Política

Holandês vendeu a Galamba projeto do hidrogénio verde, mas Governo excluiu-o e chamou a EDP, a GALP e a REN

Uma parceria entre Portugal e os Países Baixos para obtenção de fundos europeus no âmbito de um projeto de produção e exportação de hidrogénio verde foi "vendida" ao Governo por um empresário holandês. Gabinete de João Galamba diz que quando o projeto foi apresentado já incluía empresas como a EDP, a Galp e a REN. Mas documentos a que a VISÃO teve acesso mostram que foi o Governo a querer incluir as grandes empresas privadas no projeto. No final, o pai da ideia acabou afastado do negócio de milhares de milhões

Atualidade

25 arguidos acusados no caso BES

Ministério Público acusa 18 pessoas e 7 sociedades no primeiro processo-crime nascido da queda do Banco Espírito Santo. Ricardo Salgado, administradores, diretores e funcionários ligados ao DFME, gestores da sociedade suíça Eurofin e João Alexandre, do BES Madeira, são os visados

Agenda de Manuel Pinho revela encontros com Salgado e Mexia no mesmo dia
Sociedade

Caso EDP: Acusação a Mexia só deverá estar pronta no final do ano

Apesar de o Ministério Público ter pedido agora o agravamento das medidas de coacção de António Mexia e de outros dois arguidos, ainda há provas para analisar e testemunhas-chave para ouvir. As 189 páginas com que o presidente da EDP foi confrontado no interrogatório mostram em detalhe como algumas decisões e nomeações importantes para a empresa de energia foram precedidas de vários encontros e reuniões no gabinete do então ministro da Economia, Manuel Pinho

Ministério Público pede penas suspensas para Orlando Figueira e Paulo Blanco
Política

Orlando Figueira condenado por corrupção e branqueamento

O ex-procurador do Ministério Público apanhou seis anos e oito meses de prisão efetiva por ter recebido pagamentos e vantagens para arquivar processos relativos ao ex-vice-presidente de Angola, Manuel Vicente

Ministério Público quis revistar Manuel Pinho, mas a PJ diz que não conseguiu localizá-lo
Política

Ministério Público quis revistar Manuel Pinho, mas a PJ diz que não conseguiu localizá-lo

A Polícia Judiciária tinha ordens para fazer uma revista a Manuel Pinho quando o ex-ministro viesse a Portugal ser ouvido no Parlamento. Mas num documento que a VISÃO consultou, a PJ diz que o antigo governante trocou-lhes as voltas, apesar de ter feito duas aparições mais ou menos públicas

Armas de Tancos eram de “alta perigosidade” e foram usadas por terroristas
Política

Tancos: Os momentos mais marcantes do caso até aqui

Cronologia dos principais acontecimentos do caso do furto de armamento do paiol de Tancos, no dia em que toma posse a comissão parlamentar de inquérito ao caso

Major da PJM titular da investigação de Tancos: "Isto ainda vai acabar com eles a prenderem-nos"
Sociedade

Major da PJM titular da investigação de Tancos: "Isto ainda vai acabar com eles a prenderem-nos"

Vasco Brazão, que esta terça-feira, 2, começou a ser ouvido pelo juiz de instrução do caso das armas roubadas em Tancos, é dono de segredos incómodos. E já previa tudo o que aconteceu há uma semana

Major da PJM titular da investigação de Tancos: "Isto ainda vai acabar com eles a prenderem-nos"
Política

Polícia Judiciária Militar suspeita de impedir descoberta dos autores do roubo de Tancos

Chamaram-lhe "Operação Húbris", designação que deriva de um conceito grego que se aplica a tudo o que ultrapassa os limites, e detiveram o diretor da Polícia Judiciária Militar (PJM), coronel Luís Vieira. O Ministério Público e a PJ acreditam que a PJM desencadeou "uma guerrilha corporativa" para impedir a identificação dos autores do roubo das armas de Tancos

Major da PJM titular da investigação de Tancos: "Isto ainda vai acabar com eles a prenderem-nos"
Política

Diretor-geral da PJ militar entre os oito visados por mandados de detenção no caso de Tancos

O diretor-geral da Polícia Judiciária Militar, Luís Vieira, foi detido hoje, estando entre os oito visados por mandados de detenção emitidos na Operação Húbris, relacionada com o caso das armas furtadas em Tancos

Antigo secretário de Estado de Manuel Pinho ouvido no caso EDP
Política

Antigo secretário de Estado de Manuel Pinho ouvido no caso EDP

Os procuradores do Ministério Público que investigam o caso das rendas da EDP quiseram Castro Guerra, o ex-secretário de Estado que teve a tutela da energia quando Manuel Pinho era ministro

Operação Marquês: Arguidos apostam na nulidade da prova obtida na investigação
Política

Os casos que vão marcar a ‘rentrée’ judicial

Setembro começa logo com novidades num processo de peso: os arguidos têm até esta segunda-feira para pedirem a abertura de instrução da Operação Marquês. Setembro é também o mês de decisões nos Vistos Gold. Em Outubro, o tribunal decide se o ex-procurador Orlando Figueira deve ou não ser condenado por alegadamente ter arquivado processos contra o ex-vice-presidente de Angola em troca de dinheiro e trabalho. E pelo meio continuar-se-á a debater se Manuel Pinho já é ou não é arguido no “Caso EDP”.

