Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

  • Feitiços da sexualidade. Fantasia ou fetiche?

    Ana Alexandra Carvalheira

    A diferença entre fantasia e fetiche é que a fantasia não enfeitiça, e o fetiche sim. O fetiche é uma fixação num objeto ou num ato que é necessário para a excitação e gratificação sexual. Vejamos alguns exemplos, propõe a psicóloga clínica Ana Alexandra Carvalheira

  • A morte não se pensa

    José Brissos-Lino

    Em recente investigação desenvolvida por cientistas israelitas descobriu-se que o cérebro humano evita pensar na morte devido a um mecanismo de defesa que se desconhecia

  • Três notas sobre o Livre

    Pedro Norton

    Digam o que quiserem, julguem a mudança como entenderem, o Livre de Rui Tavares morreu. Está aí, para o bem e para o mal, o Livre de Joacine Katar Moreira

  • À Vitalina

    Rita Rato

    Vitalina Varela podia ser uma das muitas mulheres que cultivam horta nos separadores do IC19 e da CREL, podia ser uma das que apanham o autocarro da madrugada para limparem escritórios que faturam milhões mas lhes negam um contrato de trabalho efetivo, ou uma das que regressam no último comboio ou no último barco saídas de muitas horas em pé à frente do fogão e dos tachos

  • ADSE em risco

    Manuel Delgado

    O Tribunal de Contas propõe um modelo de contribuição dos quotizados baseado no risco e não apenas no rendimento, o que corresponde a uma alteração estratégica radical no modelo solidário que suporta este subsistema

  • Testemunho de uma professora: O rei vai nu

    Carmo Machado

    A sensação de impotência e de vazio espalha-se pelas salas de professores. Lidamos diariamente com comportamentos de baixo impacto mas de elevada frequência. E, pouco a pouco, dia após dia, semana após semana, mês após mês, ano após ano, o reflexo destes comportamentos aliado à urgência em apagar tantos fogos ao mesmo tempo vão-se acumulando dentro de nós. O testemunho da professora Carmo Machado

  • As 100 sombras de um Ex

    Margarida Vieitez

    Separam-se para ter paz. Apaixonam-se, pensando: “Agora é que é!”. Vivem à beira de um ataque de nervos porque a/o companheira/o não pára de falar e a sombra do EX não pára de atormentar

  • Guaparivás

    Mia Couto

    A mãe senta-se no leito, bem próximo da filha. Juliana espreita o copo e pergunta: essa água é engarrafada? A mãe pousa o copo e observa a revista em cima da mesinha de cabeceira