Eu e as Redes

As redes sociais digitais são inevitáveis, são para onde tende todo o esforço humano desde que o primeiro hominídeo grunhiu à saída da sua gruta

Miguel Araújo

O cão comeu-me o Código Penal

Talvez haja energúmenos que são eternos insatisfeitos, e fiquem desapontados com a dimensão dos hematomas que provocam. Nesse caso, talvez se possa dizer que, de facto, é difícil saber se um agressor, agredindo, cumpriu o propósito de agredir

Ricardo Araújo Pereira

Bem-haja, Lara Martinho

Despertar consciências, amaciar audiências e gerar consensos num tom de voz suave e cortês, usando palavras certas na hora certa, conseguindo discursos cheios de conteúdo, onde manifesta uma sensibilidade acima da média, estas são algumas das muitas qualidades de Lara Martinho

João Gago da Câmara

O intérprete de pássaros

Entrevistei Emanuel Divino Tchimbamba há alguns anos, num imenso mercado, entretanto desaparecido, da capital angolana. O antigo guerrilheiro montara uma pequena barraca, no coração do irrepreensível caos. Recebia ali quem quer que estivesse interessado em conversar com uma velha coruja, que Tchimbamba afirmava ser o espírito do lendário soba Caparandanda. A coruja, ou Caparandanda através dela, respondia a todo o tipo de questões, das mais domésticas e triviais às mais complexas e inusitadas, tendo Tchimbamba como tradutor

José Eduardo Agualusa

Espalamaca

A lancha, já sulcando mar alto, quase sufocava, engolida por mar que a abafava e parecia que se partia ao meio por força da violência incontida dos vagalhões que se quebravam impetuosamente sobre a sua perturbante fragilidade. E o casco contorcia-se, rangia, gemia, enquanto os nossos sentidos ouviam o choro da embarcação, por tamanha sova salgada

João Gago da Câmara

A melhor das companhias

Estar só não deve ser visto nem sentido como um castigo. Estar só pode ser uma escolha consciente e corajosa, até aparecer alguém com quem tudo vale a pena. A tal melhor companhia que nos enche os dias e as medidas

Margarida Rebelo Pinto

As ideias

Eis a grande tragédia da minha vida criativa: oscilar entre um estado em que as ideias tomam conta de mim para um estado em que tenho de ser eu a tomar conta delas

Miguel Araújo

Uma casa com vista sobre a cidade

A casa, mergulhada numa penumbra de saguões sujos, escancarava-se, nas traseiras, para a cidade através de uma sala grande, cujo teto era o mais trabalhado. A travessia envergonhada que fizéramos por uma realidade escondida dentro de portas, despejou-nos, incrédulos, numa enorme varanda debruçada sobre a cidade, uma beleza que nos deixou sem fôlego

Dulce Maria Cardoso

Odiar como Jesus odiou

Os mais fervorosos defensores de Jesus, ao que parece, não conhecem Jesus

Ricardo Araújo Pereira

Trump e os evangélicos

A prestigiada revista americana fundada por Billy Graham em 1956 defendeu a 19 de Dezembro passado a destituição de Donald Trump, uma atitude inédita que está a provocar algum desconforto nos meios evangélicos

José Brissos-Lino

O jantar dos corvos marinhos

Quando escrevo estas linhas, escrevo-as dificilmente contra mim. Não me sinto bem a depreciar os meus. Quem se sentirá?! E os meus, sem exceção, são toda a gente de todas as ilhas

João Gago da Câmara
Se7e

Por Lisboa: A ver a vista

A crónica sobre os lugares da cidade, as histórias escondidas e os pequenos prazeres, pela jornalista Rosa Ruela

Rosa Ruela

Mulher do Renascimento

Quando for grande quero estudar escultura e aprender a falar a língua de Dante. Serei uma espécie de Miguel Ângelo em avó

Capicua

As pequenas doenças da eternidade

Era, então, que o seu menino a salvava. Penteava a mãe, dizia ele, para que ela nunca morresse. Nesses cuidados, a vizinha ficava curada das suas pequenas doenças. Mais do que curada: Margarida ficava eterna

Mia Couto
flores

Florentinos quiseram vender as Flores à América

À revelia do Estado português, dezassete açorianos quiseram vender a ilha portuguesa das Flores aos Estados Unidos da América

João Gago da Câmara

Inverno em Bamberg

Na volta, os pés com o vagar do cansaço, sentava-me por minutos no sítio do aluguer dos botes, depois entrava no pequeno coreto do jardim da música, mais à frente pedia a bênção ao santo que havia sido esculpido numa pedra negra, atrasando o regresso a casa, onde uma frase me esperava, Mas na metrópole há cerejas. Assim começaria o romance que eu queria escrever, inspirado no que vivera ao deixar Luanda

Dulce Maria Cardoso

The Face Forgives the Mirror

Para tornar a terra fértil é preciso não estar com a mão na massa, é preciso, no meu caso, ir pelo Parque da Cidade abaixo até ao Edifício Transparente, virar à esquerda, passar junto ao Castelo do Queijo, ir por ali afora

Miguel Araújo

Tréguas à nova administração da SATA

Há que aprender com os erros do passado e dar cem por cento de autonomia ao novo administrador da SATA, ou a Companhia correrá o sério risco de se afundar irremediavelmente

João Gago da Câmara
Jornal de Letras

O Mestre

Estes modos de pensar acerca do ato de ver são, para mim, a grande proeza de génio de Álvaro Siza. Em Porto Alegre é muito claro: ele presenteou o Brasil com o melhor que é imaginável, diz Valter Hugo Mãe sobre o grande arquiteto português na sua crónica Autobiografia imaginária

Valter Hugo Mãe

Isto sim, é pop

Na pop vale tudo, vale mostrar as partes mais pudicas da anatomia humana para vender discos, vale fazer playback, até Milli Vanilli vale

Miguel Araújo

Litigância do lítio

Precisamos de um poeta que cante o lítio como ele merece ser cantado. Que exalte as propriedades do metal que vai salvar-nos, depois de o computador Magalhães ter tentado, sem sucesso – provavelmente, por não ter bateria de lítio

Ricardo Araújo Pereira