Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Temporal na Madeira: Uma luta desigual

Sociedade

  • 333

Luís Quinta

Os trabalhos de limpeza no rescaldo do temporal que atingiu, novamente, a Madeira, esta madrugada prosseguem, mas a chuva não dá tréguas. VEJA AS FOTOS E OS VÍDEOS da autoria do fotógrafo Luís Quinta

FALSOS POSITIVOS - Apesar de existir rastreio nacional ao cancro da mama, através de mamografia, alguns estudos internacionais questionam a eficácia deste exame. Baseiam-se nos excessivos falsos positivos e nos diagnósticos desnecessários. Depois de detetar um tumor, a medicina vai sempre atuar como se ele fosse invasivo. E se afinal não for?
1 / 6

FALSOS POSITIVOS - Apesar de existir rastreio nacional ao cancro da mama, através de mamografia, alguns estudos internacionais questionam a eficácia deste exame. Baseiam-se nos excessivos falsos positivos e nos diagnósticos desnecessários. Depois de detetar um tumor, a medicina vai sempre atuar como se ele fosse invasivo. E se afinal não for?

FALSOS POSITIVOS - Apesar de existir rastreio nacional ao cancro da mama, através de mamografia, alguns estudos internacionais questionam a eficácia deste exame. Baseiam-se nos excessivos falsos positivos e nos diagnósticos desnecessários. Depois de detetar um tumor, a medicina vai sempre atuar como se ele fosse invasivo. E se afinal não for?
2 / 6

FALSOS POSITIVOS - Apesar de existir rastreio nacional ao cancro da mama, através de mamografia, alguns estudos internacionais questionam a eficácia deste exame. Baseiam-se nos excessivos falsos positivos e nos diagnósticos desnecessários. Depois de detetar um tumor, a medicina vai sempre atuar como se ele fosse invasivo. E se afinal não for?

FALSOS POSITIVOS - Apesar de existir rastreio nacional ao cancro da mama, através de mamografia, alguns estudos internacionais questionam a eficácia deste exame. Baseiam-se nos excessivos falsos positivos e nos diagnósticos desnecessários. Depois de detetar um tumor, a medicina vai sempre atuar como se ele fosse invasivo. E se afinal não for?
3 / 6

FALSOS POSITIVOS - Apesar de existir rastreio nacional ao cancro da mama, através de mamografia, alguns estudos internacionais questionam a eficácia deste exame. Baseiam-se nos excessivos falsos positivos e nos diagnósticos desnecessários. Depois de detetar um tumor, a medicina vai sempre atuar como se ele fosse invasivo. E se afinal não for?

LUZ AO FUNDO DO TÚNEL - Uma vez encontrado um problema de saúde, a medicina atual dispõe de uma série de exames complementares de diagnóstico - a ressonância magnética é um deles - que ajudam a tratar o mais adequadamente possível os doentes. E com isso contribui para que uma vida, que poderia ser curta, passe a ter mais anos
4 / 6

LUZ AO FUNDO DO TÚNEL - Uma vez encontrado um problema de saúde, a medicina atual dispõe de uma série de exames complementares de diagnóstico - a ressonância magnética é um deles - que ajudam a tratar o mais adequadamente possível os doentes. E com isso contribui para que uma vida, que poderia ser curta, passe a ter mais anos

AGULHAS DESNECESSÁRIAS Quase toda a gente considera que deveria fazer análises gerais pelo menos uma vez por ano. A corrente que se opõe às medidas Excessivas de prevenção avisa que não existem evidências científicas de que as provas analíticas generalizadas sejam indispensáveis. Só fazem sentido em Algumas situações, para controlo de certos parâmetros
5 / 6

AGULHAS DESNECESSÁRIAS Quase toda a gente considera que deveria fazer análises gerais pelo menos uma vez por ano. A corrente que se opõe às medidas Excessivas de prevenção avisa que não existem evidências científicas de que as provas analíticas generalizadas sejam indispensáveis. Só fazem sentido em Algumas situações, para controlo de certos parâmetros

AGULHAS DESNECESSÁRIAS Quase toda a gente considera que deveria fazer análises gerais pelo menos uma vez por ano. A corrente que se opõe às medidas Excessivas de prevenção avisa que não existem evidências científicas de que as provas analíticas generalizadas sejam indispensáveis. Só fazem sentido em Algumas situações, para controlo de certos parâmetros
6 / 6

AGULHAS DESNECESSÁRIAS Quase toda a gente considera que deveria fazer análises gerais pelo menos uma vez por ano. A corrente que se opõe às medidas Excessivas de prevenção avisa que não existem evidências científicas de que as provas analíticas generalizadas sejam indispensáveis. Só fazem sentido em Algumas situações, para controlo de certos parâmetros

A luta entre o Homem e os elementos é sempre desigual. Na Madeira, depois de mais uma noite de chuvas e ventos fortes, os trabalhos de limpeza avançam, mas, a cada metro ganho pelos máquinas (as que resistem), outra derrocada acontece.

A freguesia do Seixal continua isolada desde Domingo às 5:00 da manhã e ainda não há previsão de ligação a Porto Moniz ou a São Vicente.

Os concelhos de São Vicente e de Santana, no norte da Madeira, foram os mais atingidos pelas chuvas e vento na madrugada desta terça-feira, mas não há vitimas a registar, disseram à agência Lusa os bombeiros locais.

"Houve muitas derrocadas, casas inundadas no sítio do Passo, perto das Grutas de São Vicente, vários carros arrastados, mas não houve danos pessoais porque as pessoas já estavam avisadas das chuvas", disse uma fonte dos Bombeiros Voluntários de São Vicente e do Porto Moniz (BVSVPM).

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Jorge Romeira, revelou que a "noite foi muto mazinha" porque "chove desde as 23h00 horas de segunda-feira".

Segunda noite de tempestade

Desde domingo que o mau tempo deixou a Madeira em alerta laranja - o segundo mais grave adotado pelo Instituto de Meteorologia. Não se registaram "danos pessoais", mas a situação mais complicada ocorreu a costa norte da ilha.

Uma casa foi arrastada no Seixal, mas a pessoa que lá vivia "tinha sido retirada anteriormente". Houve "duas pessoas que ficaram presas dentro de uma viatura na Ribeira da Janela, tendo sido entretanto retiradas e ficaram "livres de perigo".

Nesta localidade ocorreram uma série de derrocadas que impediram a circulação na via expresso

Registaram-se ainda de problemas nas zonas do Faial e Santana, onde "ocorreram diversas situações de queda de pedras e derrocadas, que motivaram também a interrupção da via expresso".

As corporações de bombeiros registaram ainda a inundação de uma casa no concelho de Santa Cruz e a necessidade de desobstruir uma estrada na zona do Pináculo.

Há registo também de várias inundações em Santana e em uma em Machico.

Esta situação afetou igualmente a ilha do Porto Santo, tendo os bombeiros sido chamados para apoiar numa inundação da casa das máquinas da Empresa de Eletricidade da Madeira.