Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

EUA: Condenado à morte libertado 15 anos depois graças a teste de ADN

Lusa

  • 333

Washington, 29 set (Lusa) -- Damon Thibodeaux, condenado à morte no estado norte-americano do Luisiana, foi declarado inocente, 15 anos depois de ter sido preso, após exames de ADN terem provado que não participou na violação e homicídio de uma adolescente em 1996.

Thibodeaux, 38 anos, colocado em liberdade na sexta-feira, tinha declarado ser inocente, depois de ter afirmado que foi forçado a confessar o crime durante um interrogatório de mais de nove horas e pelo seu estado de esgotamento.

"Naquele momento, estava cansado, com fome. Tudo o que queria era dormir e estava disposto a contar-lhes o que quisessem desde que me tirassem da sala de interrogatório", explicou Thibodeaux, num comunicado divulgado pelos seus advogados.