Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Brasil: Investidores aplaudem possível vitória de Bolsonaro

Exame

A bolsa de São Paulo disparou quase 10% no ultimo mês. Brasil escolhe presidente no próximo domingo.

É a terceira semana seguida de ganhos para o principal índice acionista brasileiro – a Bolsa de São Paulo (Bovespa) – e para a moeda daquele país. Os ganhos parecem estar a acompanhar as sondagens que continuam a dar uma vitória tranquila ao candidato da direita, Jair Bolsonaro, na segunda volta das eleições presidenciais, que acontecem já no próximo domingo, 28 de outubro. No último mês, a Bovespa já registou ganhos de 9,7%. Já o real brasileiro avançou mais de 1% para o valor mais elevado frente ao dólar dos últimos cinco meses (3,6705 reais).

Os investidores olham com otimismo para as medidas económicas que constam do programa eleitoral de Jair Bolsonaro. Entre outras, o antigo capitão do exército garante que vai privatizar grande parte das empresas estatais, reduzir o número de ministérios, diminuir a dívida pública do País, cobrar propinas nas universidades públicas (até agora totalmente gratuitas), reformular o sistema de pensões e desburocratizar o processo de criação de empresas para atrair mais investimento para o Brasil.

Analistas da Capital Economics citados pelo Financial Times têm algumas reservas quanto à capacidade de Bolsonaro para implementar todas estas alterações – muitas delas extremamente impopulares – uma vez que precisa de reunir consenso num Congresso altamente dividido. E temem que estes ganhos significativos antecipem uma queda assim que a “realidade política comece a aparecer”, lê-se ainda na publicação.

A cinco dias de um dos processos eleitorais mais acompanhados pela comunidade internacional o Brasil continua a ferro e fogo, com Fernando Haddad – o candidato do PT que corre contra Bolsonaro – e o candidato do PSL a atirarem as últimas achas para a fogueira. Se Bolsonaro insiste em repor a ordem através do uso do poder militar e da força, Haddad começa finalmente a admitir os erros do PT no passado e repete que não concederá qualquer tipo de perdão presidencial a Lula da Silva, acusado de corrupção, se for eleito.

Em todo o país têm-se multiplicado as manifestações de apoio aos candidatos, mas têm também escalado os níveis de violência no País, com alguns homicídios recentes a serem associados a discordâncias eleitorais, segundo as autoridades.

Os programas eleitorais dos dois candidatos estão disponíveis para consulta no portal do Tribunal Superior Eleitoral, onde corre atualmente uma investigação sobre a alegada utilização de doações ilegais por parte da equipa de Jair Bolsonaro para espalhar notícias falsas através das redes sociais.