Igualmente desiguais

"Nha sunhu": ou o sonho feito pó

É um filme sobre um jovem que vem para Portugal trazendo na bagagem o sonho de se tornar uma estrela de futebol. Joga a pré-época e depois… bem, depois fica ao abandono, tendo que sobreviver trabalhando numa fábrica até conseguir de novo ser aceite num pequeno clube

LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

Já voltou a comichão ao Governo?

Percebendo que esta comichão está a alastrar, de um dia para o outro, há uma pergunta obrigatória: este afã tem alguma coisa a ver com as quedas de popularidade, pedido de remodelação urgente e eleições autárquicas daqui a 2 meses?

Opinião

CPLP: mais língua, menos ‘paleio’

Da Declaração Final da Cimeira destaca-se, pela positiva, o Acordo de Mobilidade, e, pela negativa, a completa omissão quanto à política da língua e à cultura

Politicamente Correto
Exclusivo

O nada estranho caso Vítor Fernandes

Tudo serve para vender a ideia de que vivemos num imenso lamaçal. Pouco importa se se põe em causa a honra e a honorabilidade de qualquer pessoa. Está até firmada a doutrina de que há uma, imagine-se, crise de regime.

Opinião

Mudam-se mais os tempos que as vontades

Tirando o mercadejar vindo tão de cima, que diferença há entre a podridão que deste tempo vamos destapando e a relação entre o Estado novo e o conjunto de “empresários” a que este foi prestimosamente eliminando a concorrência a desfavor do progresso?

Boca do Inferno
Exclusivo

Citius, altius, fortius, imunius

É possível que, quando este número da VISÃO chegar às bancas, os Jogos Olímpicos tenham sido cancelados. Ou que vários dos melhores atletas do mundo tenham sido impedidos de participar por terem contraído Covid-19. É uma injustiça da qual ninguém tem culpa - nem mesmo, por uma vez, Eduardo Cabrita

Opinião
Exclusivo

Alterações climáticas, chuvas e avisos ignorados

No domingo, Angela Merkel, que visitou a zona mais atingida pela catástrofe, e depois de descrever a situação como aterrorizante, confessou: "Temos de aumentar o ritmo de combate às alterações climáticas"

LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

Há uma enorme desilusão com o Governo

Não querendo este Governo, nem esta oposição, será que vão apostar nos outros partidos? Também não. E nas autárquicas, pela certa, vão já mostrar a escala desse descontentamento: não votando. Não validando esta política disfuncional, incapaz, inapta, insuficiente e inábil

Opinião

De onde vem este prazer coletivo?

Temo que a fraca apologia da democracia e do Estado de direito, aliada aos oportunistas políticos que inventam um País podre e um regime acabado, com respaldo numa certa comunicação social, seja causa forte deste riso horripilante

OLHO VIVO

"Ao contrário do que aconteceu no Meleconazo de 1994, desta vez é a própria legitimidade do regime cubano que está a ser posta em causa"

A contestação em Cuba e a explosão social na América Latina, as investidas anti-democráticas da China em Macau e o super-pacote verde anunciado na Europa são alguns dos temas em debate no Olho Vivo desta semana

Igualmente desiguais

Para mais tarde recordar

Para as gentes da raia, a fronteira é uma abstração que na maior parte dos casos apenas faz sentido formal. Não é raro antigos terrenos serem parte portugueses e parte espanhóis, numa situação que só representa algumas dores de cabeça aquando de partilhas. De resto ser “de cá” ou "de lá” é exatamente o mesmo

Politicamente Correto
Exclusivo

O meu julgamentozinho

Está feito o meu julgamento. Não precisei de investigadores, procuradores, juízes e muito menos de leis e da Constituição. Não fui só eu a ter feito a investigação, a acusar, a julgar e a condenar LFV; o homem já foi julgado por todos nós

Editorial
Exclusivo

Olhar Cuba da caixinha

As reações por cá ao que se passou esta semana em Cuba mostram bem o ponto a que chegou a polarização política nacional e o nível de cegueira ideológica que reina dentro das “caixinhas”

Opinião

O circo e a Justiça

A Justiça não tem um só tempo. Por aquilo a que temos assistido, com alguma frequência, será melhor passarmos a considerar que a Justiça em Portugal tem dois tempos: primeiro o do circo e só depois o da Justiça

Cinco casos que provam que a liberdade de expressão ainda vai ser uma preocupação em 2016
Bolsa de Especialistas

Populismo e irresponsabilidade

Enquanto por um lado os jornalistas cumprem o seu dever de informar a opinião pública, aparecem uns pretensos “entendidos”, muitas vezes com interesse direto nos processos e que usando da sua “autoridade” de “esclarecidos” e da sua presença constante nos meios de comunicação social, tentam lançar a confusão, propalando inveracidades sobre os processos e questionando as decisões do ministério público e dos tribunais com recurso a “asnice” jurídica

Igualmente desiguais

Isto anda tudo ligado

Na altura a grande maioria das pessoas minimizava a situação olhando o fenómeno como o “disparate do CHEGA que não chegará a lado nenhum”. Porém, alguns mais alerta para os sinais dos tempos começavam já a temer o pior. E o pior estava à vista: uma geração que ainda não tinha direito a participar no ato eleitoral, mas que estava já a ser catequizada para uma visão do mundo dividido entre nós e os outros

Mapeador de Ilhas
Exclusivo

A alma têxtil

Cancelara os serviços de telefone quando recebeu a notícia da morte do seu companheiro de armas, o general Acácio Teixeira Lobo. Teve medo de que aquela fosse a primeira de outras notícias fúnebres. E havia uma outra mágoa: anúncios de baixas fazem-se em visita solene, olhos nos olhos. Nunca por telefone

Politicamente Correto
Exclusivo

Os outros ajudantes do Ventura

O “tudo o que corre mal ajuda o Chega” é a cara, sendo a coroa o “quem vota no Chega não quer as suas soluções, está só a dizer que é contra o atual estado de coisas”. São as duas faces da mesma moeda e nada mais fazem do que promover, desculpabilizar quem nele vota, dar-lhe méritos que ele não tem, fazer dos seus dirigentes gente muito séria e sem mácula

Opinião

Verdades inconvenientes

No que toca ao apoio à economia real, Portugal está definitivamente na cauda da Europa. E é este facto que torna ainda mais incompreensíveis os planos do Governo de apostar quase todas as fichas da chamada “bazuca” no Estado

Opinião

As teias do(s) crime(s)

Continuam a existir intrincados, mesmo inextricáveis, procedimentos propiciadores ou facilitadores de crimes, sem que o poder democrático pareça empenhar-se a fundo em combatê-los e aniquilá-los

Em sincronização

Os penduras

Há pelo menos quatro tipos de penduras: negacionistas, cobardes, alternativos e inconsequentes. Em comum, todos têm a incivilidade e o egoísmo de apenas olharem para o cotão do seu umbigo