A Religião perdeu a espiritualidade, ou foi esta que se tornou religiosa?
Vestígios de Azul

Como os jovens estão trocar as voltas à religião

Parece estar em andamento uma verdadeira revolução religiosa entre as novas gerações do cristianismo, pelo menos no Ocidente

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Ucrânia: Somos todos vítimas

A guerra nunca fez bem à saúde física de ninguém nem tão pouco à sua saúde mental e emocional

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Irlanda: A carcaça roubada

Conhecem a estória dos dois leões que lutam furiosamente pela posse da carcaça dum animal abatido e nem se apercebem que entretanto veio uma hiena roubar-lhes a peça? Assim estão católicos e protestantes na Irlanda

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

A fé não chega

É preciso voltar a lembrar nos dias que correm que o caráter é muitíssimo mais importante do que o carisma. Em especial nestes tempos de líderes carismáticos populistas tanto no campo político como no religioso

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Vodka marado

Nojo, repugnância, vergonha, é o que sente quem ainda dispõe de um pingo de humanidade ao ver as imagens da invasão russa à Ucrânia e dos crimes de guerra cometidos sobre as populações civis indefesas

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Wrong Song

Há cerca de quinze anos publiquei um pequeno livro onde previa a queda das superestrelas da fé. Daí para cá estes gigantes com pés de barro foram caindo em descrédito um após outro e abandonaram as funções religiosas

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

O vírus russo

O vírus que agora nos ataca é russo, nacionalista, religioso e apocalíptico. A “santa aliança” estabelecida entre o Kremlin e a Igreja Ortodoxa russa está aí para o provar

José Brissos-Lino
A Liberdade Religiosa e a liberdade do religioso - a dádiva
Vestígios de Azul

A paz dá muito trabalho

Se as religiões cumprirem a sua verdadeira vocação desde as bases até às lideranças, e se as famílias, os governos, as academias, as empresas e as sociedades em geral trabalharem na mesma direcção, teremos criado um espaço comum de paz, respeito mútuo e convivência saudável

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

A religião precisa de libertar as mãos

A religião precisa de se libertar para cumprir a sua verdadeira vocação, a afirmação e proclamação da fé e a educação dos fiéis para a sua ética e valores, influenciando assim a sociedade por via indireta

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

A paz dá muito trabalho

Se as religiões cumprirem a sua verdadeira vocação desde as bases até às lideranças, e se as famílias, os governos, as academias, as empresas e as sociedades em geral trabalharem na mesma direcção, teremos criado um espaço comum de paz, respeito mútuo e convivência saudável

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Era uma vez um urso e um palhaço

Era uma vez um urso e um palhaço no circo desta vida. Ambos sabiam que tinham um papel relevante a desempenhar no maior espectáculo do mundo, o da política

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Um exército sem canhões

A organização cristã internacional conhecida como Exército de Salvação (ES) está a celebrar cinquenta anos de implantação em Portugal, onde conseguiu entrar apesar das dificuldades levantadas pelas autoridades públicas de então

José Brissos-Lino
Portugal é o quarto país da OCDE que mais gasta com pensões
Vestígios de Azul

Aposentados mas não acantonados

Mercê das profundas alterações sociais, demográficas e da economia do trabalho têm vindo a surgir vozes a alertar para a necessidade de rever a forma como os poderes públicos encaram a aposentadoria dos cidadãos

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

A teologia de Jesus

Se um dia boa parte dos teólogos e das igrejas cristãs tiverem a coragem de se centrar efectivamente no discurso e obra do Mestre de Nazaré, deixando de lado o corpo das respectivas tradições, terão um choque ao verificar quão distantes se encontram daquilo a que podemos chamar a teologia de Jesus

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Afinal, o que aconteceu ao ser humano?

Como é que chegámos até aqui? O que sucedeu ao ser humano? Por que razão ainda é necessário dizer que a indiferença mata, assim como o formalismo moral, a religiosidade, o individualismo e o populismo?

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Viver no corredor

A filosofia de uma certa forma de viver a fé assenta na consideração de que a existência humana não passa de uma espécie de corredor, a caminho da vida eterna. E assim se hipoteca o presente em nome do futuro

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Entre a cruz e a forca

Antes já tínhamos uma cultura pós-cristã no mundo, mas pelo menos desde há um ano que temos indícios duma igreja pós-cristã na América

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Moçambique: uma lição para o mundo

Embora a situação no norte do país seja complicada, a verdade é que as diferentes confissões religiosas se juntaram num propósito que pode ser uma lição contra o sectarismo e o extremismo religioso

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

O Estado de Direito a que nem sempre temos direito

Eu bem sei que o simples facto de mencionar hoje publicamente o nome de José Sócrates produz um efeito pavloviano, num país condicionado por uma comunicação social cada vez mais ao estilo das redes sociais e com tanta gente que adora levantar estátuas para depois as derrubar

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

É urgente fazer bebés

Há que criar uma Secretaria de Estado da Demografia e Família no governo que sair das próximas eleições. A população portuguesa está a esvair-se e os números mostram que são mais os que morrem do que os nascidos. O problema é que isto acontece há 13 anos consecutivos

José Brissos-Lino
Vestígios de Azul

Troquem lá os balanços pelos propósitos

O fim do ano traz consigo quase sempre a ideia dos balanços. Não sei se será boa ideia, pois a vida não é feita de balanços. Isso é mais para as empresas. A vida é feita de momentos, de impulsos e de propósitos

José Brissos-Lino