Jornal de Letras
Jornal de letras

Ghosting

Jornal de Letras
Jornal de letras

Aquela máquina

Homem do Leme, a crónica de Manuel Halpern

Jornal de Letras
Jornal de letras

Critérios de seleção

Jornal de Letras
Jornal de letras

Carta de recomendação

Homem do Leme, a crónica de Manuel Halpern

Jornal de Letras
Jornal de letras

Odessa

Homem do Leme, a crónica de Manuel Halpern

Jornal de Letras
Jornal de letras

Zaragatoa

Ele sentou-se na cama a ler atentamente o manual de instruções. Não podia falhar. Também não tinha sintomas. Ou, agora que pensava nisso, até lhe doía um pouco a garganta

Jornal de Letras
Jornal de letras

Do que sinto mais falta

Políticos portugueses não percebem nada do Facebook Jornal de Letras
Jornal de letras

Direito ao talvez

Jornal de Letras
Jornal de letras

Contrassenso

Jornal de Letras
Jornal de letras

O monumento

Jornal de Letras
Jornal de letras

Vida eterna

ModaLx2 4
Sociedade

Bastidores e o segundo dia da ModaLisboa em 60 segundos e 11 fotos

Veja o vídeo e saiba tudo o que se passou no segundo dia da 50ª edição da ModaLisboa

'Não gosto' Jornal de Letras
Jornal de letras

'Não gosto'

Uma simples tecla pode criar uma modificação significativa na forma de lidar virtualmente com o outro. O Facebook prepara-se para inserir o botão unlike/não gosto. Um movimento, com repercussão semelhante à Associação contra o pickle no Big Mac, há muito que o exigia. Mas nos seus estudos de impacto a empresa de Silicon Valley não fizera caso. Até agora. Não foi uma decisão simples. Nada no Facebook será como dantes.

O Homem do Leme: Deixar o medo voar Jornal de Letras
Jornal de letras

O Homem do Leme: Deixar o medo voar

A aplicação chama-se Flightradar24 e mostra todos os aviões comerciais em trânsito no mundo inteiro. Clicando no ícone, informam-nos sobre o modelo e a companhia aérea. À distância, parecem moscas que se atravessam pelos continentes. No total, chegam a estar 11 mil aviões no ar em simultâneo.

O Homem do Leme: Entre estrelas Jornal de Letras
Jornal de letras

O Homem do Leme: Entre estrelas

Interstelar não tem apenas buracos negros e buracos quentes, também tem colossais buracos de argumento (há um do tamanho do filme inteiro). 

O Homem do Leme: Espirro global Jornal de Letras
Jornal de letras

O Homem do Leme: Espirro global

Pode um espirro em África provocar uma epidemia num rancho do Texas? É o efeito borboleta aplicado à pior das circunstâncias. Afinal, a globalização não são apenas as calças Levis, o rock'roll e a pizza com pepperoni. 

Lugares sem Sol Jornal de Letras
Jornal de letras

Lugares sem Sol

Homem do Leme: A minha prima Vera Jornal de Letras
Jornal de letras

Homem do Leme: A minha prima Vera

Dia 30. As Breeders ainda respiram e ouvir The Last Splash, na íntegra, foi como dar um último mergulho nos anos 90. A energia em palco dos Dead Can Dance foi tal que até um morto se levantaria para dançar. Nick Cave cantou no seu estilo cavernoso, lançando sementes maliciosas pelo público. Os Deerhunter acertaram em cheio na multidão, como se esta fosse constituída por autênticos veados. Os Wild Nothing souberam ser selvagens, mas depois tudo redundou no vazio.

Jornal de Letras
Jornal de letras

Homem do Leme: Sopa no Sopa

Por este camimho, qualuqer dia somos multados por assobiar o Chico Fininho na paragem de autocarro. Esta SOPA tem mais censura do que agriões

Homem do Leme: O fado, agora a cores Jornal de Letras
Jornal de letras

Homem do Leme: O fado, agora a cores

Eça de Queirós odiava o fado, Camilo desprezava-o, Ramalho Ortigão descrevia-o com desdém e até Pinto de Carvalho, responsável pela primeira História de Fado, não escondeu um olhar decrépito. O fado nasceu assim, música dos guetos, das vielas, estruturalmente pobre, menor e desprezível. O fadista era um rufia de naifa em punho, a fadista uma prostituta. Quem diria que um dia esta "canção de vencidos" se iria tornar património da humanidade?

Homem do Leme: Este filme cheira a peixe Jornal de Letras
Jornal de letras

Homem do Leme: Este filme cheira a peixe

Não há uma arte verdadeiramente dedicada ao olfato e só com boa vontade se pode considerar que a Escultura junta a visão e o tato, e que a gastronomia é a arte do paladar