Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Jornal venezuelano acusado de instigar ao ódio e à perseguição de homossexuais

Lusa

  • 333

Caracas, 30 jan (Lusa) - Duas Organizações Não Governamentais emitiram hoje um comunicado conjunto em que acusam um jornal venezuelano de instigar ao ódio e à perseguição dos homossexuais na localidade venezuelana de Zúlia, 600 quilómetros a oeste de Caracas.

As organizações não governamentais Ação Zuliana pela Vida (Azul) e a Fundação Venezuelana da Diversidade Sexual (Fuvadis) solicitaram ainda às autoridades para investigarem a origem das fotos de dois jovens publicadas na capa do "Mi Diario" (Meu Diário).

Em causa está a publicação de uma composição fotográfica de sete imagens, nas qual dois indivíduos do sexo masculino aparecem a beijar-se num estacionamento de um centro comercial da localidade, acompanhada pela legenda "quem os viu e quem os vê".