Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Sociólogos seguem o rasto de operários da construção que Espanha já não emprega

Lusa

  • 333

Porto, 06 dez (Lusa) - Dois sociólogos do Porto, que analisaram o auge do fenómeno emigratório de operários da construção civil para Espanha, pretendem seguir agora o rasto dessa mão-de-obra, que foi afetada pela crise iniciada em 2008.

"Creio que estas modalidades muito voláteis de emigração - que implicavam mobilidades semanais ou quinzenais - se estão a transformar em modalidades, não diria permanentes, mas mais sedimentadas e noutros países", perspetivou hoje João Queirós, um dos sociólogos envolvidos nessa tarefa.

Se essa convicção se confirma, ou não, é o que João Queirós e o seu colega Bruno Monteiro vão averiguar, numa investigação que se deverá prolongar até fins de 2013, mas com conclusões preliminares a conhecer já no primeiro trimestre do próximo ano.