Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Como se tornar alemão em 10 simples lições

Nós lá fora

Bruno Sousa

DARMSTADT, ALEMANHA - Isto da emigração tem muito de atitude, mas é verdade que diferentes povos têm diferentes culturas e costumes e é bom estar-se preparado. Assim que aqui para o caso específico da Alemanha, resolvi escrever um pequeno manual para ajudar futuros emigrantes a integrarem-se melhor aqui no burgo, adoptando comportamentos tipicamente nativos em diversas situações quotidianas

1 - No trânsito

No trânsito, conduz como se fosses o rei. A estrada é só tua e só tu é que sabes conduzir como deve de ser e o resto são totós que precisam de ser ensinados. Se te vires apertado numa rua estreita, franze as sobrancelhas e espera que o outro idiota vá para trás, nem que tenha que ir até aos confins do Universo, é óbvio que tu é que estás no teu direito. E se for uma mulher, faz-lhe a vida negra pondo-a bem nervosa e depois manda-lhe insultos. E quando o outro finalmente te der um jeitinho para passares, ignora-o e não agradeças, era apenas a sua obrigação. Se vires alguém a conduzir um pouco devagar, ou atrapalhado com as direcções ou a hesitar onde virar, ou à procura de um lugar de estacionamento, ultrapassa-o fazendo-lhe gestos obscenos e bastante irritado manda-o para aquele sítio. Se for na autoestrada, põe-te à frente dele e trava para lhe dar uma lição. Se vieres a 200 à hora e o idiota estiver por acaso na ‘tua’ faixa, começa a uns 500 metros a dar-lhe com os máximos e quando o passares apita e mostra-lhe o passarinho.

Se fores, na tua rapidíssima bicicleta de corrida, todo equipado a rigor, com o teu camarada, a grande velocidade, numa ciclovia de 2 sentidos com apenas um metro e meio de largura e vires um barbudo qualquer com 3 pirralhos pequenos a vir na tua direcção, mantém a tua velocidade e mantém-te estoicamente ao lado do teu camarada. E quando o mais pequeno dos pirralhos, ainda inseguro na sua bicicleta fizer um pequeno movimento brusco na tua direcção que te ameaça fazer cair, grita-lhe bem alto ao ouvido “SCHEISSE!!!!”. Palermas desses não devem andar de bicicleta. Ao pai manda-o também para aquele sítio. Palerma!

2 - No restaurante

Quando fores a um restaurante qualquer, mesmo daqueles baratuchos que servem schnitzel e batata frita e se vires uma família na outra ponta do restaurante com 3 crianças e vês que as crianças estão entretidas com um brinquedo a fazer barulhos normais de crianças, depois de terem estado lá fora a brincar na neve, levanta-te e vai ter com eles e diz irritado, que pensaste muito antes de vir, mas que tinhas mesmo que dizer alguma coisa, porque tu também tens filhos e os teus não são tão barulhentos, e que um restaurante não é um parque infantil. E se os pais dessas crianças ficarem indignados e reclamarem com a tua atitude então pergunta-lhes se querem ir lá fora resolver o assunto, ou manda-os à bardamerda. Certifica que lhes estragaste o dia, a esses grandes desordeiros! Criança não é coisa que se leve para espaços públicos de lazer. E o teu sossego não será perturbado.

3 - No parque infantil

Se quando voltares a casa encontrares uma pazinha de brincar, daquelas que custam 1€, no meio dos brinquedos do teu filho, que não lhe pertence, então escreve um papel com o teu número de telefone e um desenho (ou foto) da pá e vai pendurar alguns à volta do parque infantil para encontrar o verdadeiro dono. A tua honestidade, seriedade e persistência dar-te-ão o céu.

4 - Na loja ou no dentista

Se trabalhares numa loja, começa a arrumar tudo e a preparar-te para sair uma meia hora antes do fecho. Assim quando chegar às 6 horas em ponto recusas-te a receber mais pagamentos e pões toda a gente na rua.

Se trabalhares num dentista, e se estiveres no meio de uma limpeza aos dentinhos de um paciente, e mesmo que ele tenha chegado a horas à sua consultazinha, mas tu vês que chegou a tua horinha de sair, arruma as coisinhas, manda-o fechar a boquinha e ir marcar outra consulta para acabar o trabalhinho.

