Autobiografia Não Autorizada

Esperar

Passava a noite acordada, à espera do aviso sonoro do chat do Yahoo. Ainda hoje me arrepio se o ouço. Insone, tomada de uma febre juvenil, punha corretor de olheiras, testava que roupa ficava melhor na câmara, tinha atenção à iluminação e ao cenário como se fosse entrar num filme

Dulce Maria Cardoso Dulce Maria Cardoso
Crónicas

Emília

Emília vai entornando para dentro do seu caderno de folhas com cheiro aquilo que só se vê dali, só se pode ver dali, do alto de um terceiro andar; as ideias vão ficando por ali como que num longo processo de digest

Miguel Araújo Miguel Araújo
Boca do Inferno

Marcelo Rebelo de Tudo

Além de ser o Presidente de todos os portugueses, Marcelo é também o Presidente de todos os resultados

Ricardo Araújo Pereira Ricardo Araújo Pereira
Crónicas

Vinte e um

Provar a comida alheia, partilhar um copo, dar uma passa no cigarro do outro, partilhar o batom com a amiga, sem paranoias e nojentices

Capicua Capicua
Boca do Inferno

Desesperadamente procurando um procurador

O procurador José Guerra tem um currículo fantástico (no sentido em que inclui aspectos fantasiosos), mas não foi ele quem os inventou. Há fraude, mas não do próprio. Nesse caso, trata-se de altruísmo. Aldrabar o currículo alheio é um gesto feio ou bonito? Conta como burla ou filantropia? Ilicitude ou amizade?

Ricardo Araújo Pereira Ricardo Araújo Pereira
Autobiografia Não Autorizada

Concerto

Em Luanda muda--se de ano no pico do calor. Organizavam--se festas de passagem de ano em todo o lado, mas as que a minha irmã e eu mais invejávamos eram as do Clube do nosso bairro. Dias antes, começava a grande azáfama, enfeitavam--se os muros do quintal com folhas de palmeira, cruzava-se a chapa ondulada com fios de luzes coloridas e serpentinas

Dulce Maria Cardoso Dulce Maria Cardoso
Crónicas

O meu 2020

Lambuzei-me nas coisas que gosto de fazer, nas quais me sinto útil, fértil. Gravei, escrevi, regravei, apaguei, reescrevi. Passei todo o tempo com a minha família e para passar tempo com as coisas (...) de que se gosta é preciso tempo

Miguel Araújo Miguel Araújo
Boca do Inferno

Prometam-me insensatez

Besuntem-se todos com aquelas compotas que o sr. subdirector-geral da saúde recomendou que oferecessem no Natal e esfreguem-se uns nos outros. À confiança. Os meus colegas e eu reunimos esta manhã e deliberámos que estão reunidas condições para a mais lasciva devassidão

Ricardo Araújo Pereira Ricardo Araújo Pereira
Opinião

Presentes

Acho que o Natal é a pior altura para os presentes que se querem pessoais. Está tudo cansado demais para escolher boas prendas, e acaba por se banalizar esse delicado processo de antecipação como mais um afazer

Capicua Capicua
Boca do Inferno

Mais horribilis que este annus é difícil

Normalmente, quando uma previsão do fim do mundo não se confirma, sentimos algum alívio; no entanto, creio que, depois de um ano como este, o fim do mundo seria uma lufada de ar fresco que todos acolheríamos com alguma alegria. Infelizmente, voltou a não se verificar. 2020 tem sido desilusões atrás de desilusões

Ricardo Araújo Pereira Ricardo Araújo Pereira
Crónicas

A manhã de Sónia

A Sónia, de dez em dez segundos, a avivar o telemóvel com um golpe rápido e automático de polegar oponível, e nada, nenhuma mensagem, chamada, nada, que é do Gusto?

Miguel Araújo Miguel Araújo
Boca do Inferno

Frequentadores de tascas pela verdade

Ninguém fala da Suécia por causa de interesses. Só que eu tenho um cunhado que viveu muitos anos na Alemanha e ele, de casa dele, via a Suécia, se o tempo estivesse bom

Ricardo Araújo Pereira Ricardo Araújo Pereira
Crónicas

Gruas, escavadoras e betoneiras

O meu bebé começou a interessar-se por carrinhas de caixa aberta, ambulâncias e carros de bombeiros, mas encontrou o verdadeiro encantamento nas gruas, escavadoras e betoneiras

Capicua Capicua
Boca do Inferno

Ninguém há-de calar o Chega, tirando o Chega

Quando o Chega fala, prejudica o Chega – logo, é melhor calar o Chega para dar mais voz ao Chega. Se o Chega não se cala, vai acabar por se calar. Mas, se se calar, aí ninguém o cala. É simples.

Ricardo Araújo Pereira Ricardo Araújo Pereira
Autobiografia Não Autorizada

Foto #2: O macaco maluco

Tanto nos agradavam os ideais socialistas de distribuição da riqueza quanto a prática do catolicismo e a ajuda aos mais necessitados, admirávamos a União Soviética e os filmes de Hollywood, recordávamos, nostálgicos, revoluções a que não assistíramos, Cuba, Maio de 68, Woodstock, íamos à missa aos domingos de manhã ressacados das noites em claro a dançar na Frolic

Dulce Maria Cardoso Dulce Maria Cardoso
Crónicas

Achei terrível andar na escola

A minha vida começava no fim de cada ano letivo. A minha vida começou no fim de todos os anos letivos

Miguel Araújo Miguel Araújo
Boca do Inferno

Sopa e sobremesa no quadro da UE

É como se, na nossa família, a pessoa a quem dizemos que não tem direito a sobremesa, por não ter comido a sopa, tivesse o poder de impor que, nesse caso, ninguém mais teria direito a sobremesa – mesmo os que comeram a sopa

Ricardo Araújo Pereira Ricardo Araújo Pereira
Crónicas

Emicida

É um uma prova de independência e um marco na história da música brasileira, feito por e para a comunidade negra e para todos os que lutam contra o racismo no país

Capicua Capicua
Boca do Inferno

Outra vez arroz

A brigada da literalidade é vasta, muito diversa e, além de comer arroz-doce a pensar que é arroz de marisco, também come gelados com a testa

Ricardo Araújo Pereira Ricardo Araújo Pereira
Crónicas

Lar

Nos três anos anteriores tinha vivido numa aldeia onde a minha mãe era professora e estava habituada ao ar livre, a saltitar pelas casas de lavradores amigos, a ir às vindimas, às desfolhadas, a andar de bicicleta nas ruas sem automóveis, a sujar-me com a terra e a molhar-me com a chuva. Não imaginava o que me esperava

Teresa Temudo Teresa Temudo
Autobiografia Não Autorizada

O miolo das palavras

Quero este bolo, dizia à minha mãe, apontando para a montra de vidro da pastelaria Riviera. Ao estender o dedo no café de Leipzig é ainda a minha mãe que me olha embevecida. Carregamos pela vida fora o amor que recebemos na infância

Dulce Maria Cardoso Dulce Maria Cardoso