Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

OPA/EDP: Oferta representa proposta "atraente" para acionistas

Exame

Depois da chega da troika a Portugal, os grupos chineses entraram em força nos sectores estratégicos. A EDP deu o exemplo

Luís Barra

A OPA da China Three Gorges sobre a EDP representa uma "proposta económica atraente para os acionistas" da empresa e a "perspetiva de um futuro próspero", afirmou hoje o presidente do Conselho de Administração da China Three Gorges Corporation

A OPA da China Three Gorges sobre a EDP representa uma "proposta económica atraente para os acionistas" da empresa e a "perspetiva de um futuro próspero", afirmou hoje o presidente do Conselho de Administração da China Three Gorges Corporation.

A China Three Gorges anunciou hoje a decisão de lançar uma oferta pública geral e voluntária, em dinheiro, sobre a totalidade do capital social da EDP - Energias de Portugal, oferecendo 3,26 euros por cada ação, o que representa um prémio de 4,82% face ao valor de mercado.

No comunicado que dá conta do anúncio da Oferta Pública de Aquisição (OPA), o 'chairman' da China Three Gorges Corporation, a empresa-mãe da China Three Gorges, Lu Chun, afirma que "a oferta representa uma proposta económica atraente para os acionistas da EDP e a perspetiva de um futuro próspero para todos os 'stakeholders' [partes envolvidas]".

"Estamos muito satisfeitos por reforçar o nosso compromisso estratégico para o desenvolvimento de longo prazo da EDP", acrescentou, salientando que a China Three Gorges está "fortemente" empenhada "em preservar a identidade portuguesa da EDP, cotada na Bolsa de Valores de Lisboa e sedeada em Portugal".

"O nosso sucesso estará diretamente relacionado com o desempenho e o crescimento futuros da EDP, uma vez que pretendemos fortalecer a colaboração industrial que nos tornou parceiros de sucesso e contribuidores para a economia portuguesa. Com a perspetiva de um crescimento sustentado a nível corporativo, pretendemos também criar oportunidades atraentes para todos os funcionários da EDP", disse ainda o 'chairman' da China Three Gorges Corporation.

A China Three Gorges detém atualmente 850.777.024 ações da EDP, representativas de 23,27% do capital social da empresa liderada por António Mexia.

Entre os restantes acionistas estão a também chinesa CNIC (4,98%), a Capital Research and Management Company, consultora de investimentos sediada nos Estados Unidos (12%), a espanhola Oppidum Capital (7,19%), a sociedade gestora de investimentos americana BlackRock (5%), a Senfora SARL, detida pelo Governo de Abu Dhabi (4,06%), a sociedade gestora do Fundo de Pensões do Grupo Millennium BCP e a Fundação Millennium BCP (em conjunto detém 2,44%) e a Sonatrach, extratora de petróleo da Argélia (2,38%).

Compõem ainda a estrutura acionista a Qatar Holding LLC, com 2,27%, o Norges Bank, com 2,75%, e a própria EDP, com 0,6% do seu capital (através de ações próprias).

Um terço do capital da EDP (33,06%) está nas mãos dos restantes acionistas.

Caso a OPA sobre a EDP tenha sucesso, a China Three Gorges afirma, em comunicado, que "cumprirá a sua obrigação legal de lançar uma oferta pública obrigatória sobre 100% do capital social da EDP Renováveis (EDPR), excluindo as ações já detidas pela EDP, oferecendo 7,33 euros por ação.

Os títulos da EDP encerraram o dia de negociações de sexta-feira a ganhar 0,75% para 3,11 euros na bolsa de Lisboa, e os da EDPR avançaram 0,58% para 7,85 euros.

Lusa