Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

MURO: um festival de arte urbana para derrubar barreiras

Sair

Marvila é o epicentro da segunda edição do MURO - Festival de Arte Urbana. Até domingo, 28, há visitas guiadas às obras dos artistas, workshops, exposições e concertos na freguesia da zona oriental de Lisboa

Entre os artistas portugueses convidados está GodMess (Tiago Gomes), apontado como um dos principais nomes da geração de artistas do Porto
1 / 6

Entre os artistas portugueses convidados está GodMess (Tiago Gomes), apontado como um dos principais nomes da geração de artistas do Porto

C.M.L./Bruno Cunha

A ilustradora e street artist Kruella D'Enfer (Angela Ferreira) participa na segunda edição do Festival MURO
2 / 6

A ilustradora e street artist Kruella D'Enfer (Angela Ferreira) participa na segunda edição do Festival MURO

C.M.L./Bruno Cunha

O writer português LS vive no bairro de Marvila e é membro da AK Crew
3 / 6

O writer português LS vive no bairro de Marvila e é membro da AK Crew

C.M.L./Bruno Cunha

Junto à Biblioteca de Marvila fica o trabalho do espanhol Zësar Bahamonte, um dos cinco artistas internacionais convidados para a segunda edição do festival MURO
4 / 6

Junto à Biblioteca de Marvila fica o trabalho do espanhol Zësar Bahamonte, um dos cinco artistas internacionais convidados para a segunda edição do festival MURO

CML/Bruno Cunha

Da Colômbia veio Gleo
5 / 6

Da Colômbia veio Gleo

C.M.L./Bruno Cunha

Para o trabalho com os residentes de Marvila, a Galeria de Arte Urbana convidou o venezuelano Flix que esteve um mês em residência artística no bairro
6 / 6

Para o trabalho com os residentes de Marvila, a Galeria de Arte Urbana convidou o venezuelano Flix que esteve um mês em residência artística no bairro

C.M.L./Bruno Cunha

São sinónimo de afastamento, mas os muros podem também servir para quebrar barreiras. E este MURO – Festival de Arte Urbana Lx que se volta a erguer em Lisboa, desta vez em Marvila, nasceu para isso mesmo. “Queremos criar novos polos culturais através da arte urbana e enriquecer um território que normalmente não acolhe este tipo de atividades”, explica Inês Machado, coordenadora da Galeria de Arte Urbana (GAU), entidade que organiza o festival, com a Junta de Freguesia de Marvila e as Bibliotecas de Lisboa.

Em ano de Lisboa, Capital Ibero-Americana de Cultura, a segunda edição do MURO celebra a identidade cultural destes países. E junta os portugueses Godmess, Hazul, Kruella d’Enfer, Miguel Brum e LS (AK Crew) com a colombiana Gleo, o brasileiro Kobra, o equatoriano Steep, o espanhol Zesar Bahamonte e o mexicano Cix Mugre. A lista dos 15 artistas fica completa com os vencedores do concurso para outras cinco intervenções nas empenas dos edifícios: Alecrim (Portugal), Coletivo Medianeras (Argentina), Jhon Douglas (Brasil), Krammer (Brasil) e The Caver (Portugal).

Para o trabalho com a comunidade juvenil, a GAU convidou o arquiteto venezuelano Flix, que está a trabalhar com os moradores de Marvila em “telas” mais pequenas, como os balneários municipais junto à Feira do Relógio. Pelas ruas de Marvila, vai andar a Orquestra Original Bandalheira, a convidar à participação nas visitas guiadas e workshops gratuitos. E estão, ainda, marcados concertos de Noiserv e DJ Riot (sex e sáb 18h, nas plataformas usadas pelos artistas) e dos Paus com João Carvalho, músico do bairro conhecido por Baterista (dom 16h, Escola Básica de Marvila).

É à volta da nova Biblioteca Municipal de Marvila – equipamento cultural âncora da zona oriental de Lisboa – que decorre o festival MURO. Ali haverá uma exposição coletiva da Underdogs, conversas, debates, sessões de cinema e dança.

MURO - Festival de Arte Urbana > Marvila, Lisboa > até 28 mai, qui-dom 10h-19h > grátis