Boca do Inferno

Zoólogos pela verdade

Alguns outros membros do movimento “Zoólogos pela Verdade” têm de lidar ainda com o facto de, por causa de uma admirável fidelidade às suas ideias, terem enfiado os dois braços na jaula do tigre, tendo perdido ambos, pelo que, neste momento, estão confrontados com uma maior dificuldade de escrever posts no Facebook

Boca do Inferno

Vacinação valente

É evidente que não conseguimos vencer os chicos-espertos – logo, vamos pô-los a mandar. Uma solução óbvia é definir logo de início que a vacinação devida consiste em dar prioridade a amigos e a familiares do responsável pela vacinação, e que vacinar idosos, profissionais de saúde e bombeiros é ilegal

Boca do Inferno

Mais horribilis que este annus é difícil

Normalmente, quando uma previsão do fim do mundo não se confirma, sentimos algum alívio; no entanto, creio que, depois de um ano como este, o fim do mundo seria uma lufada de ar fresco que todos acolheríamos com alguma alegria. Infelizmente, voltou a não se verificar. 2020 tem sido desilusões atrás de desilusões

Boca do Inferno

Ninguém há-de calar o Chega, tirando o Chega

Quando o Chega fala, prejudica o Chega – logo, é melhor calar o Chega para dar mais voz ao Chega. Se o Chega não se cala, vai acabar por se calar. Mas, se se calar, aí ninguém o cala. É simples.

Boca do Inferno

Sopa e sobremesa no quadro da UE

É como se, na nossa família, a pessoa a quem dizemos que não tem direito a sobremesa, por não ter comido a sopa, tivesse o poder de impor que, nesse caso, ninguém mais teria direito a sobremesa – mesmo os que comeram a sopa

Boca do Inferno

Outra vez arroz

A brigada da literalidade é vasta, muito diversa e, além de comer arroz-doce a pensar que é arroz de marisco, também come gelados com a testa

Boca do Inferno

Não se precata nem se deixa precatar

É bastante óbvio que, quando Portugal conseguir comprar, distribuir e administrar a nova vacina da Covid-19, já outro vírus apareceu

Boca do Inferno

Estado de emergenciazinha

O Governo optou por uma solução híbrida que nem sufoca por completo nem deixa propriamente respirar. Parece-me evidente – e estranho que nenhum comentador o tenha ainda notado – que estamos perante um caso de asfixiofilia política

Boca do Inferno

Esta semi-recta fez-me dói-dói

Não sei bem que tipo de privilégio se imagina ter para reclamar o direito de não ser ofendido, mas deve ser óptimo

Boca do Inferno

Buraco sem fundo de resolução

O orçamento deixou de ser uma manta curta e passou a ser um lencinho. Já não é possível optar por tapar uma parte, passando frio na outra. Com o lencinho, a única hipótese é tapar apenas as vergonhas. O problema é que Portugal é um país que tem umas vergonhas bastante grandes, e o lencinho não consegue tapá-las todas

Boca do Inferno

Uma visão estratégica sobre a visão estratégica

Não é exactamente uma carta ao Pai Natal, na medida em que nós não revelamos como nos portámos bem este ano, mas sim como nos vamos portar bem nos próximos dez. Nessa medida, talvez seja mais parecido com uma carta a uma tia rica a quem pedimos dinheiro porque tivemos uma ideia infalível para um negócio

Boca do Inferno

O covidioma

Neste momento, cada um de nós é um escanção de álcool-gel

Boca do Inferno

Porn Hubanco

O melhor é publicar a auditoria num dos jornais económicos e as pessoas fazerem como antigamente: vão à banca, compram o jornal, dobram, e depois compram uma publicação respeitável, como a revista Hustler, e escondem o jornal discretamente lá dentro. A seguir, já em casa, o contribuinte certifica--se de que não há crianças por perto e lê a auditoria, desdobrando as páginas centrais, onde vem o buraco financeiro. E depois agarra-se à caneta e passa o cheque

Boca do Inferno

Democracia e nádegas: um ensaio

Várias pessoas alegaram que os debates quinzenais (que são as nádegas) desgastavam a democracia (que é o sofá). Ora, eu concedo que algumas nádegas são feias.E admito mesmo que algumas nádegas são sujas. Mas, a um sofá robusto e bem mantido, não há nádegas que roubem a integridade

Boca do Inferno

Operaçããããããão Marquêêêêêêês

Decidi analisar esta decisão sobre o adiamento da decisão acerca da submissão dos arguidos a uma decisão e fiquei indeciso

Boca do Inferno

Quem tem cume tem mérito

Sinto-me igualmente interpelado por Shakespeare, quando diz que “a vida não é mais do que uma história, contada por um idiota, cheia de som e de fúria, sem significado algum”, como pelo autor anónimo de uma tabuleta que vi uma vez num terreno, ao pé de Chaves, e que dizia “Bendç”

Boca do Inferno

Na sarjeta, olhando para as estrelas

Portugal estava no lixo financeiro. Agora, o facto de estarmos no lixo sanitário vai colocar-nos por consequência no lixo turístico, o que nos levará de novo, muito provavelmente, ao lixo financeiro. Há duas ou três reflexões a fazer a propósito desta sujeira toda

Boca do Inferno

Canceladores implacáveis

Há dois tipos de pessoas: as que não gostam de cancelamentos e as que não gostam de cancelamentos a menos que o cancelado seja uma pessoa, filme, série ou livro que não apreciam

Boca do Inferno

O inferno são os outros e a Covid também

Discriminar requer um esforço que eu sou demasiado preguiçoso para fazer

Boca do Inferno

Contextualizei-me todo, nunca mais me senti só

Fechei o livro imediatamente, mas o mal estava feito: o canto de sereia do racismo a seduzir--me sem que eu estivesse firmemente atado ao mastro com as cordas benignas da contextualização

Boca do Inferno

#calvário

E ao fim de alguns dias já ninguém se lembrava bem de Pilatos, de Barrabás e de Jesus, e todos retomaram a colocação de posts sobre os seus cupões de desconto de 10% na Prozis. Palavra da salvação. Ámen