Boca do Inferno

Consensualizem lá isso

Quando, há dias, o primeiro-ministro pediu aos cientistas um “esforço de consensualização”, obteve-o imediatamente. Foi consensual entre os cientistas que o pedido era meio palerma

Mapeador de Ilhas

De reis mortos e águas vivas

Os presentes entreolharam-se, intrigados. Que houvesse um rei sepultado, isso não causava espanto. O que não falta por aí são reis cobertos de terra e esquecimento

Crónicas

Mamatoto

Isto de ser mãe é coisa que demora a instalar-se, mesmo que o amor nos acometa como um raio no momento em que os temos nos braços

Boca do Inferno

Crítica de confinamentos

Arrumar gavetas é irredimivelmente chato, a panificação transmite um sentimento de realização na primeira vez que não encontra paralelo nas vezes seguintes, e estreitar relações com os nossos entes queridos faz com que tenhamos saudades dos momentos insignificantes que passamos com os nossos entes indiferentes

Autobiografia Não Autorizada

A Cila já não mora aqui

A mudança trazia também a Natália, da casa da esquina, preocupada, Quem virá para cá?, sempre fomos os mesmos, os seus pais foram os últimos a chegar, parece que foi ontem e já passaram mais de 30 anos, a menina ainda se lembra? (em mais lado algum sou ainda a menina que fui)

Nem Tudo É Ficção

A escrava portuguesa de Mutu-ya-Kevela

Em criança, ouvi velhos colonos contarem inúmeras histórias de Samacaca. Dizia-se que os vendavais lhe obedeciam, assim como as serpentes, e que era capaz de se tornar invisível aos olhos dos inimigos. Em algum momento, perdeu as artes mágicas. Foi aprisionado em 1905 e deportado para a Guiné-Bissau, onde terá falecido. Até hoje existe um pano, do vestuário tradicional, que tem o seu nome

Crónicas

Amigo é família

A ilha onde milhares de tartarugas vêm desovar em junho e um grupo de jovens ambientalistas cabo-verdianos passa noites e dias a impedir que a população as mate para vender nos mercados. A neuropediatra Teresa Temudo relembra a sua viagem em trabalho para a ilha do Maio, em Cabo Verde, em 2019

Autobiografia Não Autorizada

A vida é despropositada

As crianças inventam guerras, quando os seus humores destrambelham. Não poucas vezes, os adultos cedem igualmente a tão perigosa estratégia de regulação de humor. Prejudicar os nossos interesses para contrariar o inimigo pode não nos dar a vitória, mas torna-nos vítimas, e a vitimização é uma poderosa arma neste tipo de guerra

Crónicas

4 anos

Eu não sou contra nada. Sou a favor, em determinados momentos. Mas não me comprometo com grandes opiniões, opiniões grandes. Concordo com todos os pontos de vista, que é como dizer que não me comprometo com nenhum

Boca do Inferno

Comente os seguintes resultados

Nem sempre se percebe bem o que o povo disse – o que não deixa de ser estranho porque, sendo Portugal um país pobre, é muito improvável que o povo esteja a falar de boca cheia

Mapeador de Ilhas

O parto póstumo

Ao princípio da tarde, encostou a canoa à margem e ajudou-me a retirar a minha bagagem. Apercebi-me de que iríamos pernoitar naquela clareira. O homem deu-me a beber um líquido escuro. Acreditei ser uma infusão, dessas que se usam para enganar a fome e o cansaço. É chá, tranquilizou-me, reparando na demora em levar a chávena aos lábios

Boca do Inferno

Nação doente e disfuncional

O plano sueco distingue--se do da generalidade de outros países por ter adoptado uma estratégia diferente e, ao que tudo indica, distingue-se do português por ser um plano

Autobiografia Não Autorizada

Esperar

Passava a noite acordada, à espera do aviso sonoro do chat do Yahoo. Ainda hoje me arrepio se o ouço. Insone, tomada de uma febre juvenil, punha corretor de olheiras, testava que roupa ficava melhor na câmara, tinha atenção à iluminação e ao cenário como se fosse entrar num filme

Crónicas

Emília

Emília vai entornando para dentro do seu caderno de folhas com cheiro aquilo que só se vê dali, só se pode ver dali, do alto de um terceiro andar; as ideias vão ficando por ali como que num longo processo de digest

Boca do Inferno

Marcelo Rebelo de Tudo

Além de ser o Presidente de todos os portugueses, Marcelo é também o Presidente de todos os resultados

Boca do Inferno

Desesperadamente procurando um procurador

O procurador José Guerra tem um currículo fantástico (no sentido em que inclui aspectos fantasiosos), mas não foi ele quem os inventou. Há fraude, mas não do próprio. Nesse caso, trata-se de altruísmo. Aldrabar o currículo alheio é um gesto feio ou bonito? Conta como burla ou filantropia? Ilicitude ou amizade?

Autobiografia Não Autorizada

Concerto

Em Luanda muda--se de ano no pico do calor. Organizavam--se festas de passagem de ano em todo o lado, mas as que a minha irmã e eu mais invejávamos eram as do Clube do nosso bairro. Dias antes, começava a grande azáfama, enfeitavam--se os muros do quintal com folhas de palmeira, cruzava-se a chapa ondulada com fios de luzes coloridas e serpentinas

Boca do Inferno

Prometam-me insensatez

Besuntem-se todos com aquelas compotas que o sr. subdirector-geral da saúde recomendou que oferecessem no Natal e esfreguem-se uns nos outros. À confiança. Os meus colegas e eu reunimos esta manhã e deliberámos que estão reunidas condições para a mais lasciva devassidão

Crónicas d.C.

2021 Odisseia no Espaço

Se, por um lado, o tsunami da crise pandémica resistiu ao réveillon, saltando a fronteira anual, entramos em 2021 com bazucas e vacinas para o enfrentar. Que venha ele

Mapeador de Ilhas

O observatório

Não se engane, senhor padre: o senhor também trabalha nos subterrâneos. Aliás, não há neste mundo trabalho que não seja de mineiro, seja ele executado por cima ou por baixo da terra

Opinião

Presentes

Acho que o Natal é a pior altura para os presentes que se querem pessoais. Está tudo cansado demais para escolher boas prendas, e acaba por se banalizar esse delicado processo de antecipação como mais um afazer