Irrevogável

Paulo Jorge Santos: "A PSP está doente" e Magina da Silva "não demonstra capacidade" para resolver os problemas

O presidente da ASPP/PSP, convidado desta semana do Irrevogável, mostra esperança num diálogo construtivo com o novo MAI, José Luís Carneiro. "Pelo menos, parece-nos ter uma sensibilidade diferente da do sr. Cabrita"

Irrevogável

António Correia de Campos: "O SNS tem de deixar de ser governado pelo Ministério das Finanças"

"Neste momento a fase é, sobretudo, a de tentar tapar buracos"

Irrevogável

"O que aconteceu em Pedrógão vai repetir-se. Só não sabemos quando"

Quando passam cinco anos sobre os acontecimentos de Pedrógão Grande, o presidente da AGIF - Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais alerta que "os incêndios com a dimensão e a escala de propagação" semelhante tenderão a repetir-se. Porém, Tiago Oliveira, que admite estarmos perante um "verão que vai ser complicado, "as consequências do evento não devem ser tão trágicas" como em 2017, porque desde então muito trabalho foi feito para o evitar

Irrevogável

"A violência doméstica não é uma pandemia, mas uma endemia, que está no meio de nós, vive connosco, mesmo ao nosso lado"

Daniel Cotrim, responsável pela área da violência doméstica e sexual da APAV, admite que ainda existe um "longo caminho" a percorrer no combate ao fenómeno, mas acredita que a solução está nas mãos de cada um de nós: "A violência doméstica é um assunto que diz respeito a toda a sociedade e não apenas a quem vive o problema”

Irrevogável

Aires Pereira: “Estamos no momento mais difícil da vida dos municípios desde o 25 abril”

O presidente da Câmara da Póvoa de Varzim, o social-democrata Aires Pereira chegou a ameaçar uma saída da associação liderada pela socialista Luisa Salgueiro. Mas agora aguarda a realização de um congresso extraordinário e a intervenção do presidente da Républica. E acredita que ainda há margem para que a saída anunciada do Porto não se efetive

Irrevogável

Alexandre Poço: "A prazo estão os iogurtes. A nova liderança do PSD tem de olhar para o futuro"

Crítico da liderança de Rui Rio, o presidente da Juventude Social Democrática (JSD) deposita a sua esperança no futuro presidente “laranja” eleito este sábado. Apoiante do antigo líder parlamentar, Luís Montenegro, traça, em entrevista ao Irrevogável, as reformas internas essenciais “para resolver os problemas do partido”

Irrevogável

"Cabrita tentou sacrificar o SEF para se salvar a si próprio"

Para o presidente do Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do SEF, Acácio Pereira, a greve de uma força de segurança "não é como outra greve qualquer"

Irrevogável

Ksenia Ashrafullina: "Partido Comunista russo é impotente, domesticado e do sistema"

A ativista russa Ksenia Ashrafullina acredita que, neste momento, só a força militar parece poder parar o Kremlin na invasão da Ucrânia, admitindo que as sanções - ainda que longe de tocarem o gás e o petróleo - "já começam a fazer efeito". Quanto a mudança internas na Rússia, lamenta que os comunistas, que constituem o segundo maior partido, funcionem "falsamente" como uma oposição

Irrevogável

Manuel Pizarro: "Precisamos muito de Rui Moreira para que o processo de descentralização corra bem"

Regionalista convicto, Manuel Pizarro, eurodeputado socialista e ex-vereador da Câmara do Porto, diz que Rui Moreira tem razão: as verbas para a descentralização das escolas são insuficientes. E conta como é difícil explicar na Europa que Portugal não tenha regiões administrativas. Em resumo, isto não avança, porque alguém quer que não avance…

Irrevogável

Mário Mourão: “Se a UGT quer atingir objetivos nunca pode descartar a luta na rua. E estamos preparados para isso”

O novo secretário-geral da UGT observa, porém, que a central sindical “sempre teve uma matriz de diálogo”, que espera manter, proveitoso, com Governo e na concertação social. Mário Mourão substitui Carlos Silva no cargo, mas não alinha nas (duras) críticas dirigidas, esta semana, ao seu antecessor, pelo fundador e antigo líder da UGT José Manuel Torres Couto. “Talvez tenha exagerado”, diz

Irrevogável

"Grande beneficiário dos atrasos na justiça administrativa e fiscal é o próprio Estado", aponta procurador Adão Carvalho

No dia em que se deu a abertura do ano judicial, o presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público lamentou que durante os últimos dois anos o evento não se tenha realizado por vontade política. Adão Carvalho criticou ainda os problemas de fundo que persistem no setor, entre eles os atrasos da justiça administrativa e fiscal

