"Rebeldia", de Cristina Carvalho

"Rebeldia", de Cristina Carvalho

Li o livro de um trago, como quem não consegue parar. E essa leitura rápida não aconteceu apenas porque o livro é bem escrito, elegante, atractivo. Não, o que mais me marcou na leitura foi a forma de trazer para uma dimensão de excepcionalidade a verdadeira normalidade de, nas palavras da Cristina, uma "vidinha"

Paulo Mendes Pinto
Terra(s) de Sefarad. Bragança 2017 e a herança judaica

Terra(s) de Sefarad. Bragança 2017 e a herança judaica

Entre 15 e 18 de Junho, em Bragança procura-se fazer o reencontro com a memória, que é um trabalho de busca e de redescoberta de uma identidade que, enquanto colectivo, nos foi roubada

Paulo Mendes Pinto
De “aparição” a “visão”: Ratzingger e a redefinição de Fátima como objecto de teologia

De “aparição” a “visão”: Ratzingger e a redefinição de Fátima como objecto de teologia

Ao definir Fátima como uma “visão”, subalterniza teologicamente o que possa ter acontecido, tornando-o “particular”, mas abre ao infinito todas as possibilidades de interpretação, dando guarida às formas mais pessoais de viver a fé

Paulo Mendes Pinto
A «Revolta de Nika», o desporto quando se perde o patamar de uma ética mínima

A «Revolta de Nika», o desporto quando se perde o patamar de uma ética mínima

Os verdadeiros desportistas, têm de afirmar altíssimo que o seu corpo, as suas capacidades, a sua luta pela superação não podem ser mais o campo para a afirmação animalesca daqueles que nunca souberam o que é o desporto

Paulo Mendes Pinto
Porque estudar os sefarditas?

Porque estudar os sefarditas?

A propósito da exposição «Heranças e vivências judaicas em Portugal»

Paulo Mendes Pinto
O quam suavis, o espírito e o beijo

O quam suavis, o espírito e o beijo

“Beije-me ele com os beijos da sua boca: Porque teu amor é melhor do que o vinho” Cântico dos Cânticos, Bíblia

Paulo Mendes Pinto
Tribunal alemão insiste: Negar o Holocausto não se enquadra na liberdade de expressão

Silêncio dos Cúmplices

O Holocausto, uma memória do guetto de Varsóvia, ou o crime que nos devia ajudar a ser Humanos

Paulo Mendes Pinto
A Religião de Cuba: Fidel(idade) Castro e um pouco de areia

A Religião de Cuba: Fidel(idade) Castro e um pouco de areia

As ditaduras têm esta característica única de, para além de poderem corresponder, de facto, a anseios populares e a desígnios ideológicos, juntarem à sua volta as populações pelo carisma do seu líder e por uma espécie de Síndrome de Estocolmo, mas aplicado, não ao raptor, mas a quem retira a liberdade e isola do mundo

Paulo Mendes Pinto
Wind of Change, ou a Europa vista pelo saudosismo dos Scorpions

Wind of Change, ou a Europa vista pelo saudosismo dos Scorpions

Mais do que perguntar como vamos sair da crise, interessa perguntar para onde vamos sair.

Paulo Mendes Pinto
Visita guiada ao Templo Ecuménico Universalista de Miranda do Corvo

Visita guiada ao Templo Ecuménico Universalista de Miranda do Corvo

É já no dia 11 de Setembro, quando passam 15 anos sobre os atentados de 2001, que inaugura um equipamento que procura ser uma peça dinâmica e significativa na criação de pontes entre as religiões e na difusão de uma cultura de paz

Paulo Mendes Pinto
Até onde nos leva o fogo?

Até onde nos leva o fogo?

Destruição, Inferno, Culpa, ou a imagem de um medo ancestral

Paulo Mendes Pinto
Como ter umas férias descansadas, com um sono de qualidade e sem jet lag

Ócio, NegÓcio e ética do trabalho

“Negócio” é aqui entendido como negar o ócio, o lazer; isto é, negar a possibilidade de estar quieto

Paulo Mendes Pinto

O café da minha rua.

Ou de como o futebol e os tremoços são ferramentas de multiculturalidade

Paulo Mendes Pinto
Krack des Chevaliers 16

A tragédia da guerra na construção da memória e do património

De Aleppo ao Krack des Chevaliers, a vivência dupla das memórias

Paulo Mendes Pinto
Crianças denunciam pais depois de serem alegadamente obrigadas a ver vídeos de decapitações do Daesh

“Hoje Bruxelas, amanhã talvez Portugal”: desafios em tempos de refugiados, migrantes e terrorismo

Hoje estamos nesta tensão, nesta ambiguidade entre o acolher, o dar a refeição onde nos afirmamos iguais, ou o fechar a porta, recusando abri-la, recuperando o imaginário do bárbaro, ou mesmo do infiel

Paulo Mendes Pinto
Eutanásia, ou a prática de ajudar os enfermos a bem morrer?

Eutanásia, ou a prática de ajudar os enfermos a bem morrer?

Há que debater, finalmente, numa sociedade que se afastou da morte, esse lugar-comum que é aquilo para que todos caminhamos

Paulo Mendes Pinto
A liberdade de pensar a Liberdade, entre David Bowie, Emma Lazarus e a crise dos refugiados

A liberdade de pensar a Liberdade, entre David Bowie, Emma Lazarus e a crise dos refugiados

A noção de Liberdade, aplicada ao universo religioso, é das mais complexas realidades

Paulo Mendes Pinto
Um ano após “Charlie”: a facilidade do “bode-expiatório"

Um ano após “Charlie”: a facilidade do “bode-expiatório"

Haveria tanto para caricaturar… mas é mais fácil desenhar Deus a matar

Paulo Mendes Pinto
Em tempos de morte da natureza, a cíclica ideia de (re)nascimento

Em tempos de morte da natureza, a cíclica ideia de (re)nascimento

Nas festas de Ano Novo na antiga Babilónia, o que mais interessava aos crentes era, simplesmente, que o ano que viesse fosse como deveria ser; isto é, igual a todos os que o precederam

Paulo Mendes Pinto
Crianças denunciam pais depois de serem alegadamente obrigadas a ver vídeos de decapitações do Daesh

O que quer afinal o Daesh?

Passada uma semana sobre os ataques em Paris na sexta-feira 13 que mais negra ficará na História Contemporânea interessa perceber como as nossas reações são muito do que possivelmente o Daesh deseja

Paulo Mendes Pinto
Mundividências: A religião no simples do quotidiano e no excecional do marco histórico

Mundividências: A religião no simples do quotidiano e no excecional do marco histórico

Será por aqui, entre o insignificante do quotidiano de cada um de nós e o excecional dos momentos que fazem História, que nos moveremos nesta agora iniciada colaboração com a VISÃO

Paulo Mendes Pinto