Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

A Fábrica de Cervejas Portuense, que produz a Nortada, abriu um restaurante

Comer e beber

Os produtores da marca regional Nortada criaram um bar e um restaurante dentro da fábrica, para promover a cultura cervejeira

Tiago Talone e Pedro Mota lançaram a marca Nortada em abril de 2017, mas sempre acreditaram que a criação de um bar e de um restaurante no edifício da Fábrica de Cervejas Portuense, no coração do Porto, era essencial

Tiago Talone e Pedro Mota lançaram a marca Nortada em abril de 2017, mas sempre acreditaram que a criação de um bar e de um restaurante no edifício da Fábrica de Cervejas Portuense, no coração do Porto, era essencial

Lucilia Monteiro

Não estão na liga das grandes marcas de cerveja nem tão-pouco se identificam com os produtores artesanais. 
O campeonato da Fábrica de Cervejas Portuense é outro e, por enquanto, está concentrado no Norte do País, aliando à qualidade da matéria-prima a capacidade e o rigor da produção. Tiago Talone, licenciado em Marketing, e Pedro Mota, formado em Microbiologia, de 34 e 36 anos, conheceram-se durante o estágio profissional na Unicer, empresa com a qual o primeiro mantinha fortes ligações (o avô lançou a Super Bock). Ambos sentiam estar na hora de avançar com um projeto que promovesse 
a cultura cervejeira, pouco explorada em Portugal. “As microcervejeiras têm vindo a conquistar terreno em todo o mundo”, sublinha Tiago. Lançaram a marca Nortada a 7 de abril de 2017, mas sempre acreditaram que a criação de um bar e de um restaurante, no mesmo edifício da fábrica, no coração do Porto, era essencial como ferramenta de comunicação. No passado dia 15 de fevereiro, este bar-
restaurante abriu finalmente as portas ao público.

À entrada, um longo balcão recebe os clientes. No interior, estão várias salas, com as mesas dispostas entre as caldeiras, os tanques de fermentação e o laboratório da empresa. De umas janelas assiste-se ao processo de fabrico, concentrado no piso inferior, e a ideia será organizar, no futuro, visitas guiadas com a explicação de todas as etapas. Na carta, as estrelas são os cinco tipos de cervejas (Porto e Vienna Lager, Brown Porter, India Pale Ale e Imperial Stout, mais uma ou outra edição limitada), com o perfil, grau alcoólico e escala de amargor devidamente descritos. À volta destas construiu-se a ementa. Há snacks como prego no pão, bruchetas e hambúrgueres, além de pratos para partilhar, como cubos de queijo fritos (€4,50), filetes de bacalhau (€7), bife oriental (€8), caris (de frango, legumes e de gambas, entre €6 e €9) ou um valente costeletão (€60), a sugestão mais cara de um “espaço democrata”, descreve Tiago. A toda a hora pode-se pedir azeitonas, amendoins, tremoços ou tábuas de queijos e enchidos. Estão também à disposição garrafas de dois litros (a partir de €10,50), para encher na altura e levar para casa a cerveja acabada de fazer. Estupidamente fresca, pois claro.

Lucilia Monteiro

Na loja da Fábrica de Cerveja Portuense vende-se a Nortada, merchandising (copos, t-shirts, bandejas) e outros produtos associados ao Norte, desde livros turísticos sobre o Porto a bolachas da Paupério.

Fábrica de Cervejas Portuense > R. Sá da Bandeira, 210, Porto > T. 22 018 1000 > ter-sáb 10h-02h