Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Há 20 anos foi outra era

No meu tempo, havia uma coisa chamada “inverno”

Ilustração: João Fazenda

A vantagem de ter a minha idade é que, ainda antes de ficar com o cabelo todo branco e usar bengala, já tenho histórias antiquíssimas para contar. Por exemplo, os jovens de hoje ficarão certamente maravilhados por saber que, no meu tempo, havia uma coisa chamada “inverno”. Funcionava assim: a partir de Setembro, as temperaturas começavam a baixar, e em Novembro já estava aquilo a que a gente chamava “frio”. “Frio” era a palavra usada para definir uma sensação, ou um determinado intervalo térmico. É difícil explicar isto às pessoas de hoje. Talvez um exemplo concreto ajude: antigamente, comer castanhas em mangas de camisa, como temos feito nas últimas semanas, era tão inconcebível como comer gelados de samarra, em Agosto.

Imagino que estas observações sejam fascinantes para os leitores mais novos. Eu não tive oportunidade de falar com pessoas do Mesozóico (até porque, ao que parece, não havia pessoas no Mesozóico), mas eles podem ouvir testemunhos de gente que viveu outras eras geológicas, como é o meu caso.

Se bem me lembro, havia quatro estações. É por isso que há uma obra de Vivaldi e uma pizza com esse nome. Se fossem criados hoje, os concertos de Vivaldi eram mais limitados e repetitivos, e a pizza teria apenas um tipo de cobertura. Ao passo que hoje parece só haver verão, na altura havia duas estações com temperaturas mais violentas, e outras duas 
com temperaturas mais moderadas. Certas árvores davam frutos numa altura, outras davam noutra. 
No fim das férias de verão começavam as aulas - e as primeiras chuvas proporcionavam constipações 
e boas desculpas para faltar à escola. Hoje, um aluno que queira passar uma semana em casa por razões médicas em Outubro, talvez consiga fazê-lo apenas mediante a apresentação de um atestado médico que refira um escaldão.

Não foi só o o inverno que desapareceu. Certos verões, também. Por exemplo, do verão de São 
Martinho, um período quente que costumava ocorrer a meio de Novembro, nunca mais ninguém ouviu falar. Não se dá por um período quente a meio de um período quente. Ou talvez o problema seja esse: não foi o inverno que diminuiu, foi o verão de São Martinho que ficou maior. Temos duas estações, agora: verão e verão de São Martinho. Só na Guerra dos Tronos é que “Winter is coming”. Não admira que seja uma série de fantasia.

Crónica publicada na VISÃO 1287 de 2 de novembro