Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

BCP avança em 2014 com reembolso de obrigações compradas pelo Estado

Lusa

  • 333

Lisboa, 29 jul (Lusa) - O BCP mantém a intenção de começar a reembolsar o Tesouro em 2014 pelos instrumentos híbridos convertíveis ('CoCos') subscritos pelo Estado para capitalização do banco, mesmo que as novas regras europeias lhe possibilitem libertar capital mais cedo.

"Temos excesso de capital face aos rácios mínimos, mas face às atuais circunstâncias [crise económica e implementação de novas regras no setor], vamos manter o plano de começar o reembolso dos 'CoCos' no ano que vem. Preferimos jogar pelo seguro", afirmou hoje aos jornalistas Nuno Amado, presidente do BCP.

Recentemente, a Autoridade Bancária Europeia (EBA, na sigla em inglês), alterou as regras relativas às almofadas de capital que os bancos têm que ter para fazer face à exposição às suas carteiras de dívida soberana, algo que possibilita que os bancos libertem capital que, até agora, tinha que estar afetado ao rácio 'core tier 1' (que afere a solvabilidade de um banco).