Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Duas novas sócias integram colégio da VdA

Atualidade

A Vieira de Almeida anunciou o reforço do colégio de sócios com Ana Marta Castro, advogada de Direito Público e Benedita Aires, advogada de Direito Bancário & Financeiro

Em comunicado enviado às redações, a sociedade de advogados Vieira de Almeida (VdA) anunciou o recente reforço do seu colégio de sócios, que passam a ser 44, com a entrada de Ana Marta Castro e Benedita Aires. Ambas as profissionais estão na sociedade há mais de 10 anos., e têm percursos marcados por participação em processos de significante envergadura. Atualmente, a sociedade liderada por João Vieira de Almeida conta com mais de 280 advogados em 13 diferentes jurisdições.

Segundo a mesma nota, Ana Marta Castro entrou na VdA em 2006, como advogada da área de Direito Público, e desde então tem "acompanhado diversas operações a nível nacional e internacional. Tem prestado assessoria jurídica em diversos sectores, em especial no setor financeiro, da aviação, espaço e defesa, e também nos setores das telecomunicações, energia, saúde, transportes e infraestruturas". Tem também assessorado particularmente matérias relacionadas com "contratos públicos, regulação pública e medidas de resolução a entidades do setor bancário e financeiro".

Benedita Aires chegou à VdA três anos antes, em 2003, de onde saiu entre 2007 e 2008 para uma passagem pela equipa de Financiamentos Estruturados da Clifford Chance LLP em Londres. "Advogada na área de Bancário & Financeiro, tem trabalhado em diversas operações nos mercados doméstico e internacional relativas à emissão e colocação de instrumentos representativos de dívida e capital, instrumentos de capital regulatório, bem como outros produtos financeiros estruturados e financiamentos clássicos. Tem também participado ativamente em diversas operações de titularização de créditos, emissões de obrigações hipotecárias, financiamentos de carteiras de ativos e outras operações asset-backed. Esteve envolvida em transações de recapitalização pública de bancos portugueses e na aprovação dos respetivos planos de reestruturação pela Comissão Europeia. Prestou assessoria à aplicação de medidas de resolução a bancos portugueses, à assessoria a constituição de banco de transição e respetivos processos de venda, bem como a processos de alienação de instituições financeiras", revela a VdA no mesmo comunicado.

Recorde-se que a VdA foi a sociedade contratada pelo Banco de Portugal em 2014, para prestar assessoria jurídica na resolução do Banco Espírito Santo e desde então as duas instituições têm mantido o vínculo profissionais.