Economia
Exclusivo

Inflação: Estamos preparados para uma tempestade?

A aceleração dos preços deverá ajudar as contas públicas este ano. Mas esse efeito irá esgotar-se em pouco tempo e pode tornar-se uma fonte de pressão para o Orçamento

Economia

O que é um “windfall tax”, que pode ser usado para taxar os lucros extraordinários de empresas como a Galp Energia?

As empresas que estão a beneficiar de forma desproporcional do aumento generalizado dos preços da energia, como a Galp, podem ser taxadas utilizando um chamado "windfall tax". O ministro da Economia português já ponderou essa hipótese, mas apenas como "solução de último caso"

Exame
Exame

PIB surpreende, inflação dispara para máximos de 29 anos

Os preços em Portugal deram um salto de 7,2% em abril, um máximo desde 1993. No mesmo dia, os dados do INE mostram que, apesar da guerra, a economia nacional acelerou face ao trimestre anterior

Exame
Exame

A mesma inflação, um impacto assimétrico para as famílias

Portugal é um país de desigualdades sociais, onde o efeito da inflação será tanto maior quanto menor for o rendimento disponível. Quase um milhão de famílias portuguesas vive com menos de 542 euros mensais e têm pouca ou nenhuma margem para acomodar os efeitos da inflação que já se fazem sentir em bens essenciais. Alimentação, habitação e transportes já consomem 60% do rendimento.

Imobiliário

Invasão da Ucrânia: Qual o impacto no setor da construção em Portugal

As pressões inflacionistas e a incerteza acrescida afetam a confiança dos investidores e as suas expectativas para os projetos previstos e, consequentemente, poderão impactar negativamente o crescimento esperado

Telegrama

Telegrama: A guerra na Ucrânia é o princípio do fim da globalização e o início de uma nova ordem mundial?

Exame
Exame

BCE: Mais inflação, menos crescimento e travão nas compras de dívida

O Banco Central Europeu quer manter todas as opções em aberto para responder à subida da inflação e à desaceleração do crescimento. As compras líquidas de ativos podem terminar depois de junho, abrindo o caminho para que “algum tempo depois” os juros comecem a subir

Imobiliário
Exclusivo

Crédito à habitação: "O aumento das taxas de juro pode favorecer a descida dos preços, mas..."

Com mais encargos no crédito, as famílias irão oferecer menos dinheiro pela casa. Por outro lado, temos os custos da construção a aumentar, avisa a economista Vera Gouveia Barros

Telegrama

Telegrama: Vamos ter que nos voltar a preocupar com a inflação?

Esta subida da inflação não é um exclusivo americano. Na Europa, começaram também já a soar os alarmes. "Os preços aumentaram 5% em dezembro de 2021 na zona euro. Os mais afetados são as famílias pobres e as pequenas empresas", assinala o Le Monde, a abrir um extenso e bem documentado dossier sobre o "choque da inflação".

Economia
Exclusivo

Inflação: Como vamos viver em 2022

Sem Orçamento, pode não mudar muita coisa, mas o regresso da inflação, a Portugal e à Europa, está a fazer disparar os preços de bens de consumo que, nos últimos anos, apenas tinham sofrido atualizações residuais – ou nem isso. Salários, pensões e prestações sociais tendem a acompanhar os aumentos, pelo menos em parte, mas a subida não deverá ser suficiente para repor o poder de compra. Apesar das incertezas, saiba o que podemos esperar para o próximo ano – dos custos da energia às taxas de juro, do pão aos transportes, ou ainda das rendas de casa às portagens

Telegrama

Telegrama: Estamos preparados para os grandes riscos de 2022?

Somos ótimos a falhar nas perceções do risco. Isto, porque as nossas análises são influenciadas, quase sempre, pelo passado recente e pelo ciclo de notícias. "Normalmente, as maiores ameaças são coisas que nunca tínhamos imaginado".

Economia
Exclusivo

É o princípio do fim da era do dinheiro grátis? Como vamos viver em 2022

A subida da inflação pressiona os bancos centrais a retirar estímulos e a aumentar os juros. A Reserva Federal dos EUA deverá fazê-lo em 2022. Já o BCE conta manter as taxas em mínimos, mas irá travar a fundo nas compras de dívida

Exame
Exame

O que 2021 nos ensinou sobre economia

A EXAME perguntou a nove economistas quais foram as principais lições, surpresas ou mudanças que a economia nos trouxe em 2021. O regresso da inflação dominou as respostas

Telegrama

Telegrama: Em vez dos loucos anos 20, estamos a regressar, afinal, aos sombrios anos 70?

Em vez da alegria contagiante e transgressora que marcou a década de 1920, avisam-nos antes para nos prepararmos para enfrentar tempos sombrios, repletos de dúvidas e de inquietações só comparáveis aos que marcaram os anos 70, ainda de memória fresca para muitos – por boas e más razões.

Exame
Exame

MMT: o comprimido vermelho da Economia?

E se não houver limites financeiros para o que um Estado pode gastar? Um grupo de economistas propõe virar de pernas para o ar a forma como olhamos para dinheiro e para a gestão das contas públicas. A abordagem é bastante criticada, mas tem ganhado mais influência. O que é a MMT?

Exame
Exame

Resolvemos a equação da inflação?

O medo de uma subida descontrolada dos preços regressou ao debate económico. Será que economias desenvolvidas com instituições fortes aprenderam definitivamente a controlar o problema da inflação?

De onde vêm números que mandam em nós? Exame
Exame

De onde vêm números que mandam em nós?

Do défice de 3% ao crescimento do PIB, há uma série de números que mandam na nossa vida, mas nós ignoramos a origem de muitos deles. Saber como nasceram e como são calculados é decisivo para perceber porque lhes devemos dar atenção ou relativizar

O que vai aumentar em 2014
Sociedade

O que vai aumentar em 2014

São vários os produtos e serviços que, a partir de quarta-feira, vão sair mais caros aos portugueses

Economia portuguesa recua 3,9% no 1º trimestre face a 2012
Economia

Portugal com 5ª taxa de inflação mais baixa da zona euro

A taxa de inflação anual abrandou, em março, para 1,7% na zona euro e para 1,9% na União Europeia (UE), tendo Portugal registado a quinta taxa mais baixa

Economia

A Crise e a Estagflação

Em 2004 comecei a alertar para a crise; depois para a estagflação. Qualquer economista que estuda os ciclos económicos deduz isto. Eis um texto re-editado; não é meu, mas não identifiquei o autor:

Economia

EURO: INFLAÇÃO BRUTAL

Na academia é vital estudar-se a diferença entre economia financeira (fictícia) e a real. Hitler chegou ao poder para sanar a enorme inflação na Alemanha da Weimer Republik ocasionada pelo défice público que o governo então tentou corrigir ao produzir mais dinheiro para os seus cofres. Não havia maiorprodução real e isto trouxe uma inflação brutal. O mesmo ocorreu no Brasil quando o presidente Kubitcheck financiou a construção de Brasília com a impressão de $. Estas inflações de 1000% só foram controladas com a 2ª Grande Guerra e, no Brasil, com empréstimos de 140 MM€ do FMI, o que o levou a perder mais da metade da real renda familiar e vender as suas riquezas naturais pela metade do preço, até se equilibrar, há 2 anos.