Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

O restaurante A Pastorinha continua a ser um clássico na marginal de Cascais

Comer e beber

Há pequenas mudanças no restaurante da Linha de Cascais: A Pastorinha está mais elegante e na ementa, dedicada aos sabores do mar, há mais pratos de marisco. O ambiente e o serviço mantêm-se

O clássico restaurante da Linha de Cascais mudou de proprietários mas conservou o bem-servir de sempre

O clássico restaurante da Linha de Cascais mudou de proprietários mas conservou o bem-servir de sempre

Marcos Borga

Parece que recuamos no tempo, ao glamour de antigamente, quando entramos no restaurante A Pastorinha, na Praia de Carcavelos, em Cascais. Repara-se no piano de cauda que todas as noites, e aos almoços de domingo, dá música ambiente. Também não deixamos de notar o serviço impecável, com os funcionários a comunicar entre si com um simples olhar. E muito menos se ignora a vista de mar, seja da sala seja da varanda, protegida do vento, mas aberta à brisa e à maresia.

Desde que passou de simples bar a restaurante, há mais de três décadas, que ali se faz um serviço à inglesa. “E como em equipa vencedora não se mexe, quisemos manter a excelência e o profissionalismo”, explica Vasco David, atual diretor d’A Pastorinha que continua a ser um clássico da Marginal. Também há serviço de babysitting (sáb-dom, 13h-17h), e parque de estacionamento exterior com voiturier, fica a nota.

Os peixes e mariscos continuam a ser a especialidade do restaurante

Os peixes e mariscos continuam a ser a especialidade do restaurante

Quem for cliente habitual – e são muitos os que ali são tratados pelo nome – apercebe-se das pequenas alterações que foram feitas com a mudança de proprietários, pertencendo desde março ao grupo Sana. As paredes estão pintadas de branco, há candeeiros novos e retiraram-se os panos do teto. “Demos uma certa elegância e frescura à sala”, refere o diretor. Na ementa, especializada em peixes e mariscos, preparada pelo chefe João Almeida, também se encontram novidades, principalmente na categoria dos mariscos. Agora, para lá das lagostas e dos lagostins, que se podem ver no aquário, há também caranguejo do Alasca, camarão de Espinho, gambas-tigre, ostras, entre outras variedades, servidas ao natural ou incluídas, por exemplo, no arroz de marisco descascado.

Na hora do pedido, sugerem-nos o cavaco dos Açores cozido (semelhante a uma lagosta), que vamos acompanhando com pão torrado e um copo de vinho branco bem fresco. Num olhar atento pela sala, constata-se que tudo sai da cozinha em carrinhos, desde os pratos principais até às sobremesas. E é assim que escolhemos, à mesa, o prato seguinte: uma dourada numa “casquinha” de pão crocante. O peixe é escalado, retira-se a espinha e depois é envolto no pão. A seguir vai ao forno. Também há algumas sugestões de carne, como o lombo de novilho ou a carne maturada na grelha, e para rematar a refeição, boa doçaria tradicional portuguesa. É bom ser recebida com esta delicadeza e, no final, ainda sair com uma flor na mão.

A Pastorinha > Av. Marginal, Praia de Carcavelos, Cascais > T. 21 457 1892 > seg-dom 11h-23h