Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

'Segurança Nacional': Uma América diferente (e ainda o terrorismo)

TV

  • 333

A estreia da sexta temporada da série Segurança Nacional marca o regresso da ação aos Estados Unidos, com a narrativa num registo (ainda) mais psicológico. Para ver a partir desta quarta-feira, 18, no canal FOX

Nesta nova temporada, Carrie Mathison vai ter um novo sócio, o advogado Reda Hashem (Patrick Sabongui), e, com ele, defenderá os muçulmanos injustamente acusados de apoiar organizações terroristas

Nesta nova temporada, Carrie Mathison vai ter um novo sócio, o advogado Reda Hashem (Patrick Sabongui), e, com ele, defenderá os muçulmanos injustamente acusados de apoiar organizações terroristas

Os fiéis da série sabem-no bem: qualquer semelhança entre a realidade e o enredo de Segurança Nacional não é pura coincidência. Mas a verdade é que a realidade acabou por passar a perna ao argumento escrito por Alex Gansa e Howard Gordon. Por outras palavras, se, em vez de Donald Trump, fosse Hillary Clinton a tomar posse no próximo dia 20, a sexta temporada de Segurança Nacional (que por cá se estreia apenas três dias depois do que nos Estados Unidos) estaria a par e passo com a realidade vivida na América.

Em Segurança Nacional, a nova Presidente é Elizabeth Keane (Elizabeth Marvel), sendo que os 12 novos episódios se desenrolam, precisamente, durante os 72 dias que separam o dia da eleição e o dia da tomada de posse.

Na série, serão meses turbulentos, e Keane também desperta dramas políticos internacionais antes mesmo de assumir o cargo. Depois de uma quinta temporada passada na Europa, onde a agente da CIA Carrie Mathison (Claire Danes) estava a trabalhar para uma agência de segurança privada de Berlim, é tempo de regressar a Brooklyn. E, desta vez, Carrie vai criar uma empresa que apoia muçulmanos a morar na América, enquanto decorrem novas ameaças terroristas.

“A ameaça que enfrentamos agora são esses indivíduos radicais do ‘faça você mesmo’ e esse é um risco bem diferente do que uma narrativa do tipo 11 de Setembro. Então, escolhemos não contar uma história de ‘Nova Iorque ameaçada por uma bomba nuclear numa mala’. Este ano, o suspense existe de uma maneira mais psicológica, e estamos curiosos para saber como reagirão as pessoas”, disse o argumentista Alex Gansa, em entrevista à Entertainment Weekly.

Carrie Mathison vai ter um novo sócio, o advogado Reda Hashem (Patrick Sabongui), e, com ele, defenderá os muçulmanos injustamente acusados de apoiar organizações terroristas. Isso leva-a, de novo, a aproximar- -se de Peter Quinn (Rupert Friend), que esteve à beira da morte. Mas isso os (muitos) fiéis da série também já sabem.

Nicholas Brody (Damian Lewis) não estará totalmente ausente desta nova temporada de Segurança Nacional. O soldado americano, que se converteu ao Islão e que é pai da filha de Carrie Mathison, será recordado, afirma o produtor da série, Chip Johannenssen.

Segurança Nacional > FOX > estreia 18 jan, qua. 23h10