Visão

Siga-nos nas redes

Perfil

Violento sismo faz mais de 300 mortos na fronteira entre o Irão e o Iraque

Mundo

POURIA PAKIZEH

O número de vítimas do terramoto registado no domingo na fronteira entre o Irão e o Iraque subiu para 344 mortos e vários milhares de feridos, informaram as autoridades locais.

O maior número de mortos concentra-se no Irão, onde o balanço provisório tem vindo a aumentar com o passar das horas, elevando-se a 336 mortos e mais de 3.950 feridos ao final da manhã, todos na província ocidental de Kermanshah.

No vizinho Iraque, o número oficial de vítimas é de oito mortos e 321 feridos.

Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o sismo foi registado às 18:18 de Lisboa na fronteira entre o Iraque e o Irão.

Depois de inicialmente ter colocado o epicentro do sismo no lado iraquiano da fronteira, o USGS colocou-o hoje - assim como o seu homólogo iraniano - no Irão, perto da fronteira, cerca de 50 quilómetros a norte de Pol-e Zaham, a cidade mais afetada, com 236 mortos.

Inicialmente, o USGS indicou uma magnitude de 7,2.

O terramoto foi sentido até à costa mediterrânica.

A província iraniana de Kermanshah fica situada nas montanhas Zagros, que dividem o Irão e o Iraque.

Os residentes naquela zona rural subsistem maioritariamente da agricultura.

O Irão situa-se numa zona sísmica onde ocorrem sismos quase diariamente.

Em dezembro de 2003, um sismo destruiu a cidade histórica de Bam no Irão, na província de Kerman (sudeste). Pelo menos 31 mil pessoas morreram.

Em abril de 2013, o Irão sofreu dois sismos de magnitude 6,4 e de 7,7, o pior abalo desde 1957 naquele país. Os dois causaram cerca de 40 mortos no Irão e no vizinho Paquistão.

Em junho de 1990, um terramoto de magnitude 7,4 no Irão, perto do Mar Cáspio (norte), causou 40 mil mortos, mais de 300 mil feridos e deixou desalojados 500 mil pessoas. Uma área de 2.100 quilómetros, composta por 27 cidades e 1.871 aldeias espalhadas pelas províncias de Ghilan e Zandjan, foi devastada numa questão de segundos.