo específico de pessoas – com diabetes tipo 2 bem controlados e com pouco risco de alcoolismo – para observar os efeitos do consumo moderado de álcool, uma vez que os pacientes com este tipo de diabetes são mais propensos a desenvolver problemas cardiovasculares e têm níveis menores de colesterol HDL – o colesterol bom.

Foram escolhidas 224 pessoas com este perfil - e que não bebiam qualquer tipo de álcool - e destacadas para beber uma de três coisas: ao jantar, durante dois anos, os participantes tinham de beber 150ml de água mineral, ou a mesma quantidade de vinho branco ou vinho tinto. Durante esse tempo, todos os grupos seguiram uma dieta mediterrânica sem restrição de calorias.

Os participantes foram respondendo a questionários ao longo do estudo. Foram-lhes também retiradas amostras sanguíneas - antes do estudo, seis meses depois e no final dos dois anos – de forma a analisar variações no controlo glicémico, no nível de lípidos e na função hepática dos participantes.

O estudo concluiu que o grupo que bebeu vinho tinto aumentou significativamente os níveis de colesterol HDL, e tinha um nível de colesterol geral mais benéfico do que o grupo que bebeu água. Foi também o único grupo em que se observou uma diminuição de uma série de fatores de risco associados ao desenvolvimento de doenças cardíacas, acidentes vasculares cerebrais e da própria doença de que sofriam, a diabetes tipo 2.

Tanto o grupo que bebeu vinho tinto como vinho branco reportou um sono de melhor qualidade do que o grupo que bebeu água. Os investigadores não encontraram efeitos adversos significativos em nenhum dos três grupos de participantes.