Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Passos rejeita que Europa tenha ficado "de braços cruzados" na crise do euro

Lusa

  • 333

Porto, 28 jun (Lusa) -- O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, rejeitou hoje que a Europa se tenha limitado "a ficar de braços cruzados" na crise do euro, considerando que foram dados "passos importantes", mas alertou para a ameaça resultante da "fragmentação financeira" europeia.

No discurso do jantar de encerramento do segundo dia da Universidade de Verão do European Ideas Network, que decorre no Porto, -- e onde está também presente primeiro-ministro da Finlândia, Jyrki Katainen - Passos Coelho reiterou que as "respostas nacionais" às dificuldades resultantes da crise "têm de ser complementadas por uma firme e consequente resposta europeia".

"É preciso dizer que não partilho a opinião de que a Europa se limitou a ficar de braços cruzados desde que a crise do euro se fez sentir. Demos passos importantes no aprofundamento da coordenação económica", defendeu.