Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

As 13 novas mesas do Porto que merecem mesmo uma visita

Comer e beber

Da cozinha portuguesa e de autor com produtos da época, aos sabores da Ásia e da América do Sul, eis 13 novos restaurantes que, nos últimos meses, abriram no Porto

Florbela Alves e Joana Loureiro

No Almeja, a gastronomia é elaborada, feita com produtos portugueses e de época

No Almeja, a gastronomia é elaborada, feita com produtos portugueses e de época

1. Almeja

Já não se vende café do Brasil na mercearia antiga que João Cura e a mulher, Sofia Amaral Gomes, transformaram num restaurante de cozinha de autor. Próximo do Mercado do Bolhão, o Almeja não podia ter outro nome. Talvez porque fosse “uma ânsia” o regresso a Portugal, depois de o chefe de 29 anos, natural de Coimbra, ter passado os últimos tempos em Barcelona, em restaurantes como o Dos Cielos, o Cinc Sentits e o Monvinic.

A carta – que vai sendo alterada consoante a época – procura dar “sempre ênfase ao produto, ao ingrediente”, sublinha João Cura. Nos próximos meses, poderá contar com criações gastronómicas em que entram legumes e fruta da época: curgete, melancia, beldroegas, feijão-verde, cerejas do Fundão, tomates, ameixas ou milho. Quer opte pelo menu de degustação (€55) ou pela escolha à carta, o chefe serve sempre um amuse-bouche – um snack de tripa de bacalhau frita com alho negro ou uma madalena de linguiça com gel de maçã. Convém lembrar que o pão, servido no couvert, é caseiro e de fermentação lenta. Os produtos são na sua maioria portugueses e podem vir de qualquer ponto do País – como a cabeça de xara, feita pela dona Octávia na vila de Cano, perto de Sousel, servida sobre uma tosta com maçã e vinagre (€5). Arroz carolino do Mondego (€18), crustáceos com cereja do Fundão e funcho (€17,50) ou porco bísaro com espargos, pimentos 
e sarapatel (€18,50) estão prestes a entrar na carta de verão. R. Fernandes Tomás, 819, Porto > T. 22 203 8120 > ter-sáb 12h30-15h, 19h30-23h

O Mistu está na rota da Ásia e da América do Sul

O Mistu está na rota da Ásia e da América do Sul

Lucilia Monteiro

2. Mistu

Comecemos com uma (boa) notícia: o Mistu vai crescer, lá para agosto, para a loja do lado. Prova de que o restaurante com dois pisos, aberto numa antiga serralharia do centro histórico do Porto, tem tido sucesso. A cozinha orientada pelo chefe Rui Mingatos concilia pratos para partilhar, com referências à Ásia e à América do Sul, com produtos que os portugueses reconhecem. Entre os mais pedidos está o ceviche de peixe branco, a “causa” de caranguejo de casca mole e abacate, o polvo com batata-doce e ovo a baixa temperatura e a picanha uruguaia e, nas sobremesas, o fondant de dulce de leche. R. do Comércio do Porto, 161, Porto > T. 92 668 2620 > seg 20h-23h30, ter-sex 12h30-15h, 20h-23h30, sáb 13h-15h30, 20h-24h

A Brasileira aposta na cozinha portuguesa mais experimental e está a cargo do chefe Rui Martins

A Brasileira aposta na cozinha portuguesa mais experimental e está a cargo do chefe Rui Martins

Lucilia Monteiro

3. A Brasileira

Desde março, não tem sido só a reabertura do centenário café A Brasileira (1903) 
a suscitar a curiosidade 
de quem passa na Rua Sá 
da Bandeira e se recorda 
de ali comprar café acabado de moer. Também o hotel de cinco estrelas e o restaurante – na sala ao lado do café, onde se continua a entrar pela bonita porta com um para-sol de vidro – chamam 
a atenção. O chefe de cozinha, Rui Martins, não poderia esquecer o passado deste lugar e inspirou-se, pois, no receituário português para desenhar uma carta que, após alguns ajustes, foi agora finalizada.

Inclui sugestões como lombo de bacalhau com cebola e azeitonas (€12) – “uma reinterpretação da punheta de bacalhau” –, tártaro de atum com massa de azevias crocantes (€12), bacalhau à Brás com gema confitada (€12), arroz negro com lulas (€14) ou o típico prego no pão, aqui servido em bolo do caco com manteiga dos Açores e salsa (€14). “O pão vai ao lado para que o cliente possa compor a própria sanduíche”, nota Rui Martins, sublinhando o carácter descontraído do restaurante, onde nem as tradicionais tripas à moda do Porto, a salada-russa com peixe do dia e a sopa de robalo foram esquecidas. Após o jantar, basta passar a porta e entrar no café que mantém a decoração original do início do século XX e, à noite, 
se transforma em bar 
com uma carta de cocktails. Hotel Pestana Porto 
– A Brasileira > R. Sá da Bandeira, 91, Porto > T. 22 531 1000 
> seg-dom 12h20-15h30,
 19h30-23h

