Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

A rigorosa prisão onde El Chapo deverá passar o resto da vida e de onde nunca ninguém conseguiu escapar

Sociedade

Uma das celas da prisão ADX, no Colorado (EUA)

Lizzie Himmel/Getty

A cadeia de segurança máxima onde o narcotraficante mexicano El Chapo poderá cumprir pena é à prova de fugas – o ideal para quem já fugiu por duas vezes. Nunca um preso conseguiu escapar da ADX, que um antigo guarda descreve como “o mais próximo do inferno” que conhece

Fechado 23 horas por dia. Cela pequena com estrado e colchão de espuma fino, uma espécie de três-em-um que combina duche, sanita e unidade de água potável e uma televisão que passa, em circuito fechado, aulas de psicologia, educação, controle da raiva ou alfabetização.

É assim que Joaquin 'El Chapo' Guzmán, narcotraficante mexicano que um tribunal de Nova Iorque, nos EUA, considerou culpado pela entrada de toneladas de droga – a sentença é conhecida a 25 de junho – passará o resto dos seus dias.

O homem que fugiu da prisão por duas vezes, no México, vai para aquela que é conhecida como o cárcere de maior segurança no país.

A Administrative Maximum Facility – conhecida como ADX e apelidada de “Alcatraz dos Montanhas Rochosas” – fica no estado do Colorado e, desde que abriu em 1994, nunca um preso conseguiu dali fugir.

As regras de funcionamento são férreas e seguidas ao milímetro pelos guardas. Os presos nunca se cruzam nos corredores e nenhum anda de um local para outro ao mesmo tempo que outro.

“Para que ele conseguisse fugir tinha de ter o diretor ou um guarda no bolso”, explicou, ao The Washington Post um guarda prisional reformado que lá esteve destacado.

A prisão funciona como se fosse uma solitária. Alberga cerca de 400 detidos que para ali foram por razões de comportamento, devido a falta de logística noutros locais ou, como deve ser o caso de El Chapo, pelo tipo de crimes que cometeram.

Não é ainda certo que o mexicano cumpra pena nesta penitenciária, mas desde que foi capturado depois de fugir por um túnel construído por debaixo do chuveiro na prisão mexicana e extraditado para os EUA que se fala que o destino será a ADX.

Caso se confirme, como “companhia” Dzhokhar Tsarnaev, o bombista da maratona de Boston, Ted Kackzynsk, conhecido como Unabomber (o bombista que entre o final dos anos 1970 e a década de 1990 matou três pessoas e feriu outras 23), Ramzi Yousef, o líder dos ataques ao World Trade Center em Nova Iorque ou Zacarias Moussaoui, um operacional da Al-Qaeda nos atentados 11 de setembro.

O procurador Allan Kaiser diz ao mesmo jornal que, aquando das visitas, nunca viu mais nenhum preso no ADX a não ser o seu cliente. “Era imaculadamente espartano: o chão brilhava, as paredes estavam limpas e os corredores vazios. Não havia ninguém por perto, nem se ouvia qualquer ruído.”

A ADX está feita e é regida para que haja um ambiente de segregação e punição intensas.

Um antigo guarda entrevistado pelo programa 60 Minutes disse que era “o mais próximo do inferno” que conhecia.