Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Como Donald Trump aprendeu a usar o Twitter

Mundo

Getty Images

Em 2011, um jovem de 24 anos propôs uma estratégia no Twitter que alterou a forma como o futuro presidente dos Estados Unidos comunicava e que está à vista, oito anos mais tarde

Atualmente, a conta do Twitter de Donald Trump tem mais de 57 milhões de seguidores, mas o caminho até aqui não foi fácil. Em 2009, quando surgiu o @realDonaldTrump nesta rede social, o atual presidente americano quase não utilizava o computador.

Por detrás da mudança está Justin McConney que, de 2011 até ao final de 2017, foi o responsável pelas redes sociais de Donald Trump e foi consultor de redes sociais e marketing digital da Organização Trump.

Nesse ano, Justin McConney, que tinha apenas 24 anos, sugeriu uma nova estratégia para o Twitter, com o envolvimento de Trump em toda a atividade da conta, assim como no conteúdo dos tweets e das respostas. Além disso, propôs a abertura de um canal de Youtube.

No início, Justin McConney, licenciado em cinema, apenas imprimia as mensagens enviadas a Donald Trump e respondia de acordo com as suas indicações. Contudo, em março de 2011, durante um almoço numa pizzaria em Nova Iorque com a ex-governadora do Alasca Sarah Palin, o envolvimento de Trump no mundo online aumentou.

Isto porque Justin McConney resolveu gravar um vídeo com Trump a explicar por que razão comia a pizza com talheres e não à mão. O vídeo foi transmitido em todos os canais de televisão, o que, para Trump, foi um feito incrível. "Disse-lhe que ele não precisava de 20 jornalistas, câmaras ou de profissionais de relações públicas, porque um tweet garantiria a sua presença nos media", conta Justin à BBC.

A partir daí, o envolvimento de Trump nesta rede social aumentou muito, porque o empresário percebeu que podia chegar a mais pessoas a partir do Twitter. A qualquer hora do dia, Justin McConney recebia chamadas de Donald Trump para fazer uma publicação em resposta a alguém que tinha mencionado o seu nome na televisão.

Mas também a atração pela conta de Trump tornou-se cada vez maior, porque os utilizadores sentiam-se mais próximos. "As pessoas ficavam surpreendidas por verem que um empresário milionário como Trump comentava os Oscars no Twitter, ou dava a sua opinião sobre o filme "Os Caça-Fantasmas...Não imaginavam que este tipo de assuntos pudesse interessá-lo", explica Justin McConney.

Esta estratégia do jovem viria, anos mais tarde, a dar frutos. Em 2013, Donald Trump publicou, pela primeira vez, no Twitter pela própria mão. O tweet foi um agradecimento à atriz Sherri Shepherd pelos seus elogios a Donald Trump.

Quando Trump começou a pensar na candidatura à Casa Branca, quis fazer uma mudança na estratégia de comunicação. Contudo, Justin McConney não achou pertinente, já que, até à altura, os métodos propostos tinham dado resultado.

"Um vídeo engraçado, com conteúdo noticioso, e que seja transmitido num programa de televisão, é muito mais poderoso do que uma propaganda política tradicional na tv", defende.

A verdade é que a atividade do Twitter de Donald Trump aumentou muito desde a chegada de Justin McConney: em 2010, foram publicados 142 tweets e, um ano depois, o número de publicações passou para 744. Só em 2013, foram mais de 8 mil tweets publicados pelo atual presidente americano e a sua conta tornou-se um dos seus principais veículos de comunicação.