Elogio à boa comida tradicional portuguesa no restaurante Carlos Alberto

Elogio à boa comida tradicional portuguesa no restaurante Carlos Alberto

Lucilia Monteiro

4. Carlos Alberto

É uma casa portuguesa, apetece logo escrever sobre o Carlos Alberto, regressado, há poucos meses, à praça com o mesmo nome, depois de ter estado dez anos fechado. Seja pelos pratos pintados à mão na parede, pelos azulejos a revestir o balcão e pelo chão de calçada portuguesa, seja, sobretudo, pelos pratos da cozinha portuguesa que Patrícia Vasconcelos e o irmão, Anselmo, recuperaram do antigo restaurante que os pais ali tiveram durante duas décadas. Como o bacalhau com broa e salpicão com grelos (€16,50), o polvo à lagareiro (€16,50), o bife com queijo da serra (€15,50) e, em breve, o bife de atum. Pç. Carlos Alberto, 89, Porto > T. 22 201 6618 > seg-qui 12h-15h, 19h-22h, sex-sáb 12h-15h30, 19h-23h30

Depois de Aveiro, o Subenshi também abriu num edifício cheio de História no Porto

Depois de Aveiro, o Subenshi também abriu num edifício cheio de História no Porto

Lucilia Monteiro

5. Subenshi Porto

Tem vista para o Jardim da Cordoaria, o Subenshi que, antes de chegar ao Porto, 
já multiplicava fãs em Aveiro. Desde março que a casa de três andares e tetos altos em estuque, onde Bernardo Embaixador arriscou abrir o restaurante japonês, se enche por quem gosta de se aventurar nos pratos de fusão (menus a partir €19,95/16 unidades), sashimi, hosomaki, nigiri, gunkans, temakis e yakisobas (massas salteadas). Vale a pena experimentar as sobremesas: o parfait teriaky (semifrio de nata com aroma de bolacha), o bashi ló (mini-pão de ló húmido envolvido em hóstia) ou os gelados artesanais Benareli (vêm 
de Aveiro e há um de ovos-moles). Quase pronto está o bar no rés do chão, onde, entre o meio-dia e a meia-noite, serão servidas tapas japonesas, ramen e cocktails à base de saké. Pç. Parada Leitão, 13, Porto 
> T. 96 409 7707 / 96 409 7452 
> ter 19h30-23h, qua-qui 12h-16h, 19h30-23h, sex-sáb 12h-16h, 19h30-24h, dom 12h-16h

E AINDA:

6. Clube 21
O irmão mais novo da casa quarentona abriu na Baixa, como bar, restaurante e cervejaria, renovando o estilo britânico da decoração, mas mantendo os clássicos da carta: rosbife à inglesa, cozido à portuguesa e duo de pregos. As francesinhas e os cachorros são estreias. R. Passos Manuel, 34, Porto 
> T. 22 092 3984 > seg-dom 12h-2h

7. The Flaviis
A decoração do restaurante presta homenagem às origens romanas da cidade de Chaves, de onde são naturais os proprietários. Durante o dia, servem brunch, com panquecas, tostas, saladas e sumos de fruta, feitos na hora. À noite, o foco é a carne barrosã certificada. R. de Cedofeita, 12, Porto > T. 22 208 007421 > ter-dom 10h-23h

8. Il Pizzaiolo
A forneria de inspiração napolitana instalou-se na Baixa do Porto e às pizzas de massa fina, em maioria, juntou sugestões como o risoto trufado e o linguine nero e gambi. Para acompanhar há sangria de pera e canela. R. Cândido dos Reis, 18, Porto 
> T. 22 205 5071 > seg-dom 12h-24h

9. Nogueira’s
As carnes na grelha são a especialidade, com acompanhamentos originais como palitos de polenta ou puré de brócolos. Entre as sobremesas, refira-se o grand gâteau de Toblerone para partilhar. A decoração 
é assinada por Paulo Lobo. R. de Ceuta, 23, Porto 
> T. 91 518 1515 > dom 13h-15h, seg-qui 12h-15h, 20h-23h, sex-sáb 12h-15h, 20h-23h45

10. Vogue Café
É o primeiro restaurante na Europa Ocidental com a marca da conhecida revista de moda. A decoração é de Paulo Lobo e o cardápio de Gil Raposo, chefe que trouxe influências da Ásia. Da cozinha, aberta todo o dia, saem sugestões saudáveis e com ingredientes da época. Hotel Infante Sagres > R. de Avis, 10, Porto > T. 22 339 8550 > seg-
-qui, dom 11h-1h, sex-sáb 11h-2h

11. Fábrica de Cervejas Portuense
As mesas do bar-restaurante estão dispostas entre caldeiras e tanques de fermentação de produção 
da cerveja Nortada. 
A ementa inclui prego no pão e bruschettas, além de pratos para partilhar, como filetes de bacalhau e costeletão. R. Sá da Bandeira, 210, Porto 
> T. 22 018 1000 > ter-sáb 10h-2h

12. Lhau! Lhau! Maria!
O desafio de tratar o bacalhau, da barbatana à espinha, foi assumido pela chefe de cozinha Catarina Martins, que aqui desconstrói receitas tradicionais e apresenta criações suas, como o ceviche 
e a massada.
R. Dr. Ricardo Jorge, 67, Porto 
> T. 22 205 7869 > seg-sáb 12h-15h30, 19h-23h

13. Vaccarum
Nesta steakhouse, a brasa está sempre acesa e a carne pronta a sair. Na ementa constam ainda petiscos, como caldo-verde, pataniscas, alheira e francesinha. R. Fernandes Tomás, 839, Porto 
> T. 22 112 7181 > seg-qui, dom 11h30-24h, sex-sáb 11h30-1h30