Irrevogável

Carlos Guimarães Pinto: "Por mim, podem ficar com os tachos todos"

Para o deputado da Iniciativa Liberal é "irrelevante" a ausência do partido na mesa da Assembleia da República e no Conselho de Estado. "Temos mais um deputado sentado no hemiciclo", reage ao chumbo de João Cotrim de Figueiredo para "vice" da Assembleia da República

Irrevogável

"As nossas empresas não podem ter condições de atuação piores do que as dos outros países"

O líder da Associação Empresarial de Portugal pede um Governo reformista, mas também de ação, capaz de agir rapidamente face aos problemas atuais, nomeadamente o custo da energia

Irrevogável

José Manuel Anes: "Treino militar e de combate na Ucrânia será, no pós-guerra, mais um problema a acrescentar aos que a extrema-direita já coloca ao mundo ocidental"

O criminologista censura a ofensiva militar russa, mas alerta que os combatentes estrangeiros ao lado dos ucranianos (e também dos russos) podem representar, no pós-conflito, riscos para a segurança da Europa e de Portugal. “Podemos estar a alimentar o monstro no seio dos nossos Países”, diz. Reagindo à morte do PSP Fábio Guerra, José Manuel Anes admite que os crimes em Portugal têm tido contornos "mais violentos e mortíferos"

Irrevogável

António Costa Pinto: "A Guerra não devia surpreender-nos"

"A expansão territorial é uma aventura de alto risco para qualquer regime autoritário"

Irrevogável

Ana Gomes: “Putin lançou este ataque porque se convenceu que os norte-americanos e os europeus têm lideranças fracas"

Ana Gomes não tem dúvidas que se nada for feito, Vladimir Putin “não vai ficar pela Ucrânia” e continuará a alargar a sua ofensiva militar aos Países vizinhos, colocando em causa a segurança da Europa e do mundo. “Já estamos na terceira Guerra Mundial”, diz a ex-eurodeputada, que apela a que UE e NATO não se fiquem pelas palavras, e passem à ação

Guerra na Ucrânia

"A ação humanitária de emergência é um paliativo. Depois é preciso atitudes de acolhimento", diz diretor da Amnistia em Portugal

Pedro A Neto congratula-se com o corredor humanitário acionado hoje, pela primeira vez, na União Europeia para facilitar a integração dos refugiados ucranianos. Mas lembra que este estatuto é apenas temporário, esperando que os países se esforcem para integrar os cidadãos que vão receber. Até agora, a resposta da União Europeia e da ONU à guerra tem sido "lenta", provando o que já se sabe sobre a segunda organização: que precisa de uma reforma interna urgente, continua o diretor da Amnistia Internacional Portuguesa

Irrevogável

"Se a Ucrânia estivesse na NATO há oito anos, não havia mortes e este sofrimento", diz presidente da associação dos ucranianos

Caso a Aliança Atlântica tivesse estendido a sua influência a Kiev, neste momento a Rússia não se aventuraria numa invasão, apontam os ucranianos a viver em Portugal, cujo presidente admite que "Putin não entrou na Ucrânia para sair, foi para ficar". Segundo Pavlo Sadokha, o Governo de António Costa já o contactou para concertar a vinda de refugiados

Irrevogável

Hugo Guinote, da PSP: "Ameaça, coação, intimidação podem ser paixão mas não são amor"

Numa semana que o País debateu o que é violência no namoro, o coordenador nacional do policiamento de proximidade da PSP, alerta que a "ameaça e coação" numa relação são sinais de alerta, que devem ser reportados às autoridades. Segundo Hugo Guinote as queixas por aquele tipo de crime têm vindo a aumentar, inclusive entre pessoas de 75 a 80 anos

Irrevogável

Líder da CGTP: "Maiorias absolutas nunca foram fator de estabilidade para os trabalhadores"

Isabel Camarinha teme por um PS que saiu das legislativas com "as mãos livres para fazer o que quiser" e alerta que uma maioria absoluta pode agravar as condições dos trabalhadores. Segundo a secretária-geral da CGTP-IN, não só a central sindical não esteve "adormecida" durante a Gerigonça, como irá manter a pressão sobre o novo Executivo socialista

Irrevogável

Marina Costa Lobo: "Podemos esperar um Marcelo mais livre"

"Apesar da liberdade para ser mais igual a si próprio, o Presidente perdeu a expectativa de contribuir para levar o seu partido de origem ao poder, num espaço temporal de dois anos