As sombras da EDP
Política

Manuel Pinho vai ser ouvido no dia 12 pelo Ministério Público

O ex-ministro da Economia vai ser ouvido no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) dentro de duas semanas, cinco dias antes de se apresentar no Parlamento para falar sobre a sua relação com a EDP e sobre os milhares de euros que recebeu do BES enquanto era ministro

Manuel Pinho vendeu a casa de Campo de Ourique que já foi de Garrett
Política

Manuel Pinho vendeu a casa de Campo de Ourique que já foi de Garrett

Sob enorme discrição, o ex-ministro da Economia vendeu nos últimos meses a casa que construiu, em 2004, no prédio onde viveu Almeida Garrett – dando azo, então, a muita polémica. O que mudou na vida de Pinho, agora que é suspeito de ter sido mais um dos corrompidos por Ricardo Salgado, recebendo 793 mil euros do GES quando era governante?

Proença de Carvalho: "Se calhar fui um ingénuo. Nunca me iria prestar a que Orlando Figueira recebesse mais umas quantias"
Sociedade

Proença de Carvalho: "Se calhar fui um ingénuo. Nunca me iria prestar a que Orlando Figueira recebesse mais umas quantias"

O advogado disse esta tarde em tribunal que não iria propor a Orlando Figueira receber "mais umas quantias" se soubesse que o procurador estava a ser investigado por suspeitas de corrupção. E aproveitou para dizer que nem "o grande amigo" do procurador, o juiz Carlos Alexandre, saberia do "passado" de Figueira, senão seria obrigado a denunciá-lo

Proença de Carvalho confirma vários encontros com procurador Orlando Figueira
Política

Proença de Carvalho confirma vários encontros com procurador Orlando Figueira

Proença de Carvalho, o ausente mais presente na Operação Fizz, está hoje a ser ouvido nesse julgamento. O advogado confirma que se encontrou com Orlando Figueira em 2015 mas disse que teve de fazer um esforço de memória: "Foi muito pouco relevante na minha vida profissional." Já todos os outros alegados encontros que não ficaram documentados, negou-os, como negou também ser o advogado do banqueiro Carlos Silva

Dossier sobre Manuel Vicente nunca desapareceu e procuradoras do processo Fizz até o consultaram
Política

Dossier sobre Manuel Vicente nunca desapareceu e procuradoras do processo Fizz até o consultaram

Cândida Almeida disse no julgamento da Operação Fizz que um dossier sobre o ex-vice-presidente de Angola se tinha “extraviado”. Nesse mesmo dia, o atual diretor do DCIAP informou o tribunal que não era verdade: o dossiê estava ali guardado e tinha sido consultado pelas procuradoras que investigaram a Operação Fizz. Agora um dos arguidos escreveu duas cartas a acusar essas magistradas de terem enganado deliberadamente Cândida Almeida

Proença de Carvalho confirma vários encontros com procurador Orlando Figueira
Política

Proença diz que duração de chamadas para procurador “demonstra que nada de relevante pode ter sido falado”

Reagindo à notícia publicada no site da VISÃO com o registo das chamadas entre o procurador Orlando Figueira e o escritório de Proença de Carvalho, ao longo do ano de 2015, o advogado e presidente do conselho de administração da Global Media diz que o procurador o contactou pela primeira vez em maio desse ano. E promete mais explicações sobre o que se passou a partir daí para o julgamento da Operação Fizz

Proença de Carvalho ter-se-á encontrado em setembro com o procurador Orlando Figueira
Política

Veja como o procurador Orlando Figueira falou 35 vezes ao telefone com Proença de Carvalho

O cerco está vez mais apertado para o advogado Proença de Carvalho. Apesar de dizer que nada tem a ver com Orlando Figueira e com o processo Fizz, somam-se cada vez mais indícios que o comprometem. O tribunal vai interrogar o procurador sobre a notícia da VISÃO que dava conta de um encontro com Proença em setembro de 2017.

Proença de Carvalho ter-se-á encontrado em setembro com o procurador Orlando Figueira
Política

Proença de Carvalho ter-se-á encontrado em setembro com o procurador Orlando Figueira

Na tarde de 14 de setembro, Proença de Carvalho ter-se-á encontrado com o procurador Orlando Figueira no escritório do advogado Paulo Sá e Cunha, confirmam à VISÃO fontes próximas da Operação Fizz. Essa reunião dá força à tese de Orlando Figueira de que Proença de Carvalho terá comprado o seu silêncio no processo pagando os honorários do seu advogado e prometendo-lhe um bom emprego no futuro

Há mais um magistrado que deveria ser arguido no processo Fizz? Cândida Almeida lança suspeitas
Política

Há mais um magistrado que deveria ser arguido no processo Fizz? Cândida Almeida lança suspeitas

A ex-procuradora do DCIAP contou em julgamento um episódio que mostra que o advogado que representava o Estado angolano em Portugal continuava a ter informações sobre processos já depois da saída de Orlando Figueira daquele departamento. E pelo menos em três momentos ajudou a solidificar a defesa do procurador suspeito de ser corrompido por Manuel Vicente

Cândida Almeida diz que não sabia quem era Manuel Vicente
Política

Cândida Almeida diz que não sabia quem era Manuel Vicente

A ex-procuradora do DCIAP disse em tribunal que não se lembra de ter lido no despacho de arquivamento de um processo contra o ex-vice-presidente de Angola que todos os documentos sobre os seus rendimentos seriam destruídos. E levantou suspeitas sobre uma possível falsificação do procurador Orlando Figueira