Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

No restaurante BouBou’s, no Príncipe Real, come-se com os olhos

Comer e beber

O novo restaurante do Príncipe Real tem um dos pátios mais apetecíveis da cidade, mas esse não é o seu único segredo

O pátio do restaurante, protegido do rebuliço do bairro, convida a ficar sem horas, até porque o menu é servido durante todo o dia
1 / 7

O pátio do restaurante, protegido do rebuliço do bairro, convida a ficar sem horas, até porque o menu é servido durante todo o dia

Francisco Nogueira

Na zona de bar, logo à entrada, pode beber-se um copo antes do jantar ou ficar-se apenas por aqui
2 / 7

Na zona de bar, logo à entrada, pode beber-se um copo antes do jantar ou ficar-se apenas por aqui

Francisco Nogueira

3 / 7

Francisco Nogueira

4 / 7

Francisco Nogueira

Os pratos go big or go home, para partilhar, são uma das curiosidades da carta. Aqui, o kebeb de cordeiro com pão de pita e condimentos orientais
5 / 7

Os pratos go big or go home, para partilhar, são uma das curiosidades da carta. Aqui, o kebeb de cordeiro com pão de pita e condimentos orientais

Francisco Nogueira

O tártaro de novilho com salada de ervas
6 / 7

O tártaro de novilho com salada de ervas

Francisco Nogueira

As gambas grelhadas com gengibre e koshu
7 / 7

As gambas grelhadas com gengibre e koshu

Francisco Nogueira

Atravessamos a pequena porta do BouBou’s, no Príncipe Real, e é como se entrássemos num sítio só nosso. As cores fortes guiam-nos pelos recantos do restaurante: há um bar onde se espera por mesa ou se bebe um copo ao fim do dia, um balcão com vista para a cozinha orientada pelo chefe Tiago Duarte e um pátio exterior que pede tardes prolongadas à volta das mesas de mármore. “Queríamos que o menu estivesse disponível todo o dia, sem tirar nem pôr, o que é um grande desafio”, explicam Agnes, húngara, e Alexis Bourrat, luso-francês, que chegaram a Lisboa apaixonados pela cidade, pelo bairro, pela ideia de um futuro mais calmo. Sorriem de orelha a orelha ao explicar que “a comida pode ser entretenimento e sofisticação” sem ser solene, por isso aqui pensa-se algures no meio – entre a simplicidade de uns croquetes de coelho e uns inesperados marshmallows de tapioca (ambos €4). Mas voltemos atrás, ao princípio de uma história que, naturalmente, envolve uma ligação especial à comida. Agnes e Alexis Bourrat conheceram-se em Londres – ela trabalhava na cadeia Mandarin Oriental, ele no Chiltern Firehouse, do português Nuno Mendes. Aprenderam que receber bem é a alma do negócio e encontraram em Lisboa o lugar certo para concretizar o restaurante que há muito tinham na cabeça. Com a ajuda de Joris Lemaire, gerente, e de Liliana Moura, responsável pela sala, assim nasceu o BouBou's.

A carta é feita de pratos a que apetece regressar uma e outra vez. Nas entradas, que podem transformar-se em pratos principais, destaque para a salada de quinoa, agrião e morangos (€8/€14), cheia de camadas de sabores. Já os pratos “go big or go home” são feitos para partilhar e pôr a mão na massa, “comida elaborada, mas que transformámos de forma a encher a mesa”, explicam. São eles o kebab de borrego (€42/€84) e o polvo com batata-doce (€44/€64), que se juntam a propostas como o parpadelle com sapateira (€19) e a couve-flor grelhada com trufas de verão (€14), um prato que levou tempo a aperfeiçoar, contam. Nas sobremesas, vale mesmo a pena pedir os queijos da queijaria Maître Renard, em Campo de Ourique ,ou a colorida pavlova de cerejas (€4), perfeita para uma noite de verão.

BouBou's > R. Monte Olivete, 32A, Lisboa > T. 21 347 0804 > ter-sáb 12h-23h