Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Desmentida a teoria de que os hidratos de carbono engordam mais à noite

Estudo do Dia

  • 333

Aitor Sánchez García, um nutricionista na moda em Espanha, defende que o importante não é a hora, mas o tipo de hidratos que se comem

DR

Houve ensaios com pessoas que comeram maior quantidade de hidratos de carbono à noite e as conclusões foram surpreendentes, conta o nutricionista Aitor Sánchez García numa entrevista ao diário espanhol El País, esta segunda-feira. "No dia seguinte essas pessoas tinham gasto mais energia e estavam com o apetite mais saciado."

Ao contrário do que se tinha como adquirido, o que Sánchez García quer dizer é que não faz sentido a "preocupação com a hora em que se ingere hidratos", mas antes o tipo dos que se comem. Segundo o nutricionista, a crença popular de que os hidratos engordam mais, se consumidos à noite, resultam de uma "identificação cultural com as versões menos saudáveis - doces, farinhas refinadas, bebidas açucaradas e produtos ultraprocessados".

Sánchez García é, aliás, contundente quando responde "não" à pergunta sobre se, em geral, os hidratos engordam. É claro que não está a falar de refrigerantes, doces ou bolos... Refere-se, sim, a outras fontes, como a fruta, verduras e leguminosas, sendo que estas últimas, também ao invés do que era a norma, "demonstraram eficácia no controlo do peso e do apetite".

No seu estilo algo truculento, Sánchez García, 28 anos, indigna-se: "Não se pode comer fruta depois das seis da tarde?! Agora o problema é a fruta? O que deviam dizer é que as bolachas são péssimas desde o momento em que, de manhã, te levantas da cama."

Não culpemos a batata, a abóbora ou os cereais, diz o nutricionista. O problema, aponta, "é quando começamos a refiná-los para fazer subprodutos que perdem nutrientes e ficam sem fibra. Definitivamente temos um resultado mais 'doce', menos nutritivo e menos saciante".