Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A história da Volkswagen conta-se em cinco modelos no Museu do Caramulo

Ver

É uma história sobre rodas esta que se conta em cinco modelos icónicos da marca alemã que há oito décadas aceleram por aí. Para ver a partir deste sábado, 3, na exposição Volkswagen: 80 anos ao serviço do povo, no Museu do Caramulo

A carrinha 'Pão de forma' da Volkswagen é um dos veículos com maior longevidade na produção automóvel, uma vez que começou a ser produzido em 1950
1 / 5

A carrinha 'Pão de forma' da Volkswagen é um dos veículos com maior longevidade na produção automóvel, uma vez que começou a ser produzido em 1950

'Foi a simplicidade das suas linhas arredondadas que tornaram o Volkswagen 'carocha' um ícone, tendo ultrapassado as 25 milhões de unidades produzidas em todo o mundo', diz Salvador Patrício Gouveia, curador da exposição
2 / 5

'Foi a simplicidade das suas linhas arredondadas que tornaram o Volkswagen 'carocha' um ícone, tendo ultrapassado as 25 milhões de unidades produzidas em todo o mundo', diz Salvador Patrício Gouveia, curador da exposição

O Kübelwagen (carro balde) foi desenhado pelo engenheiro Ferdinand Porche e construído durante a Segunda Guerra Mundial para ser usado pelas forças militares nazis
3 / 5

O Kübelwagen (carro balde) foi desenhado pelo engenheiro Ferdinand Porche e construído durante a Segunda Guerra Mundial para ser usado pelas forças militares nazis

O Karmann-Ghia é um carro desportivo curvilíneo, cujo primeiro exemplar saiu da linha de montagem em Osnabrück, na Alemanhã, na década de 50 do século XX
4 / 5

O Karmann-Ghia é um carro desportivo curvilíneo, cujo primeiro exemplar saiu da linha de montagem em Osnabrück, na Alemanhã, na década de 50 do século XX

Apresentado na década de 70 do século passado, o Golf é o modelo mais vendido da marca alemã, superando mesmo o icónico 'carocha'
5 / 5

Apresentado na década de 70 do século passado, o Golf é o modelo mais vendido da marca alemã, superando mesmo o icónico 'carocha'

Da versão prática à mais desportiva, esta é uma narrativa em cinco capítulos, tantos quantos os modelos de veículos que contam oito décadas de história da marca alemã Volkswagen. Do famoso Käfer, o icónico “carocha”, ao “raríssimo” Kübelwagen, do desportivo Karmann-Ghia ao veloz Golf GTI, sem esquecer a carrinha Kombi, mais conhecida como “pão de forma”. É com estes cinco ícones que o Museu do Caramulo traça o percurso do gigante da indústria automóvel na exposição Volkswagen: 80 anos ao serviço do povo, para ver a partir deste sábado, 3.

“É uma exposição para assinalar os 80 anos da marca com modelos que facilmente a identificam e cobrem todas as fases da Volkswagen”. Segundo Salvador Patrício Gouveia, curador da exposição, os modelos são carros com personalidade, objetos de culto e sempre ligados a uma certa ideia de vida. Foi um longo o caminho para aqui chegar, se pensarmos que a palavra Volkswagen começou por ser usada, em 1924, pelo engenheiro alemão Josef Ganz, que procurava modernizar a indústria automóvel alemã.

Nove anos depois, em 1933, Adolf Hitler viu o projeto Volkswagen no Salão Internacional do Automóvel de Berlim e deu ordens ao engenheiro Ferdinand Porsche para desenvolver o modelo que ficaria conhecido em Portugal como “carocha”, e nos Estados Unidos e Grã-Bretanha como beetle. “Era um modelo muito à frente do seu tempo”, diz o curador sobre o carro que esteve em produção durante 70 anos com o mesmo design. “Foi a simplicidade das suas linhas arredondadas que o tornaram um ícone, tendo ultrapassado as 25 milhões de unidades produzidas em todo o mundo”.

Bem diferente é o Kübelwagen, o veículo de formas retilíneas usado pelos militares alemães durante a Segunda Guerra Mundial. Desenhado pelo engenheiro Ferdinand Porsche, neste modelo nada se fecha. “É todo desmontável, muito prático e acessível, como convém a um veículo militar”. Salvador Patrício Gouveia realça ainda que todos os carros presentes na exposição ficaram em produção durante muito tempo, sem grandes alterações. Seguiram-se o Karmann-Ghia, a célebre Kombi (“pão de forma”), que está outra vez na moda, e o Golf GTI.

Embora sem qualquer efeméride associada, mas para recordar a história “do meio de transporte mais utilizado no mundo”, inaugura também no Museu do Caramulo este sábado, 3, a exposição Bicicletas com História. É uma mostra representativa da evolução das “biclas” ao longo dos anos, que começa com dois modelos tipo Michaux, de 1869, com roda grande à frente e mais pequena atrás, passando por exemplares com banco de encosto, da marca espanhola Orbea Fúria, bem como alguns triciclos e modelos de bicicletas da portuguesa Órbita. Histórias sobre rodas que merecem uma ida até ao Caramulo.

Volkswagen: 80 anos ao serviço do povo > Bicicletas com História > Museu do Caramulo - Fundação Abel e João Lacerda > R. Jean Lurçat, 42, Caramulo > T. 232 861 270 > 3 fev-31 mai > ter-sex 10h-13h, 14h-17h, sáb-dom-fer 10h-13h, 14h-18h > €5 a €7