Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Sabor de infância

Viajar com o Chef Kiko

Kiko Martins

Um ingrediente pouco óbvio, cozinhado de maneira simples, um petisco delicioso. A crónica de Kiko Martins na VISÃO

Daniel Guerra

O coração da galinha não é um ingrediente óbvio para muitas pessoas e, por vezes, é até menosprezado. Habituei-me a comer esta parte da galinha desde a minha infância e, mais do que fazer parte da minha memória, reconheço o seu sabor e o seu potencial. Um simples saltear com um pouco de alho e azeite tornam o coração da galinha um petisco delicioso! Desafio-vos a experimentarem!

Espetadas de coração de galinha com molho de alho e cebolinho

Ingredientes
Para 4 pessoas

500g de coração de galinha
½ chávena de café de vinho branco
2 colheres de sopa de óleo vegetal
4 dentes de alho
Sal fino q.b.
Pimenta-preta q.b.
8 paus de espetada
½ chávena de chá de azeite
50g de cebolinho

Preparação
Limpe os corações de galinha, retirando o excesso de gordura.
Lave bem e deixe escorrer a água.
Numa taça, tempere os corações com vinho branco, óleo, dois dentes de alho, sal e pimenta-preta.
Deixe na taça a repousar durante 2 horas.
Coloque 6 corações em cada espetada.
Grelhe as espetadas numa frigideira bem quente e vá rodando, para cozinhar de todos os lados, durante 15 minutos ou até ficarem douradas.
Para o molho, junte numa taça o azeite, os dois dentes de alho e o cebolinho.
Triture tudo com uma varinha mágica.
Sirva as espetadas de coração de galinha com o molho.

ASSINE POR UM ANO A VISÃO, VISÃO JÚNIOR, JL, EXAME OU EXAME INFORMÁTICA E OFERECEMOS-LHE 6 MESES GRÁTIS, NA VERSÃO IMPRESSA E/OU DIGITAL. Saiba mais aqui.

Kiko Martins

Kiko Martins

Nascido no Rio de Janeiro, em 1979, Kiko Martins – que prefere ser tratado por Chef Kiko – licenciou-se em Gestão, mas rapidamente percebeu que o seu futuro passava pela cozinha. Em Paris, ingressou na escola Le Cordon Bleu, tendo depois passado por restaurantes como Ledoyen, AM Le Bistro, The Fat Duck e Eleven. Tornou-se conhecido do grande público por causa de uma viagem: uma volta ao mundo realizada em 2010 na qual visitou 26 países. De então para cá, abriu cinco restaurantes em Lisboa (O Talho, A Cevicheria, O Asiático, O Surf & Turf e O Poke), tornando-se, aos 39 anos, numa das caras da nova cozinha portuguesa.