Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Síria é o país mais perigoso para jornalistas - Amnistia Internacional

Lusa

  • 333

Lisboa, 03 mai (Lusa) -- A Síria é o país mais letal do mundo para os jornalistas, conclui um relatório da Amnistia Internacional hoje divulgado, que relata como dezenas de profissionais foram mortos, presos e torturados nos últimos dois anos de guerra daquele país.

"Matar o mensageiro: os jornalistas atacados por todos os lados na Síria" é o título do relatório da Amnistia Internacional (AI) tornado público no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa e segundo o qual o Governo sírio "cometeu violações sérias da lei humanitária internacional", perante a atividade de jornalistas profissionais e cidadãos naquele país.

O relatório, baseado em entrevistas e pesquisas feitas entre o início dos protestos em 2011 e março de 2013, conclui ainda que as autoridades sírias "violaram os direitos dos jornalistas" e relata como dezenas de profissionais "que denunciaram abusos de direitos humanos na Síria foram mortos, arbitrariamente presos, detidos, sujeitos a desaparecimentos forçados e torturados nos últimos dois anos"