5 - No governo

Se chegares a ministro e alguém descobrir que copiaste uns parágrafos na tua tese de doutoramento, demite-te imediatamente e emigra com a família. Se chegares a presidente e descobrirem que bebeste uma bejecas no Oktoberfest à pala dum bacano qualquer, demite-te e divorcia-te. Se descobrirem que a tua licenciatura é falsa, então não devias sequer ter saído de Portugal.

6 - Na fila para o avião

Se estiveres no princípio da fila para embarcar no avião, com o teu cartão de milhas gold ou platinum na mão, já de pé a guardar lugar há mais de meia hora para ser o primeiro e de repente o funcionário tiver a audácia de resolver deixar aquela família com 3 crianças pequenas passar à tua frente para embarcar primeiro, reclama, faz uma peixeirada e depois fica amuado (em alemão “beleidigt” – quem procurar no Google imagens relacionadas com esta palavra encontrará logo esta do ministro alemão das Finanças Schäuble de como fazer uma careta beleidigt de forma correcta).

7 - Na vizinhança

Carros mal estacionados próximos de tua casa, não importa que não haja mais estacionamento no bairro, tira-lhes foto e manda às autoridades, eles tratarão de passar a multazinha ao pacóvio.

Ah, e se por acaso espreitares dentro dos caixotes de lixo dos teus vizinhos e vires lá alguma coisa que foi mal separada, ou se ele resolver despejar as garrafas de vidro vazias no contentor ao domingo, as autoridades ficarão contentes com o teu telefonema. Vá lá, liga… não tenhas vergonha de denunciar, as regras são para cumprir. É para isso que as temos. Não há espaço para compromisso. O que a gente não gosta é que não se cumpram as regras. E ser ignorante das regras nunca é desculpa. Para nós é mais importante a regra em si, do que o princípio para a manutenção do qual a regra foi instituída.

8 - Na praia ou na piscina

Levanta-te cedo e antes sequer de ires tomar pequeno almoço vai lá estender a tua toalha na espreguiçadeira à beira da piscina ou nom melhor spot da praia, para marcar bem os teus direitos, e já sabes, se alguém mexer com ela… beleidigt!

9 - Fora do Kindergarten

Fora do jardim de infância, os pais dos outros meninos, que lá vês todos os dias de manhã, são perfeitos estranhos. Não os cumprimentes, não olhes para eles, nem sequer reconheças a sua existência. Ignora. Por exemplo, no supermercado olha rapidamente para o pacote de manteiga que tens na mão e lê o rótulo enquanto eles estiverem por perto. A menos que eles te reconheçam e venham cumprimentar, aí faz de conta que estavas distraído e não os tinha visto…

10 – No supermercado

Se acabaste de chegar à enorme fila para a caixa do supermercado, e de repente abrir uma caixa nova, vai a correr para lá chegares antes dos outros palermas todos que já estavam na outra fila há mais de meia hora. Não é tua culpa se não sabem planear melhor as suas idas para a caixa. E se alguém reclamar… azarucho! Mas se, por milagre, resolveres deixá-lo passar, não te esqueças da bela careta beleidigt! Afinal estás a fazer-lhe um favor.

Temo que estes exemplos possam porventura dar a impressão de que para se ser alemão é preciso ser um pouco rude. Talvez, mas apesar disso são muito francos, certos que a honestidade é mais importante que a cortesia. Além disso posso assegurar-vos que actualmente no top 5 das minhas pessoas favoritas neste planeta, as primeiras 4 posições são todas ocupadas por alemães. Espero que ajude.

VISTO DE FORA

Dias sem ir a Portugal: Uma semana, estivemos lá de férias de verão

Um número curioso: 14 crónicas escritas nesta rubrica desde há um ano… nunca pensei que teria assunto para tantas… obrigado à VISÃO pela continuada confiança.

Sabia que por cá: Se o vizinho não denunciar, o Sr. Rückert, da Polícia Municipal, passa de qualquer maneira regularmente pelo bairro, às 6 da manhã, antes da malta ter tempo de se levantar para ir mudar o carro de sítio, e deixa lá a multazinha no vidro.

Nas notícias por cá: Atentado a soldados em Paris.

Bruno Sousa

Bruno Sousa

DARMSTADT, ALEMANHA Bruno é pai de três pirralhos, engenheiro aeroespacial chefe de operações de uma constelação de quatro satélites científicos (Cluster) da Agência Espacial Europeia ( as opiniões nas crónicas são só dele, e não da Agência) e nos tempos livres é autor e encenador com peças exibidas em Darmstadt, Den Haag, Antuérpia, Londres e Hamburgo.