Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Fazendeiro brasileiro condenado a 30 anos de prisão por morte de missionária

Lusa

  • 333

Belém, Brasil, 20 set - O fazendeiro Vitalmino Bastos de Moura foi condenado a 30 anos de prisão na noite de quinta-feira (madrugada de hoje em Lisboa) após ter sido considerado culpado pela morte da missionária americana Dorothy Stang, em 2005.

Moura, conhecido como Bida, ainda pode recorrer. O fazendeiro já tinha sido julgado três vezes, e condenado em duas delas.

A missionária Dorothy Stang tinha 73 anos quando foi morta com seis tiros, no Estado do Pará, no norte do Brasil. Pertencia à ordem missionária Notre Dame e trabalhava no Brasil desde a década de 1960.