Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

EXAME: Há 30 anos a contar a economia

Exame

A edição especial de aniversário que agora chega às bancas analisa as últimas décadas na economia nacional e deixa sinais daquilo que podemos esperar dos próximos anos num mundo em transformação acelerada.

Onde é que estava em 1989? Recorda-se de como era o País de há 30 anos e a evolução económica vivida de então para cá? E, num mundo em acelerada transformação, como se perspetivam os próximos anos? Foi a partir de algumas destas perguntas que construímos a EXAME de julho, em que se assinalam as três décadas de existência deste projeto editorial e a relação de proximidade que fomos construindo com os nossos leitores.

Na edição de 188 páginas que agora chega às bancas (e que pode assinar digitalmente aqui), trazemos-lhe a economia contada por quem a faz, com o contributo de 30 personalidades que, nos últimos anos, foram capa da EXAME, entre os quais estão Dionísio Pestana, Carlos Tavares, António Horta Osório, Nuno Amado, Jardim Gonçalves, Miguel Almeida ou Pedro Abrunhosa.

Analisamos como a economia do País evoluiu desde 1989, com marcos como a integração europeia, o euro, a crise económica e financeira até chegar aos anos da “geringonça.” E olhamos para o futuro numa perspetiva global: será que o modelo económico assente no capitalismo vai conseguir passar incólume à urgência dos nossos tempos, as alterações climáticas? São dois trabalhos de fôlego para ler e refletir.

Com players de referência nos seus setores, fomos também à procura das tendências e das transformações que deverão vingar nas próximas décadas em áreas como a tecnologia, a banca, a mobilidade ou a transformação digital. Pistas que podem ajudar a compreender que futuro nos espera.

A edição especial de aniversário foi também saber por onde andam as empresas e instituições que em 1989, tal como a EXAME, davam os seus primeiros passos. Novabase, Fundação de Serralves ou Quebramar são alguns dos projetos que vingaram nas últimas três décadas e cujos percursos de rasgo e persistência analisamos nesta revista.

Pelas vozes de antigos diretores da EXAME – Álvaro de Mendonça, Camilo Lourenço, Isabel Canha e Carlos Rosado de Carvalho – fomos ainda recordar o percurso deste projeto editorial. Miguel Cadilhe, que em 1989 era ministro das Finanças, assina um artigo de opinião sobre as finanças e o reformismo na altura em que a revista chegou pela primeira vez às bancas. E, na sua coluna habitual, António Nogueira Leite analisa os últimos 30 anos na economia que foram, como escreve, “para todos os gostos.”

Uma edição especial para ler, guardar, e mais tarde recordar. Boas leituras com a EXAME.