Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Aprendemos mesmo com formações e mini-cursos?

Iniciativas

skynesher

As neurociências estudaram a forma como o cérebro humano aprende e apontam respostas para esta questão, que estarão à discussão, no dia 27, no encontro da VdA Academia

A panóplia de escolha para estar sempre a aprender ao longo da vida é hoje enorme: há, em quase todas as áreas e atividade, workshops, ateliers, short courses, cursos de formação online, formação contínua, formação integrada… um mundo de soluções para estudar novos assuntos a aprofundar conhecimentos. A dúvida, porém, é se estes cursos ou ações realmente funcionam. Será que a aprendizagem proporcionada por formações de curta duração é duradoura? Serão as formações para executivos um bom investimento por parte das organizações? Os participantes em formação sem avaliação final retêm mesmo o conhecimento?

É para responder a estas e outras questões que a VdA Academia, a unidade da Vieira de Almeida dedicada à formação, organizou uma conferência e debate de especialistas das neurociências e o ensino executivo, que decorrerá na próxima terça-feira, dia 27 novembro, no auditório da sede da sociedade de advogados, em Lisboa (das 15h às 19h), e do qual a VISÃO é parceiro de media.

Estas conversas destinam-se, sobretudo, aos responsáveis e gestores de Recursos Humanos e Formação, mas são interessantes para todos os que dão ou fazem formações. “É fundamental dar a conhecer research científico sobre a forma como efetivamente aprendemos e que contraria muitas vezes as modas e algumas tendências atuais”, explica Susana Almeida Lopes, diretora da VdA Academia. Esta responsável irá abordar a aplicação práticas das neurociências em contexto organizacional, explicando o caminho que a VdA e a VdA Academia têm percorrido nos últimos anos neste sentido, e a forma como os Encontros têm contribuído para a consciencialização desta temática e para a partilha de conhecimento e experiências.

"As neurociências cognitivas estão a colocar em causa algumas das metodologias de ensino utilizadas até hoje de fora universal, ao mesmo tempo que nos proporcionam evidências claras e irrefutáveis de como poderemos criar novas dinâmicas de aprendizagem que verdadeiramente transformem o corpo, o cérebro e a mente dos seres humanos. Há novos mundos que anteriormente desconhecíamos", explica Susana Almeida Lopes.

A reflexão terá contributos preciosos de Diana Orghian investigadora no MIT Media Lab e Scientific Advisor na CLOO, Behavioral Insight Unit, uma empresa de consultoria em economia comportamental. Diana doutorou-se em Cognição Social na Faculdade de Psicologia, da Universidade de Lisboa e foi Visiting Scholar na Universidade de Harvard e de Nova York. Os seus trabalhos de investigação centram-se na área de perceção social, onde trabalha em temáticas como o poder social, inferência de traços de personalidade e enviesamentos positivos na perceção de caras, e na área da memória, em que estuda o papel do esquecimento no funcionamento da memória.

No MIT, a Diana está a ajudar a desenhar ferramentas e plataformas interativas destinadas à aprendizagem coletiva e funcionamento de equipas. Vem falar da perspetiva das ciências cognitivas aplicadas à aprendizagem e da importância do treino de recuperação, do feedback e do erro neste processo de acumulação de conhecimento.

Convidada para ajudar à reflexão é também Paula Marques, da Porto Business School da Universidade do Porto, que explicará como os seres humanos aprendem, focando-se em evidências científicas sobre o impacto dos sentidos e do inconsciente, a importância da avaliação, o fascínio que o nosso cérebro tem por histórias e o impacto das emoções na nossa memória. Para complementar a discussão, Pedro Cunha, diretor adjunto do Programa Gulbenkian Conhecimento, trará a sua perspetiva sobre a aprendizagem.

O debate será moderado por Mafalda Anjos, diretora da VISÃO, e a entrada é gratuita (basta apenas inscrição prévia para vdacademiaevento@vda.pt). Conheça o programa completo abaixo.

A conferência decorrerá na sede da VdA, em Lisboa

A conferência decorrerá na sede da VdA, em Lisboa

PROGRAMA

27 Novembro

15h – 19h

VdA (Rua Dom Luís I, 28, Lisboa)

15h00 Acreditação

15h15 Boas-Vindas

Margarida Couto (VdA) e Rodrigo Esteves de Oliveira (VdA)

15h20 Atribuição do Prémio VdA Academia

Vasco Vieira de Almeida (VdA), Margarida Couto (VdA) e Rodrigo Esteves de Oliveira (VdA)

15h30 As Neurociências aplicadas às Organizações
Susana Almeida Lopes (VdA Academia)

15h45 Aprender para reter: Que dificuldades são benéficas no processo de aprendizagem?

Diana Orghian (CLOO)

16h30 Coffee-Break

16h45 Como é que os Seres Humanos aprendem?

Paula Marques (PBS)

17h15 Programa Gulbenkian Conhecimento
Pedro Cunha (Gulbenkian)

17h30 Painel – Debate

Susana Almeida Lopes (VdA), Diana Orghian (CLOO), Paula Marques (PBS) e Pedro Cunha (Gulbenkian) e Mafalda Anjos (Revista Visão)

19h00 Encerramento

Sandra Pedro Serrano (VdA Academia)