Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Remax Portugal compra Remax alemã

Imobiliário

SOPA Images/ Getty Images

Os resultados da marca nacional foram tão significativos que a Remax Europa quer replicar o sucesso em outros países e apoia a expansão do grupo português. Esta aquisição vem juntar-se à compra da Remax França

Dois meses depois de ter comprado a marca Remax França, a Remax Portugal volta a surpreender o mercado e a anunciar a compra da Remax Alemanha, um mercado que, até ao final deste ano, deverá faturar cerca de mil milhões de euros.

Esta expansão internacional da Remax Portugal surge na sequência de um convite da RE/MAX Europa, que voltou a reconhecer o sucesso da operação em Portugal, onde a RE/MAX lidera o mercado em número e volume de transações. Recorde-se que a nível nacional, a marca encerrou o ano de 2018 com um volume de transações na ordem dos 3,3 mil milhões de euros, relativos às 62.287 transações que realizou nesse período, 79% das quais de compra e venda de imóveis.

Manuel Alvarez, presidente RE/MAX Portugal, encara esta aquisição não só como o reconhecimento do trabalho realizado no nosso país, mas também como mais uma etapa de um forte ciclo de crescimento da empresa. “Queremos transmitir ao mercado alemão a confiança de uma marca que procura recrutar os melhores profissionais do mercado, garantindo que os nossos clientes vão poder contar com equipas motivadas e altamente dedicadas”.

O objetivo será, assim, replicar na Alemanha o modelo de negócio que tem sido aplicado em Portugal.

.A RE/MAX está na Alemanha desde 1997, tendo iniciado a sua expansão a partir da região Oeste. Com sede em Estugarda, é a terceira maior rede a operar no país – a primeira em termos de marcas internacionais. Possui 181 agências, um número que tem vindo a crescer ao longo do último ano e que, com esta aquisição, deve aumentar significativamente, já que o objetivo é abrir 100 unidades por ano.

Com 676 agentes, a operação na Alemanha teve, nos primeiros meses do ano um crescimento de 13,3% nos valores de negócio e de 4,7% em transações. "No ano passado foram vendidos 3742 imóveis, mas as perspetivas para este ano são bastante animadoras, prevendo-se um volume de negócios de mil milhões de euros até ao final deste ano", refere a empresa em comunicado.

Uma expectativa ambiciosa porque o grupo liderado por Alvarez pretende alterar radicalmente a gestão da marca. "Enquanto no modelo REMAX os consultores são empresários dentro da agência e conseguem auferir elevadas remunerações, o sistema de mediação na Alemanha é baseado em salários e comissões baixas, o que pode ter como consequência baixa qualidade de serviço ao cliente e pouco profissionalismo", acrescenta-se no comunicado.

Como é o mercado alemão

O mercado imobiliário germânico é diferente do português. Apenas 51,40% dos alemães compraram a casa onde vivem, o que é uma das percentagens mais baixas da União Europeia. Ainda assim, 90% das transações da RE/MAX Alemanha são vendas. O mercado imobiliário está em expansão: o preço arrendamento está a aumentar 3,2 % por metro quadrado e o dos imóveis deverá subir, até ao final do ano, cerca de 3%. Os alemães procuram sobretudo moradias e casas geminadas com terrenos na ordem dos 500 m 2 . Embora os apartamentos mais populares sejam de tipologias T3 e T4, há uma tendência crescente, por parte de investidores, de procura de prédios com vários apartamentos ou apartamentos com um ou dois quartos.