Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Coca-cola queria misturar maori com inglês mas acabou por escrever "Olá, morte"

Mundo

O povo Maori, nativo da Nova Zelândia, cujas tatuagens de rosto e corpo revelavam o estatuto social ocupado na tribo

Jimmy Nelson

Se a ideia era boa, o resultado nem por isso: A Coca-Cola tentou usar uma combinação da língua do povo nativo com o inglês, numa máquina de venda automática na Nova Zelândia, mas a frase ficou longe de ser apelativa...

O maori está na moda e a gigante internacional do mundo dos refrigerantes aproveitou para usar a língua, misturada com o inglês, numa máquina de venda automática na Nova Zelândia, cheia de coca-colas. Para escrever o quê? "Olá, morte".

A ideia não era, claro, essa. Ao inscrever “Kia ora, Mate” na máquina, a Coca-Cola queria usar uma simples saudação - "olá, companheiro" - com o "olá" em maori e o "companheiro" em inglês. Só que "mate" também existe na língua nativa e quer dizer... isso, mesmo, morte.

"Há uma perceção cada vez maior de que o te reo [a língua maori] é bom para mostrar que o teu negócio está empenhado na Nova Zelândia", comenta Ngahiwi Apanui, da Comissão neozelandesa da Língua Maori, citado pelo jornal britânico The Guardian.

Só que, neste caso, a intenção não chegou e as redes sociais encheram-se de comentários trocistas, com muitos utilizadores a sugerir "um raro momento de honestidade" por parte da empresa.