LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

Quatro avisos nada tranquilizadores

Não é nada bom dar más notícias. Não é nada salutar estar sempre a advertir para mais um pandemónio. Mas invulgar, insólito, preocupante, é que todos estes alertas, de pessoas e entidades distintas, aconteceram na mesma altura. E a razão é simples: todos eles, e todos nós, vemos os mesmos indicadores, consultamos os mesmos gráficos, e acedemos à mesma informação

Luís Delgado
OLHO VIVO

"Carlos Moedas é um balão de oxigénio que permite a Rio ganhar tempo para se preparar noutras frentes"

A corrida às autárquicas, um ano de pandemia em Portugal e os passaportes de vacinação estiveram em análise esta semana no Olho Vivo

LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

Vem aí o diabo do senhor Diyabanza

Tudo isto é uma chatice acrescida, reconheça-se, porque o mundo inteiro acha que os Descobrimentos foram um avanço científico ímpar para a humanidade, só comparável, em miniatura, à chegada à Lua, e agora a Marte, e afinal, como está na moda, não passou de uma trapalhada carregada de crimes e de roubos

Luís Delgado
Igualmente desiguais

SNS: Um serviço ao nosso serviço

Há uma faixa de cidadãos que tem sido um pouco esquecida e que me parece ser hora de olhar com um mais atenção: trata-se dos sem-abrigo e dos imigrantes que ainda se encontram em situação irregular, muitos deles por culpa da Administração

Manuela Niza Ribeiro
Opinião

França: A Marianne de barrete frígio ficou traumatizada

Os políticos europeus em geral não sabem nada do fenómeno religioso. Pior. Fingem que sabem e não se rodeiam de quem os possa esclarecer. Entretanto, a França parece querer trilhar um caminho perigoso

José Brissos-Lino
LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

Não dá para demitir a Comissão Europeia?

E como é que a Comissão Europeia chegou a esta fabulosa constatação de que precisa de aprovar o uso de emergência? Primeiro pelo evidente falhanço nas compras que fez, com entregas a roçar o ridículo, e a ser continuamente alteradas, e depois, mais importante, porque percebeu que desde os finais de dezembro a início de março, o conjunto dos 27 têm uma média de 7,5% de vacinados (e já contando com uma só dose) e para sua, e nossa, vergonha coletiva, o Reino Unido já vai em 31,1%, ao EUA com 23%, e Israel (que tem a nossa população) com uns fantásticos 94,9 por cento

Luís Delgado
Opinião

Desconfinar e vacinar: Como e quando?

Nos primeiros tínhamos entre 230 e 330 novos casos por dia e no último, do Natal, uma média diária semanal de mais de 2900 casos. Quando hoje se coloca a meta dos 2000 novos casos para iniciar o desconfinamento (ainda que com a ocorrência simultânea de valores - limite também nos internamentos, na ordem dos 1300/1400 doentes) ficamos perplexos com a ausência ou a disparidade de critérios

Manuel Delgado 1 Manuel Delgado
LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

Siza e Leão estão em Marte

Na economia, o ministro Siza vai (re)apresentar o "grande" plano Apoiar, com verbas ridículas, acessos limitados a uma infinidade de setores, e pequenas ajudas sociais. Tudo isto é lateral, sem eficácia e de uma exiguidade penosa. Será que Siza e Leão também arrancaram para Marte? Ou estão por cá, mas vivem lá?

Luís Delgado
Visão Saúde
VISÃO Saúde

Desabafo de um enfermeiro na linha da frente, parte II

O enfermeiro Énio Amaral, da Unidade de Cuidados Intensivos do Hospital Curry Cabral passa em revista um ano em que "passámos de milagre a pesadelo em poucos meses" e conta como foram estes meses infernais no SNS

Sociologia do Quotidiano

O ataque dos vírus e a extinção dos portugueses estúpidos

A sociedade portuguesa foi (e continua a ser) contaminada por vírus muito especiais e seletivos; portanto, para combatê-los, é necessário criar vacinas específicas para cada grupo

Donizete Rodrigues
LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

Atrasar a segunda dose é fazer batota

Neste caso, a ponderação acertada nunca deve ser uma questão de números, mas de cumprir escrupulosamente as indicações científicas das farmacêuticas que fizeram as vacinas. São duas doses, com o espaço de 21 dias, para existir imunidade assegurada de mais de 90 por cento. E mesmo assim existe uma percentagem de risco para quem for vacinado. E também é bom começar pelo princípio: vacinado é vacinado, e não meio vacinado, quase vacinado, à beira de estar vacinado. Por favor, não se ponham a inventar.

