O novo museu de Álvaro Siza Vieira na China para conhecer aqui

“Um Museu deve ser grande, no interior. Um Museu tem de ser brilhante, no interior.” Foi com estas palavras que o recém-inaugurado Museu de Arte e Educação foi apresentado por Carlos Castanheira, arquiteto português que assinou o projeto juntamente com Álvaro Siza Vieira – a quarta investida da dupla na China. O edifício é um projeto de um grupo privado daquele país – o Huamao Group – e o convite surgiu depois de o seu presidente, Xu Wanmao, ter visitado o Museu de Arte Contemporânea, que Siza Vieira desenhou para a Fundação Serralves, no Porto.

Erguido em Ningbo, uma das cidades mais antigas do país – em tempos paragem principal da Rota da Seda – o betão inconfundível daquele que é considerado um maestro da arquitetura em todo o mundo tem cerca de 6 mil metros quadrados. Mas essa é só uma das suas particularidades: por exemplo, em vez de escadas, o edifício de 25 metros de altura tem uma rampa sem barreiras a ligar os seus cinco andares, e é iluminado apenas por janelas situadas no rés-do-chão e no topo do museu. De uma aparência externa austera, mas sinuosa, e de disposição triangular, convida os seus visitantes a contorná-lo (e a apreciá-lo….) até à porta e só depois são conduzidos por um corredor estreito até ao espaço de altura total, o chamado coração do edifício, onde as paredes brancas ampliam a luz que vem de cima.

“O Museu de Arte e Educação é um pequeno museu que é imenso no seu interior”, continuou Carlos Castanheira, citado pelo site Archdaily, insistindo que “a calma introspetiva dos espaços contrasta depois com o movimento dos visitantes que por ali circulam” – e que esse é “o verdadeiro motor da arquitetura”. “O tamanho não importa, o que um museu deve ter é uma grande alma”, rematou, na inauguração do edifício que, como se vê, é fundado sobre as características que distinguem os dois criativos: betão, uma utilização única de aberturas e uma atenção particular ao jogo de luzes.

Falta só dizer que esta é já a quarta investida conjunta de Carlos Castanheira e Álvaro Siza Vieira na China,

A colaboração de Carlos Castanheira e Álvaro Siza Vieira foi iniciada em 2005 com a construção de um pavilhão na Coreia do Sul. É graças a eles que há um “Edifício sobre a água”, nome da construção de Huai’an, o Mausoléu Chia Ching, em Taiwan e ainda o Museu Bauhaus em Hangzhou, China.

Até 28 de novembro, usufrua de descontos fantásticos nas suas revistas favoritas. Aproveite já esta promoção com descontos até 67%. 

A campanha BLACK FRIDAY já começou

Assinar agora

Mais na Visão

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Mais 1.635 casos, 13 mortes e 45 novos internamentos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 1.635 casos confirmados de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 13 mortes atribuídas à covid-19, bem como mais 45 pessoas internadas por covid

Marinha | Muões Exame Informática
Exame Informática

Marinha dos EUA testa sistema de localização que dispensa satélites

Investigadores propõem a utilização de muões como uma alternativa tão precisa quanto o sistema GPS atual

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Investigador do INSA apela à calma em relação à nova variante Ómícron

O investigador do INSA João Paulo Gomes apelou hoje à calma em relação à nova variante Ómícron do coronavirus, afirmando que são precisos dados consistentes para uma "conclusão mais séria"

Bolt | Trotinetes Exame Informática
Exame Informática

Bolt lança funcionalidade que impede o uso de trotinetes e bicicletas sob efeito de álcool

O novo sistema testa se o utilizador está alcoolizado, impedindo-o de desbloquear a trotinete ou bicicleta elétrica se for o caso

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Em anteriores crises de saúde pública, as máscaras não foram contestadas. Investigadores apresentam três teorias para justificar a atual controvérsia

A obrigatoriedade do uso de máscaras é para alguns uma medida controversa - mas se em crises de saúde pública anteriores, o uso de máscara não foi contestado, o que explica o debate em seu torno hoje em dia?

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Pandemia baixa esperança de vida aos 65 anos em Portugal

A esperança de vida aos 65 anos é hoje de 19,35 anos, menos quatro meses face às estimativas de 2018-2020, revelou o Instituto Nacional de Estatística

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Portugal é o 7.º país europeu com menos novos casos diários por milhão de habitantes

Portugal é o sétimo país da União Europeia com menos novos casos diários de contágio por SARS-CoV-2 por milhão de habitantes nos últimos sete dias

Toshiba Canvio 2TB Exame Informática
Exame Informática

Descontos que valem a pena: Disco externo Toshiba Canvio Advance 2 TB

É a oportunidade ideal para aumentar a capacidade de armazenamento e arrumar a sua vida digital

Visão Saúde
VISÃO Saúde

Covid-19: Treze casos da Ómicron em Portugal não são exclusivamente jogadores, esclarece DGS

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, esclareceu hoje que os 13 casos confirmados da Ómicron em Portugal não são exclusivamente em jogadores da Belenenses SAD

SNS: 40 anos de sucesso e a necessidade de evolução
Opinião

Promessas eleitorais e resiliência política

As palavras da ministra da saúde, ao traduzir a ambição de mudar o paradigma do trabalho médico atual, pretenderam apenas lançar novos desafios e novos hábitos de trabalho. Mais resiliência, neste contexto, significa dispor de médicos com outra visão da profissão, mais disponíveis para um exercício de dedicação plena ao seu principal local de trabalho, que tenham tempo para discutir os casos clínicos, avaliar a qualidade e os resultados, comparar práticas entre diferentes serviços, fazer investigação, estar assiduamente com os seus doentes e ter tempo para lhes proporcionar a informação clínica relevante

Exame Informática
Exame Informática

Algoritmo de Inteligência Artificial descobre 300 novos exoplanetas

Dados do descontinuado telescópio Kepler continuam a ser analisados e a gerar novas descobertas. Agora, um algoritmo de Inteligência Artificial (IA) revela 300 novos exoplanetas

Bolsa de Especialistas

Um Ministério Público autónomo será sempre um Ministério Público incómodo

Aos políticos, no coro de críticas ao Ministério Público e nas tentativas de condicionarem a sua atuação, junta-se um pequeno grupo de advogados, sempre os mesmos, que usam e abusam dos órgãos de comunicação social para desferirem ataques àquela magistratura, falando de forma aberta sobre processos concretos sem que a respetiva Ordem atue, aproveitando-se, de forma cobarde, do facto de os magistrados não os poderem contraditar porque sujeitos a um exigente dever de reserva