Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

As moscas ainda têm mais germes do que pensava

Sociedade

D.R.

Quem detesta moscas acaba de ganhar mais uma razão para não gostar dela. Ou melhor, 600. É o número de bactérias diferentes a que as moscas vulgares e as varejeiras dão guarida

Cada "passo" que dão é uma possibilidade de transmissão de algumas das mais de seis centenas de bactérias de que são portadoras as moscas, através das suas patas e das asas. E podem infetar os humanos, provocando problemas de estômago e outros mais graves, como infeções ao nível do sangue e até pneumonia.

"As pessoas tinham alguma noção de que havia patogenos que era transportados pelas moscas mas não se tinha ideia da extensão deste facto e a extenção desta transferência", explica Donald Bryant, da Penn State University, Pensilvânia, EUA, um dos autores do estudo agora publicado.

À BBC, o professor adianta que os investigadores envolvidos acreditam que conseguiram demonstrar que há um mecanismo de transmissão patogénico que tem sido ignorado pelas autoridades de saúde e que pode mesmo contribuir para a rápida transmissão de agentes de doença em situações de epidemia.

Para o estudo, os cientistas usaram técnicas de sequenciação de ADN para analisar os germes encontrados na mosca-doméstica (Musca domestica) e na varejeira (Chrysomya megacephala): Na primeira foram encontradis 351 tipos de bactéria, na segunda 316.

"Isto vai mesmo fazê-lo pensar duas vezes sobre comer aquela salada de batata que esteve ao ar no próximo piquenique", concluiu o investigador.