Visão Sete

Siga-nos nas redes

Perfil

L'Anisette: De Nice, com amor

Comer e beber

  • 333

Christian Calmeau e Nataly Renau trocaram a cidade francesa na Côte D’Azur por Lisboa e com eles trouxeram a cozinha niçoise

O segredo está no grão-de-bico, lê-se nos individuais postos nas mesas. Com o dito grão decoram-se também os candeeiros e há pacotes de farine de pois chiche espalhados nas prateleiras. Vêm de Annot, na região dos Alpes da Alta Provença, “onde fica o último moinho a produzir a farinha de grão-de-bico e que em Portugal ninguém a faz”, conta Christian Calmeau, proprietário do L’Anisette, na Rua de São Bento, em Lisboa. É com este ingrediente que o francês prepara a socca, uma espécie de panqueca que vem à mesa cortada em pedaços e se come, à mão, com pimenta. “É comida de pescadores, servia para os aquecer e dar força quando voltavam a terra”, afirma Christian. “Nós gostamos de comê-las quentes e com muita pimenta, mas já percebi que os portugueses preferem-nas menos apimentadas”.

Christian e a sua mulher, Nataly, são de Nice, onde já tinham um restaurante, e há um ano decidiram mudar-se para Lisboa, cidade que já conheciam bem de várias temporadas de férias. “A vida aqui é mais tranquila, o clima também é parecido com o nosso e, além disso, vocês, portugueses, são muito amáveis”, diz. Para o L’Anisette, aberto há três meses, Christian trouxe algumas das especialidades da cidade do sul de França. Além da socca, que se come como entrada, a ementa inclui a salada niçoise (com cebola, tomate, ovo, aipo, atum, manjericão, pimentões, azeitonas, rabanete e anchovas, €7), a pissaladière (um pão fino com cebola cozinhada lentamente, anchovas e azeitona, €5) e o pan bagnat (que mais não é do que a salada niçoise servida no pão, €6). “Tudo é preparado diariamente, por isso optámos por uma ementa que tem o essencial da nossa cozinha. Simples e bom, é o mais importante”, acrescenta Christian, que ainda já vai percebendo o português e arranhando umas palavras. À hora do almoço, a oferta complementa-se com o que está escrito na ardósia, como tartes várias do dia. Já para qualquer coisa ao fim do dia ou ao jantar, há uma lista de petiscos para partilhar – tábuas de queijos ou enchidos franceses e portugueses (€15), pimentos em azeite (€3), puré de azeitona preta e verde (€3) ou camembert derretido no forno e baguete (€10), ainda quentinha a sair da segunda fornada do dia, que se acompanha com um copo de vinho ou uma cidra. E se ficar indeciso na hora de escolher, pode sempre optar pela tábua L’Anisette (€18), junção do melhor que se faz por aqui.

" "

L’Anisette abre às oito da manhã para os pequenos-almoços. Ainda quentinhas estão as baguetes, os croissants franceses (€1,60) e o pain au chocolat (€1,80), feitos de massa folhada só com manteiga e a soltar muita migalha, como estes devem ser

L'Anisette > R. S. Bento, 30, Lisboa > T. 21 073 6786 > ter-sáb 8h-24h, dom 8h-14h