Elefante na Sala

Negacionista da charlatanice. A primeira crónica de Joana Marques na VISÃO

Choy tem olho para o negócio. É impressionante como depois de décadas a ganhar dinheiro à conta de quem acredita em terapias holísticas, ainda conseguiu sacar 18 mil euros a quem não acredita nos benefícios da fitoterapia

Joana Marques
Autobiografia Não Autorizada
Exclusivo

Meia-noite, no jardim do Bem e do Mal

Mantive-me calada a maior parte do tempo e subitamente, Queres que te ofereça o meu colar?, perguntou-me a Adília Lopes, levando a mão quase infantil às contas do colar de madeira que trazia

Dulce Maria Cardoso
Exclusivo
Dulce Maria Cardoso
Crónicas
Exclusivo

A última

Mesmo em prosa, fui descobrindo o meu ritmo, recorrendo a repetições para imprimir cadência aos parágrafos e ensaiando jogos de palavras, metáforas de potencial gráfico e até uma novilíngua particular

Capicua
Exclusivo
Capicua
Crónicas
Exclusivo

A última crónica

Aprendi a escrever 3 000 caracteres intuitivamente. Sem ter de usar a opção “contagem de caracteres”. Aprendi a escrever de forma automática, sem pensar. Ou seria fácil ou seria impossível. Optei pela primeira via

Miguel Araújo
Exclusivo
Miguel Araújo
Elefante na Sala

Joana Marques na VISÃO, com um Elefante na Sala

Joana Marques vai integrar a equipa de colunistas da revista com uma nova rubrica de humor

Autobiografia Não Autorizada
Exclusivo

Parabéns, Shane

Ele sabia bem dessa outra dimensão. Os pais haviam-no iniciado no consumo de drogas ainda ele não tinha dez anos, Não tive escolha, declarava sem amargura, Vivi o que tive de viver. Aprendi com o Shane que tudo se pode contar. O absurdamente trágico e o desprezível banal. As palavras são o que nos resta para tentarmos tornar compreensível aquilo que não o é

Dulce Maria Cardoso
Exclusivo
Dulce Maria Cardoso
Boca do Inferno
Exclusivo

Sobre dizer adeus

Ao que parece, quando dizemos adeus estamos a enunciar uma versão abreviada da expressão “recomendo-te a Deus”. Ou seja, nesse momento somos um utilizador de uma espécie de Tripadvisor divino. O ser humano de quem nos despedimos tem, na nossa opinião, características que Deus poderá apreciar

Ricardo Araújo Pereira
Exclusivo
Ricardo Araújo Pereira
Crónicas
Exclusivo

As crónicas que não escrevi

Consta também da listinha que sempre quis ter um diastema (aquele espaço entre os dentes) como a Madonna. Sei que há quem chame a isso dentes de mentiroso

Capicua
Exclusivo
Capicua
Boca do Inferno
Exclusivo

Cabrita de Deus que tirais o pecado do mundo

Quando foi nomeada ministra da Administração Interna, Francisca Van Dunem precisou de ajuda para ler o juramento porque, segundo disse, se tinha esquecido dos óculos. E assim se fez história: nos últimos quatro anos, foi a primeira vez que um titular do cargo de ministro da Administração Interna assumiu a responsabilidade por uma falha

Ricardo Araújo Pereira
Exclusivo
Ricardo Araújo Pereira
Autobiografia Não Autorizada
Exclusivo

O deus das pequenas coisas (ca. 13:30-14:30)

Tive educação católica, fiz a primeira comunhão, cheguei a dar catequese, mas a fé em Deus de que falo não me foi ensinada pela religião católica ou por outra, e nada tem que ver com a fé por que se continua a matar todos os dias. Resulta da intimidade com uma ideia de Bem que me faz sentir não estar só nas decisões que tomo, nos falhanços em que tropeço, nos pequenos triunfos que calham acontecer-me

Dulce Maria Cardoso
Exclusivo
Dulce Maria Cardoso
Boca do Inferno
Exclusivo

Cuidado com a língua

O melhor era enforcar os dicionários todos, à cautela

Ricardo Araújo Pereira
Exclusivo
Ricardo Araújo Pereira
Crónicas
Exclusivo

Dar à luz sem sombra

Revolta-me especialmente que seja tão comum ser vítima de maus cuidados de saúde no processo de gravidez e parto em Portugal

Capicua
Exclusivo
Capicua
Boca do Inferno
Exclusivo

As moscas zumbem em fá

Talvez seja a melhor maneira de nos apresentarmos a um viajante intergaláctico: eu nasci num mundo em que as moscas zumbem em fá

Ricardo Araújo Pereira
Exclusivo
Ricardo Araújo Pereira
Crónicas
Exclusivo

Café Corcel

Lembro-me de que o Rui Veloso me contou que conheceu o Zé Nabo no Corcel, que acaso, que encontro tão importante, tão determinante para mim

Miguel Araújo
Exclusivo
Miguel Araújo
Autobiografia Não Autorizada
Exclusivo

Sonhei, a noite passada

Eu continuei a crescer, continuamos sempre a crescer, mesmo quando o corpo para e começamos a enrodilhar por dentro. Gostava de acreditar que foram as palavras da Nóemia e da Daphne du Maurier que me guiaram para o homem bom com quem me casei, mas hoje sei que nas coisas do amor é mais a sorte doque a lucidez que comanda

Dulce Maria Cardoso
Exclusivo
Dulce Maria Cardoso
Pedro Norton

Da maturidade da nossa democracia

Os portugueses interiorizaram a ideia de que as soluções governativas podem formar-se através de uma maior plasticidade de soluções parlamentares

Pedro Norton
Pedro Norton
Boca do Inferno
Exclusivo

Perigo! Cidadania!

Os opositores da disciplina têm uma fé enternecedora no nosso sistema de ensino. Eles acham mesmo que uma aula semanal de 50 minutos, ao longo de cinco anos, vai servir para os alunos aprenderem seja o que for acerca de 20 temas

Ricardo Araújo Pereira
Exclusivo
Ricardo Araújo Pereira
Crónicas
Exclusivo

Minguante

A primeira manhã de creche deu direito a semana e meia de ranho, tosse, falta de apetite e febres ocasionais, sempre em casa. A segunda, mais uma semana de molho

Capicua
Exclusivo
Capicua
Boca do Inferno
Exclusivo

A loja de ferragens do Mestre André

Por mais desinteressado que Costa esteja agora das fechaduras, talvez fosse apropriado, por uma vez sem exemplo, espreitar por uma. Desconfio que, do outro lado da porta, edificaram entretanto uma parede

Ricardo Araújo Pereira
Exclusivo
Ricardo Araújo Pereira
Crónicas
Exclusivo

O sucesso e o fracasso

Eu penso no sucesso e no fracasso como gémeos verdadeiros, idênticos, formados a partir do mesmo óvulo, gémeos que se confundem

Miguel Araújo
Exclusivo
Miguel Araújo
Autobiografia Não Autorizada
Exclusivo

Teremos sempre Veneza

Quando eu me criei nem frigorífico nem fogão, nem água nem luz nas casas, na maioria só frio e fome, fome e frio. Graças a deus, na minha nunca nos faltou o que comer e o lar estava sempre aceso, mas houve anos com tanta fome na aldeia que o meu pai abria o celeiro para que os mais necessitados fossem lá buscar alimento. O meu pai era tão bom para os de fora quanto mau para a família, chamavam-lhe o pai dos pobres

Dulce Maria Cardoso
Exclusivo
Dulce Maria Cardoso