Luís Delgado
OLHO VIVO

"Falta um plano com as linhas vermelhas. Governo deixa que seja a opinião pública a decidir por ele"

Com números dos contágios e internamentos a melhorarem, as atenções voltaram-se para a próxima etapa: o desconfinamento. Quando e como desconfinar, afinal, eis a questão? Não existe ainda um plano conhecido com dados e metas objetivas, algo que era desejável

Em sincronização

Ainda não deu para perceber que as reuniões do Infarmed não funcionam?

Estas reuniões não são mais do que uma espécie de conferência, onde todos vão apresentar os seus pontos de vista. São audições técnicas, mas servem apenas para deixar ideias soltas, pontos numa folha em branco. Para unir estes pontos e traçar um desenho coerente de resposta, o Governo fica sozinho. E isso não faz sentido algum

Mafalda Anjos Mafalda Anjos
LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

Para ter orgulho no SNS, vá a um centro de vacinação!

Vendo esta coreografia, tão bem montada e executada, e com tantos jovens, que estão ali, calcula-se, voluntariamente, mais os profissionais absolutamente experimentados e bem-dispostos, sentimos orgulho, de verdade, no nosso Serviço Nacional de Saúde, e em todas as instituições que colaboram e colocam à disposição os espaços e o suporte logístico. Impressionante. Muito bem montado. Muito bem organizado. Muito bem executado.

Luís Delgado
Igualmente desiguais

Limpar a História, conspurcar o presente

Mais do que os brasões da Praça do Império ou derrubar o Monumento aos Descobrimentos, deveria preocupar-nos muito mais os indícios atuais de xenofobia e intolerância que surgem um pouco por todo o lado

Manuela Niza Ribeiro
Ao padre e ao médico
Opinião

Como se desenha uma casa. Uma metáfora sobre o SNS

Os meus colegas médicos de família têm cerca de mil e novecentos doentes a cargo. Cada um. Mil e novecentos. Imaginem que têm um restaurante capaz de atender decentemente, vá, vinte clientes por dia. Tem de ser um de cada vez. Mais uma reflexão da médica Vera Rodrigues Bernardino

Vera Rodrigues Bernardino
Opinião

Como o “bicho” mexe com a prática religiosa

A pandemia alterou a nossa vida de cima a baixo em todos os sentidos, tanto na vertente individual como na colectiva. Isso inclui o fenómeno religioso, embora ainda não saibamos em que medida o influencia

José Brissos-Lino
LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

Plano britânico não dá para copiar

Para Portugal chegar à imunidade de grupo, 70 por cento, o mesmo tem de acontecer com todos os outros países da União, como é suposto e previsto no mecanismo conjunto. Ou seja, não estamos só a falar de 14 milhões de vacinas para nós, mas de 600 milhões de vacinas para 300 milhões de habitantes da União. É muito, muito difícil.

Luís Delgado
Crónicas d.C.

Deportar pessoas que querem deportar pessoas

O rapper Pablo Hasél foi condenado a nove meses de prisão em Espanha por coisas que disse e 30 mil portugueses querem deportar o ativista Mamadou Ba, por não concordarem com ele. Curiosamente, é a ala política que mais vende o direito ao “politicamente incorreto” quem mais defende a penalização de quem é politicamente incorreto, quando o dito não lhe agrada

Henrique Costa Santos
LD Linhas Direitas
LInhas Direitas

A nossa História é um grande embaraço!

Pensando melhor, e analisando tudo isto em perspetiva, é preciso começar pelo senhor D. Afonso Henriques, um malandro, um traidor sem uma réstia de dignidade, que criou uma raça desavergonhada, que deu à luz colonialistas, como Bartolomeu Dias, Vasco da Gama, Fernão de Magalhães e Pedro Álvares Cabral. Que raça indigna. Maldita. Imperialista. Tudo isto é um peso para nós. Não podemos mais. Não aguentamos

Luís Delgado
Portugal é o país da União Europeia com a mais baixa taxa de violência motivada pelo racismo
Opinião

Porque o negro não é racista, ou de como não gostamos de ver o status quo ameaçado

O racismo é um conjunto de valores e atitudes brancas? E há racismo cordial? João Ferreira Dias, Investigador do Centro de Estudos Internacionais do ISCTE, explica

João Ferreira Dias