Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Homem que matou bombeiros deixou carta sinistra

Mundo

  • 333

Associated Press

William Spengler, o homem de 62 anos que armou uma emboscada aos bombeiros na manhã da véspera de Natal, deixou uma uma nota em que relata a sua intenção de fazer arder o bairro e "fazer o que mais gosto de fazer, matar pessoas"

Os bombeiros de Webster, um bairro de Nova Iorque, receberam uma chamada a notificar um fogo antes das 6 da manhã da passada segunda-feira. Ao chegarem ao local, foram recebidos por uma "chuva" de tiros, que acabaram por tirar a vida a dois deles.

Com os bombeiros impedidos de combater as chamas, o incêndio lavrou durante aproximadamente 6 horas, obrigando à evacuação de 33 pessoas da vizinhança.

Além dos dois bombeiros mortos, há ainda três feridos graves (dois bombeiros e um agente da polícia que se encontrava fora de serviço) a registar. O atirador, esse, foi encontrado morto depois de, aparentemente, se ter suicidado.

As autoridades não sabem ainda como Spengler adquiriu as três armas que utilizou neste ataque, visto que o seu cadastro criminal (18 anos de prisão e mais oito em liberdade condicional pelo homicídio da sua avó, à martelada, em 1980)o proíbia de possuí-las.

Spengler deixou uma carta de 3 páginas, que está a ser analisada pelas autoridades: "Ainda tenho de me preparar para ver quanto da minha vizinhança consigo queimar e fazer o que mais gosto de fazer - matar pessoas" escreve.

Uma teoria que está a ser considerada pelos investigadores é a de que Spengler estaria zangado por causa de uma doação que a sua mãe, que morreu no ano passado, terá feito aos bombeiros locais.