Exame

Siga-nos nas redes

Perfil

Criptomoedas afundam: Bitcoin abaixo dos 6.000 dólares

Exame

Rumores sobre regulamentação nos EUA e na Europa está a penalizar as moedas virtuais. Quedas são das mais acentuadas nos últimos dois anos.

Desde o início de Janeiro, as criptomoedas já terão perdido mais de 500 mil milhões de dólares em valor, segundo dados citados pela Bloomberg. A pesar no sentimento dos investidores estão os rumores de que dois reguladores norte-americanos estão a planear pedir ao Congresso que haja uma supervisão das transações destes produtos por parte de entidades federais dos EUA. A Bitcoin afundou mais de 11% no início do dia e chegou a negociar nos 5.922 dólares, abaixo da marca psicológica dos 6.000 dólares. A Ethereum, a Ripple e a Litecoin acompanharam a tendência e deslizaram mais de 10%, continuando a cair.

Também na Europa se começam a verificar algumas movimentações no sentido de tentar regular a negociação destas moedas, que têm dado bastante dinheiro a ganhar a empresas de vários setores – nomeadamente o finaceiro. “O mercado está a sentir a pressão regulatória”, afirmou à Bloomberg Zhou Shuoi, partner da FBG Digital, uma empresa de investimento em criptomoedas baseada em Singapura.

Analistas ouvidos pela agência noticiosa acreditam, com base na análise de alguns algoritmos e comportamentos dos investidores, que as perdas deverão agravar-se ainda mais durante as próximas semanas. Particulares e empresas, que entraram no negócio das criptomoedas com olho nos ganhos relâmpago – a Bitcoin chegou a valer 20.000 dólares no ano passados – começam agora a querer fugir deste ativo, que já dá sinais de fragilidade, numa altura em que as bolsas mundiais têm estado a negociar no vermelho