Ricardo Araújo Pereira

Ricardo Araújo Pereira

Humorista
Boca do Inferno

A minha quarentena é melhor que a tua

No Decameron, conta-se que dez jovens se refugiam da peste negra e, durante dez dias, contam cem histórias uns aos outros. Eu estou de quarentena há quase três semanas e ainda não ouvi história nenhuma. Já ouvi reprimendas, gritos e lamentos. Histórias, nada

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

Sangue, suor e likes

Situações como a que estamos a passar trazem ao de cima o melhor das pessoas. 
E, felizmente para mim, também o pior

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

O fim da civilização e o rabo

A Covid-19 ameaça acabar com a civilização tal como a conhecemos e o primeiro pensamento da raça humana vai para o rabo

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

Sobre a impossibilidade de existir

É perigoso falar, seja de que maneira for, e também é problemático estar calado

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

O rapaz que gritou coronavírus

Ninguém nega que haja um ou outro cérebro feito em papa, como algumas decisões recentes da Humanidade parecem revelar, mas a carne de vaca, em princípio, tem menos responsabilidades no assunto do que os smartphones e as redes sociais

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

O Marega joga nosso

Quando alguém, na bancada, começa a imitar um gorila, realmente fica óbvio para todos que há um símio no estádio. Não está é no relvado

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

Cidade mulher da minha carestia de vida

Se é mais fácil arrendar casa em Barcelona, arrendemos casas em Barcelona – e continuemos a trabalhar em Lisboa. Este é o meu plano: vamos morar para Barcelona e todos os dias compramos um bilhete numa low cost de ida e volta para Lisboa. Chegamos de manhã à Portela, provavelmente gastando menos tempo e menos dinheiro em transportes

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

Agarra, que não tem o passe

Esquecer-se de um documento em casa vale uma violenta detenção; agredir barbaramente uma pessoa passa impune, e não há um agente com gosto por rebolar no chão que apanhe o bandido. Somos uma sociedade com uma noção de justiça um pouco estranha

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

What’s in a Chicão?

O facto de não haver mulheres na direcção do Chicão, até ver, não passa de coincidência. Enquanto não o ouvirmos cantar, com alma e sentimento, “Eu tive um cavalo ruço / que se chamava Gingão”, não devemos precipitar-nos para juízos definitivos

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

O Banco de Portugal não regula bem

Enquanto entidade reguladora, o Banco de Portugal tem alguns problemas. Designadamente, o facto um pouco problemático de não regular nada

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

O cão comeu-me o Código Penal

Talvez haja energúmenos que são eternos insatisfeitos, e fiquem desapontados com a dimensão dos hematomas que provocam. Nesse caso, talvez se possa dizer que, de facto, é difícil saber se um agressor, agredindo, cumpriu o propósito de agredir

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

Quando o mar bate na rocha quem se lixa é o Iraque

Aquela ideia da borboleta que bate as asas em Chicago e provoca um tornado em Tóquio, nunca consegui confirmar – embora defenda que, à cautela, se devia descobrir e matar essa pérfida borboleta. Mas que o Iraque começa a estoirar quando há impeachment na América, isso é um facto cientificamente comprovado

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

Odiar como Jesus odiou

Os mais fervorosos defensores de Jesus, ao que parece, não conhecem Jesus

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

No ano 2020

No princípio do século passado, começámos a olhar para a grande tela do cinema. Depois, a meio do século, passámos a olhar para a tela da televisão. E agora, no início deste século, olhamos para a tela do telemóvel

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

Ebenezer Centeno

Uma primeira leitura do orçamento do Estado parece indicar que, na próxima semana, Mário Centeno vai ser visitado pelo fantasma do Natal passado, pelo fantasma do Natal presente e pelo fantasma do Natal futuro. É isso que costuma acontecer a uma pessoa que é forreta nas vésperas do Natal

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

Arte rica em magnésio

A peça de arte chamada Comedian, que consiste numa banana colada à parede com fita adesiva, merece uma profunda reflexão. Infelizmente, eu não sou capaz de a fazer

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

Sevícia Nacional de Saúde

Mário Centeno tem evitado investir no SNS porque desconfia, e com razão, de que os doentes querem gastar tudo em drogas. São drogas legais, mas são drogas

Ricardo Araújo Pereira
Boca do Inferno

Sexta-feira negra santa

Um dos aspectos mais intrigantes da Black Friday é que nenhuma loja se tenha lembrado ainda de construir uma tribuna na qual um imperador romano faz o sinal de polegar para cima ou para baixo

Ricardo Araújo Pereira
Opinião

Litigância do lítio

Precisamos de um poeta que cante o lítio como ele merece ser cantado. Que exalte as propriedades do metal que vai salvar-nos, depois de o computador Magalhães ter tentado, sem sucesso – provavelmente, por não ter bateria de lítio

Ricardo Araújo Pereira
Admirável mundo Glovo
Boca do Inferno

Admirável mundo Glovo

A humanidade não gosta de calor humano mas gosta de frieza humana. Nada contra o contacto com outros seres humanos, desde que seja à distância

Ricardo Araújo Pereira
Na margem sul, toujours!
Boca do Inferno

Na margem sul, toujours!

Em princípio, todos os aviões vão ser obrigados a aterrar em ponto morto. As aeronaves que se dirigirem para aquele aeroporto terão de ir mascaradas de cegonha, para não atemorizar a avifauna local

Ricardo Araújo Pereira