Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Crise económica pode agravar estado nutricional das crianças - especialista

Lusa

  • 333

Porto, 01 jun (Lusa) - A crise económica que se vive atualmente em Portugal poderá contribuir para o agravamento do estado nutricional das crianças, uma vez que o menor poder económico limita a realização de uma alimentação nutricionalmente equilibrada, alertou hoje uma especialista.

Carla Rêgo, fundadora e presidente do Grupo Nacional de Estudo e Investigação em Obesidade Pediátrica e coordenadora do Estudo do Padrão de Alimentação e Crescimento Infantil (EPACI Portugal 2012), citou como exemplo os leites de fórmula infantil que são mais dispendiosos do que o leite de vaca e que começa a ser dado ao bebé precocemente, a partir dos 8 a 9 meses.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Pediatria é aconselhável a utilização de "leites infantis" desde os 12 até aos 24 a 36 meses de vida, dada a baixa qualidade nutricional do leite de vaca.